Girls 2X10: Together (Season Finale)

terça-feira, março 19, 2013


O Cio da Terra de Girls.

Ah! "All The Drama!" Hannah quer Hannah tem. Independentemente de quem ela irá sugar dessa vez. É com muito pesar que digo não poder estar mais desapontado com esse "season finale" de Girls. Para uma peça tão ousada e tão bem construída, é realmente de doer o coração, vermos esse ato de medo, de covardia e de tristeza. Tristeza por voltarmos exatamente para o ponto do qual partimos, e ver que tudo foi cíclico e que nada evoluiu. É como se Lena Dunham, tivesse adoçado a nossa boca até o meio (ápice da temporada), e depois pego o pirulito de volta assim, sem mais nem menos.

Eu já havia cantado essa pedra quando saiu o antepenúltimo episódio da temporada... Sabia que essa temporada não iria acabar bem. É como se  os produtores tivessem desenvolvido uma história peculiar para cada personagem, e esses depois não conseguiram se encaixar todos em apenas uma história. Por isso que quando a série "voltou ao normal" lá no episódio oito, atitudes remediadoras tiveram que serem tomadas, em relação aos problemas levantados pelos personagens. E ficou tudo meio assim... nas coxas. O Episódio passado ainda relevei, por que todas as continuidades mal pensadas dos personagens, seguiam claramente o objetivo do episódio, a auto-destruição dos personagens. Mas esse "season finale" vou te dizer que está osso hein. Não apenas nas coxas, mas mal feito, mal amarrado, tudo mal remediado, personagens se contradizendo... E tudo por medo de tocar o barco para frente. Tudo por medo de crescer.


Vamos começar então pelo ponto aonde está o foco principal da revolta: Marnie. Um desfecho medíocre para uma personagem que foi medíocre a temporada inteira. Sério, a personagem esteve tão "all over the place" a temporada inteira, que não consigo nem mais contabilizar quantos arcos ela teve... E por medo de desenvolver qualquer uma dessas histórias (que fosse até a de cantora, mas desenvolvesse), o roteiro coloca ela bem no ponto em que tudo começou, e de quebra ainda faz a personagem contradizer tudo o que disse antes. Essa história de que ela quer Charlie todos os dias, é exatamente ao contrário do que ela disse quando terminou com ele, pois estava entediada de ver a cara do mesmo. E está estampado na cara dela de que não é o namorado que ela quer, Marnie precisa ter aonde escorar, e na falta de Hannah e qualquer outro cara, vai Charlie mesmo. Ela precisa ter a noção de que alguma coisa na sua vida está dando certo.

Do outro lado Shoshanna a primeira vista parece ter sido a única personagem a conseguir o seu "breakthrough" nesse final de temporada, terminando o namoro com Ray que já vinha procrastinando à alguns episódios, insatisfeita. Mas pense bem, pare para analisar, ela  chorou um pouquinho, virou as costas, e voltou a praticar as mesmas coisas que fazia antes, voltou para a vidinha medíocre de universitária. Eu esperava muito por esse "breakthrough" da personagem nessa temporada, já que todos tiveram o seu, porém ele não veio. E não só não veio, como parece que ela não absorveu nada do senso crítico de Ray em todo esse tempo que esteve com ele. É Como se o roteiro tivesse pegado uma etiqueta e rotulado a personagem de tapada, a única que vai ficar na superfície. O que Ray disse é a mais pura verdade, pessoas desse tipo precisam aprendem a real diferença entre negativismo e pensamento crítico.

  

E por último, não menos importante, porém mais desapontante, foi o desfecho de Hannah. Primeiro a personagem me passa um início de temporada de forma extremamente arrogante e mimada, olhando tudo por cima. Aí lá bem pelo episódio três parece que ela dá uma guinada e veio vindo na crista da onda, aonde ao que tudo indicava a personagem ia obter boa parte do teu tão desejável crescimento. Mas não, quando por cima, a protagonista resolve se auto-sabotar, e as coisas começam a ir por "água abaixo" com o retorno do TOC. O problema do arco, é que ele não se sustenta, e gera cenas muito chatas, que fogem completamente ao fio da meada da história. E aí como se não bastasse, agora Hannah passa a usar isso como escudo para não fazer mais nada. É como se depois que tivesse colocado a cabecinha para fora a borboleta regressasse ao casulo.

E toda a história com Adam então, não tenho nem o que comentar. Tudo bem que eles não são Charlie Chato & Chatonilda Marnie, e que foram sim feitos um para o outro. Mas foi tudo muito no improviso. E para uma série com o porte crítico de Girls, o improviso simplesmente não funciona. Na recusa de qualquer outro para se preocupar com os seus dramalhões infantis, e na birra de não dar o braço a torcer para Marnie, optou pelo mais prático, afinal ela sabia que era só chamar que ele ia. E no fim das contas foi tudo muito surpreendente até para mim, toda aquela bagaceira de estou indo te socorrer, a corrida pelas ruas e metrôs descamisado, o arrombamento da porta... E acrescente a tudo isso um indie pop fuleiro... Pois é, no fim das contas o meu estômago já estava revirando também.

E Girls termina a sua segunda temporada assim: muito aquém da primeira, sem nenhuma novidade deixada engatada, sem nenhum pensamento crítico e extremamente acomodada. Tão acomoda que é como se tivesse zerado o contador,  pode vir qualquer coisa na próxima temporada, e eu sinceramente espero que venham coisas melhores e que a série se rea-prume... Até lá!

Talvez Você Curta

2 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe