Shameless 3X09: Frank the Plumber

quinta-feira, março 21, 2013


Nobody is so Queer as Folk!


Há! É isso mesmo que você leu. Esse Episódio de Shameless não poderia ter sido mais gay, e olha que ultimamente temos tido umas doses ousadas de Ian nas telinhas. Troque Pittsburgh por Chicago, e troque rapazes novos e afetados por um pai de família sério, que apenas curte levar uns consolos no rabo de vez em quando, e as vezes, eu disse "as vezes" ganhar um boquete de uma trava e dar uns beijinhos de despedida. Não entendeu ainda? Eu explico: ao contrário de Ian que adora viver no armário esbanjando testosterona com o seu namoradinho, seu pai acabou se revelando um orgulhoso e exibido gay, membro honorário da comunidade, na qual tudo que queria era ter direitos com o seu parceiro, e claro, o seu seguro social, toda a sua comida na geladeira, sua casa, e se pá todo o dinheiro do pobre coitado.

William H. Macy é um ator tão completo e tão dentro do personagem que é realmente difícil capturar esses momentos no qual ele se destaca "mais ainda". Mas quando o roteiro permite, e dá liberdade de atuação para isso, o ator não só samba como sapateia na nossa cara. Juro que até eu fiquei impressionado com aquele discurso, não só eu como Fiona, o chefão lá do "Gay Rights"... Até Carl já estava achando que o pai era gay, mas é claro que não podemos levá-lo em consideração, afinal o pobre coitado compra qualquer coisa que Frank diz para ele. Mas o foda é isso, a vida de Frank é feita de oportunidades, ele é um oportunista nato e sabe como fazer isso, muito melhor, sabe como viver disso. Por isso ele nunca se preocupa em fuder com uma história aqui, porque ele sabe que no dia seguinte novas oportunidades aparecerão. Esse arco de Frank gay está prestes a virar uma bola de neve, só quero ver aonde isso tudo vai dar. E claro, rir muito, com cenas como aquela do bar com Frank cantando no karaokê.


Mas também tiveram alguns personagens que não estavam tão na crista da onda como Frank e fizeram aumentar novamente o nível de drama na série. É impressão minha ou Shameless tem aumentado consideravelmente o número e a qualidade dos eventos dramáticos na série? Acho tudo muito de tirar o chapéu, afinal nem só de pastelão vive uma boa série, e prova que a mesma não precisa de um único personagem "Monica" para trazer todas as merdas à tona e fazer as coisas ficarem intensas. Intensas estavam as coisas entre Mickey e Ian, que inconformado ao saber que o namorado ia casar, resolveu colocar o mesmo contra à parede e dizer todas as merdas que ele tinha guardado durante todo esse tempo de passividade, só que não! De um jeito ou de outro foi uma forma dele libertar o rapaz, tipo de coisa que só quem ama é capaz de fazer, afinal todos sabíamos que se Ian o pressiona-se e o permitisse uma bela surra de porrada catarse, o rapaz se sentiria melhor e seguiria o seu caminho.

Quem também não estava nada bem era Sheilinha, me corta o coração ver uma personagem tão alegre e tão viva quanto ela naquele estado depressivo, só mesmo Karen "Cold Hard Bitch" para colocar ela nesse lugar. Estou realmente angustiado com a situação da personagem, porque parece que todos os seus medos estão prestes à voltar, e com todo o desenvolvimento do final do episódio não seria nada surpreendente se amanhã ou depois ela voltasse ao seu TOC e não saísse mais de casa. O bom é que pelo menos dessa vez Debbie estava lá, e enquanto uma queria uma mãe, a outra queria uma filha. Foi muito lindo de se ver aquela cena das duas se abraçando, e Sheila dizendo para Debbie que não era culpa dela Monica ter fugido.


Quem também parecia estar em seu inferno astral era Jimmy, que não dava uma dentro no dia, perdeu dinheiros no pagamento, perdeu o carro que havia roubado e na sequência"ironicamente" ainda foi roubado... "Carma is a Bitch!". Mas legal mesmo são as cenas dele com Beto, que ao contrário de Estefânia sabe falar um bom "Puta que o pariu" em português correto, é muito identificante. E no fim, tudo se tratava de sonhos, vemos Jimmy reacender a chama pelos seus anseios acadêmicos, enquanto do outro lado da cidade Fiona consegue um "Real Job" em um escritório e tudo mais, e vê seus sonhos de ter uma vida normal se concretizando. Confesso que me emocionei com aquela cena dela dentro do metrô, olhando para os outros cidadão comuns, e dando aquele sorriso tímido, feliz por fazer parte do mundo cotidiano. É claro que todos esses sonhos diferentes levarão Jimmy e Fiona a tomarem rumos diferentes na história, e ao que tudo indica a moça já possui até um novo potencial romântico. Impressionante como ela não alivia para nenhum patrão. É chefe, ela está catando.

Quem também parece estar prestes a alcançar todos os seus sonhos é Lip, que após o gesto de devoção de Mandy Mandela, resolveu assumir uma postura no relacionamento com a garota, isso depois de ter esculhambado com ela mais algumas vezes... Nada que um "Sexo de Perdão" não resolva. Toda aquela pira de trepar pedindo desculpas deve ser realmente muito bom! Fiquei interessado na pira. Do outro lado da história estava ela imponente, mais linda e mais vadia do que nunca, praticando os seus bulling com Mandy, e dando para Lip apenas por capricho, ao contrário da outra que realmente gosta da pica. E se Lip acha que tem que ficar com quem te faz bem, penso exatamente o contrário, afinal a paixão está aonde o tesão está. Mas no fim das contas não existiu nenhum bom samaritano, todas as duas querendo salvar o seu, e Mandy sabia que se ela não desse um ponto final na história da rival as coisas iriam continuar acontecendo da mesma forma. E que belo de ponto final hein! Grandiosa saída para Karenzinha, que já havia dito: Tinha voltado na história para causar! "Monica II"! Possuída! A cara da Maldade!

 

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe