Bates Motel 1x01: First You Dream, Then You Die

terça-feira, março 19, 2013


Eu posso chamar isso de um Prequel?


O Prequel de Psicose, clássico de Alfred Hitchcock, ganhou vida nas nossas telas antes do previsto, nos trazendo a adolescência do jovem Norman Bates (Interpretado por Freddie Highmore, ‘A Arte da Conquista’), um garoto tímido, de 17 anos, que se muda com sua mãe após a morte de seu pai. Com a intenção de recomeçar a sua vida, Norma Bates (Vera Farmiga, ‘Orphan’), compra um hotel de beira de estrada.

 Não sei, se por ser uma das séries mais aguardadas, Bates Motel elevou as expectativas de todo mundo, afinal, por ser baseada numa das maiores obras que o cinema já viu, deveria ter levado em consideração o que muito dos fãs de Psicose esperavam: O Prequel, historiado na década correta com a formulação correta, sem devanear entre elementos antigos e atuais, o que deixou algumas pessoas ligeiramente confusas, e até gerou irritação.

A aposta que o A&E tentou fazer de trazer essa ambientação nos dias atuais, para quem assistiu o formato original de Psicose, foi um tanto quanto errônea, para não dizer que foi um tiro no próprio pé, já que muitas pessoas gostaram da premiere. Sinto em dizer que eu não sou uma dessas pessoas, e não fico nada feliz com o âmbito gerado num clima modernizado. É difícil de aceitar Norman Bates teclando num iPhone, e não é apenas isso que incomoda.

No mesmo cenário que vivenciamos um celular de ultima geração, temos um refrigerador que é movido a querosene, um carro antigo pertencente à Norma, e um carro atual das amigas de Norman. Mas quando você pensa de um modo de alguém que não assistiu ao filme, de certo modo, se tornaria agradável ver essa miscelânea de elementos na tela. Ou seja: esqueça o filme.

O meu dilema com Bates Motel esta latente, afinal, eles deveriam ao menos respeitado o produto cujo qual originou a série. É complicado ver um cenário que te remete aos ano 60, e vivenciar alguém saindo dessa época em um salto temporal. Não da pra entender como isso pode ser transmitido de forma tão crua e batida na tela, afinal, estamos assistindo a um prequel, e até mesmo Carrie Diaries nesse momento se torna um exemplo de como produzir e ambientar um.

Os problemas começam a aparecer na série, quando Keith, membro da família que possuía o Motel, aparece e ameaça Norma e o filho. O homem, provavelmente perturbado com a perda do imóvel, volta à noite, enquanto Norma está sozinha em casa, mas não sabe disso, pois Norman havia fugido para uma festa com seus amigos.

Sem conseguir se defender do homem, que a fere e a estupra, Norma grita por socorro, e quando Norman chega em casa, consegue libertar a mãe de Keith. Numa cena bem produzida, a mente perturbada de Norma mata o homem, que já estava algemado, enquanto Norman, sem reação, observou a mãe.

Devo dizer que Freddie Highmore está ótimo no papel de Norman, e denota de certas características que o original Norman Bates nos transparecia pela tela. Do mesmo modo que Farmiga se encontra perfeita para o papel da mãe, e consegue nos transmitir um pouco mais sobre a Senhora Bates, que irá se tornar um daqueles vilões que amamos odiar, de uma forma singular.

Outro aspecto forçado nessa premiere, foi como os policiais chegaram para investigar o motel no meio da madrugada, e nem sequer sentiram o cheiro de sangue ou de alguém morto na baheira. Xerife Keegan (Nestor Carbonell, ‘Lost’), que parecia ser um Detetive que seria imponente, não se mostrou tudo isso nas cenas que apareceu.

Carlton Cuse (Lost) e Kerry Ehrin (Friday Night Lights), nos apresentam um episódio que deixam as opiniões divididas, com perguntas no ar e qual será o caminho que Bates Motel irá apresentar até o final dessa temporada, composta por 10 episódios. O fato de mencionar tantas vezes que Bates decepcionou em alguns quesitos, fazem parte de quem tem como Psicose um dos maiores clássicos do cinema. Talvez, seja a hora de abstrair para algo menor, e deixar a série fazer seu caminho.


PS 1: O motel e a casa utilizados no filme original de Hitchcok, são os mesmo que estão sendo utilizados em Bates Motel.
PS 2: No inicio do episódio, quando Norman está assistindo, o programa fala sobre um adulto que ainda mora com sua mãe. 

Talvez Você Curta

3 comentários

  1. Já assisti o filme, e adorei a serie, não me incomodou muito os lances atuais (apesar de ser meio wtf), os atores principais estão ótimos, a relação de Norman e Norma é 'linda' e perturbadora, a cena do barco foi bastante sugestiva.

    Confesso que a cena do policial no banheiro foi bem wtf, como ele não sentiu cheiro do morto, nem se ligou que tinha algo na banheira? kkkkkkkkk, mas relevei.


    A serie estreou bem e irei acompanhar \o/

    ResponderExcluir
  2. Eu gostei bastante do piloto. Mesmo sendo fã do filme original, não me incomodou nada essa modernização da história. Talvez isto seja proposital, mostrar um lugar parado no tempo, neste caso, o hotel, como uma metáfora do controle de Norma sobre o filho e a alienação deste em relação ao mundo "real" e o mundo onde ele vive com sua mãe (ou que ela quer que ele viva). Além disso, acho que a série não pretende recriar Psicose, nem ser um prequel, só é inspirada na história do filme, tem liberdade para fazer o que quiser com a história. E, na minha opinião, a série tem um grande potencial e os protagonistas são excelentes. A única coisa que me preocupa é ter produtores de Lost, porque sabemos o que eles podem fazer com uma série de grande potencial!


    Não entendi porque o policial deveria ter sentido o cheiro do morto na banheira. O cara tinha acabado de morrer, ia ter cheiro de quê? Mas, sei lá né, nunca cheirei ninguém recém morto, vai saber. :P

    ResponderExcluir
  3. essa cena ae do Norman no ponto de onibus escutando musica e eu "mas ue naquela época ja existia fone de ouvido?" ai foi q me liguei q eh ambientado nos tempos de hoje, meio q perde o charma daquela época do filme mas tá valendo.. Vera <3

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe