Shameless 3X07/08: A Long Way from Home / Where There's a Will

quinta-feira, março 14, 2013


O Preço da liberdade.

Shameless chega ao meio de sua terceira temporada de uma forma bem consistente. Como previ lá no começo a temporada está sendo sim muito boa, com pouquíssimos fillers, arcos bem amarrados, posições que esperamos pelos roteiristas desde o início da serie sendo tomadas, algumas histórias mal resolvidas regressando para seus esperados fechamentos. Enfim após a apresentação da temporadas nos primeiros episódios, o que vimos de lá pra cá foi muita ação e pouca enrolação. E se tem um episódio para confirmar isso para nós é "A Long Way from Home", que à duras penas coloca um ponto final em uma das questões mais batidas da série: afinal Fiona vai pegar a guarda das crianças?

E devo dizer que tudo teve um sabor catártico de vitória. Todas as partes do processo, desde Fiona arrumando a casa para a recepção dos seus pimpolhos, conseguindo um advogado, até a linda cena final em que finalmente estavam todos em casa. Fora claro, as sambadas que tivemos pelo caminho, e olha que tivemos de um tudo: ressurreição da tia Ginger apenas para morrer de novo (a pobre coitada não teve nem 24 horas de regresso), receptação de corpos, falsificação de assinatura e atestado, decapitação de cadáveres... Isso porque não estamos contando com o "lado b" da história, aonde Frank corria na contramão para manter os seus filhos, e manter os cheques do serviço social. Entre uma bebida e outra Frank se aprumou, foi em uma reunião do AA tentar roubar uma medalha, chorou uma declaração de bom comportamento para o padre e ainda teve tempo de recuperar um viciado em sexo (ou pelo menos as medalhas dele).


Enquanto isso na casa mais carnavalesca da série, a cuíca não parava. Tivemos primeiramente a ala chinesa da família vindo buscar Hymie, coisa que me surpreendi foi a facilidade com que Sheila abriu mão do neto, mas depois todos nós entendemos... Afinal não é uma ambiente seguro para uma criança uma casa em que o adulto responsável faz um auto bola gato ou convida os amigos para uma partidinha de fast orgia, e claro, não vamos esquecer do estrangulamento também. E ao que tudo indicava como que num passe de mágica, Karen sentiu o cheiro de que a criança não estava na casa e simplesmente regressou. E como foi lindo, chorei muito aqui quando vi aquele rostinho em cena, tenho esperado por esse momento desde o início da temporada, Sheila abraçando ela, ela comendo, falando sobre o bebê... Não sei dizer o que foi mais lindo.

Mas no fim das contas todas as forças estavam sendo reunidas para a épica cena final do episódio, que esperamos a muito tempo: Fiona enfrentando Frank Gallagher num tribunal. Confesso que com toda a preparação que tivemos, esperava que a cena fosse maior, tudo bem que tudo foi incrível, mas podiam ter disponibilizado um tempo maior do episódio. Porém em Shameless é tudo corrido assim mesmo e a maior parte ficou mesmo na corrida da preparação para a audiência. O que de forma alguma tirou a soberania das cenas debochadas de Frank metendo os caôs e mostrando as suas medalhas, ou o brilho do discurso emocionado de Fiona na luta pela guarda de seus irmãos. Quando ela fala sobre o incidente aos seis anos, o roteiro nos trás a tona todo o drama que fica escondido por de trás dos lençóis cômicos da série. Fiona agora assume uma grande responsabilidade pelo resto de sua vida, e se já não estava fácil, as coisas só tendem a ficar mais pesadas, até porque pelo que tudo indica Jimmy não parece compartilhar da escolha que a namorada fez, e estefânia está a apenas uma ligação de distancia.


Voltando na "Trouble Girl", parece que o último episódio veio para mostrar quais eram as verdadeiras intenções de Karen, e do que se tratava a sua volta. Àqueles que desconfiaram do seu oportuno aparecimento, estavam certos. Eu já havia cantado essa pedra há algumas reviews atrás, que o retorno da menina não seria nada calmo, pois parece que ela funciona como uma mini Monica. O foda é que mesmo ela prejudicando todos a sua volta, Mandy, Lip, Sheila, Jody, Hymie, não conseguimos deixar de amá-la, Laura Winggins tem uma puta atuação e torna a personagem carismática, persuasiva e interessante, dando um banho na concorrente. E ao que tudo indica Karen veio para ficar, e quer tudo o que é seu de volta, Lip foi a parte mais fácil, agora jogar a chinesa contra Sheilinha para ela não ver mais Hymie foi de cortar o coração. Uma avó que veste a camisa dos retardados, deveria ter a guarda do seu neto para sempre.

Enquanto isso na recuperação do álcool eis que Frank fez um amiguinho. É engraçado porque é muito típico dessas pessoas sugadoras que vemos todos os dias, e o protagonista personifica todos os estereótipos dessas pessoas, que não podem ver um coração necessitado, um alguém disposto a se sacrificar para fazer outro feliz, que já está lá, sugando ao máximo que puder. Confesso que também fiquei muito grilado com a pira dos animais empalhados, mas se tem uma coisa que sou certo é que disso Frank não morreria... Ele dava um balão no assassino e ainda empalhava o próprio. E ao que tudo indica (pela promo no fim do episódio) essa união dos dois ainda vai dar pano pra manga. Acho que vai ser um arco muito divertido para esses próximos episódios, e vai ser bom também para o Frank largar um pouco do pé da família.


Enquanto isso no arco principal do episódio os Gallaghers colhiam os frutos das atitudes tomadas as pressas do episódio passado, mais especificamente por terem matando tia Ginger. Todo mundo correndo atrás do prejuízo, cada um a sua forma, ou para tirar o primo Patrick do caminho, ou para fazer dinheiro na busca de um lugar descente para morar. E devo dizer que essa pira do dinheiro rendeu um dos plots mais divertidos da série, que foi ver Jimmy trabalhando, a cena dele mexendo com fossa e saindo barata de dentro da luva dele foi simplesmente impagável. E depois do choque de realidade, ao que tudo indica, essa não é bem a vida que o rapaz quer para ele. Com a oportunidade de morar com Estefânia, recuperar sua carreira e ser bem sucedido o rapaz está bem tentado, e a cada dia mais desgastado com o "Gallagher way of life", eo reaparecimento de Tony deixa bem claro que temos coisa vindo por aí.

Eu já estava quase perdendo as minhas esperanças quanto a manterem a casa. Porém se os mais velhos já estão desgastados por terem que tomar conta de tantos problemas, é aí que os novos Gallaghers entram em ação e provam que experiência de vida e espirito de truque é uma coisa que vem de berço. Sério, é incrível como Carl e Debbie estão crescendo essa temporada e ganhando mais personalidade. Se a sociopatia de Carl já era uma coisa divertida desde o início da série, eis que agora ela toma formas maiores, e foi realmente uma sambada de tirar o chapéu o plot do veneno de rato. E o que dizer da historinha de Debbie sobre o suposto molestamento do tio? Juro que fiz a mesma cara que Fiona, mas crescendo nesse ambiente onde cada um tem que lutar pelo seu pão diário, não era de se surpreender que os mais novos crescerem para virarem essas coisinhas frias e calculistas.

No mais é isso... Há voltou lá o plot insano do fecunde sua sogra, mas como eu não curto V e Kev mesmo, não vou dar atenção a essa parte. Até a próxima!  

Talvez Você Curta

1 comentários

  1. Diferente de você, não suporto a Karen desde a 2ª temporada e ADORO a V. e o Kevin! rs

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe