The Voice UK 2X01: Blind Auditions 1

domingo, março 31, 2013


"The Voice is back! (but say that in a british way)" ou "Will I Am e a sua vitória premeditada!"

Pode comemorar! O meu, o seu, o nosso The Voice favorito está de volta! E como se o tempo fosse cronometrado por relógio inglês, estamos aqui de volta, exatamente um ano depois da grande estréia do programa, para continuar aproveitando o melhor da música. Mais experiente e com muito mais sintonia, o show, regressa para um segundo ano de consolidação. É tempo de mostrar maturidade e melhor  execução da fórmula, provando porque o The Voice UK merece sim, ser líder das noites sabatinas britânicas.

Ao que tudo indica, é tempo de ajustes. Nenhuma novidade foi acrescentada ao programa, nenhum treinador mudou, os apresentadores continuam os mesmos, e aí fica sempre aquela pergunta... E aí? O comodismo bateu? Não sei dizer ao certo se consegui formar uma opinião meus caros, mas impressão que ficou é que apesar de tudo parecer mais completo, mais redondinho, mais bem acabado; apesar da interação entre os treinadores estar dando de dez à zero no ano passado... Apesar de tudo isso, eu fiquei ainda com o leve sentimento, de que esse pode ser sim, um ano às sombras da primeira temporada. 



A falta de destaques e grandes nomes, fez da "season premiere", que deveria ser explosiva e inesquecível, bastante morna e um pouco apagada. Com o término do episódio, a sensação que ficou foi que esperávamos alguma coisa... Que não veio. Faltou o "X Factor" do episódio... sem trocadilhos. Porém tudo isso, não desmerece de forma alguma a estréia da segunda temporada, que foi sim um bom episódio, com direito a boas apresentações, brigas, ótimas cenas, e um show de abertura que coloca o do ano passado no chinelo. Sem "I Gotta a Feeling" e "Beautiful Day", parece que depois da final os produtores entenderam que o forte dos cantores juntos são realmente os Medleys, e que como é muito difícil tentar harmonizar qualquer coisa com a voz de Will I Am, é melhor então não arriscar.

Apresentações a parte, a interação entre os "coaches" não poderia estar mais em alta. Parece que finalmente todo mundo pegou a manha do negócio e engrenou. Começando pela ótima disputa no começo por Danny County, aonde Will I Am colocou o bedelho aonde não era chamado como sempre, o que aparentemente tirou Jessie J do sério. Também foram ótimas as intervenções aonde Jessie tentava desvirar a cadeira de Will, ou Danny O'Donoghue tentava fazer o mesmo com ela, ou quando todos excitados por alguma apresentação tentavam "atiçar" Sr. Tom Jones, calmo e clean como sempre... Enfim... Está realmente muito divertido de assistir os quatro esse ano, parece que finalmente acertaram na mão.  



Sem mais delongas... Vamos ao fator voz! E a temporada começou com um ótimo candidato. Ash Morgan que levou Jessie J aos seus pés, fez uma linda versão de "Never Tear Us Apart" do INXS. Isso mesmo! Quem se lembra do INXS? Pois é, os britânicos lembram! Por isso que amo o The Voice UK! O rapaz além de ter um grave excepcional, consegue atingir notas altíssimas com a maior naturalidade do universo.  Fora os agudos e os falsetes. Por tudo o que fez, no fim das contas Jessie realmente mereceu levar o candidato.



Na sequência tivemos o que considerei a performance mais tocante da noite. Com uma voz envolta por um grave e uma aspereza, Danny County além de ter um timbre maravilhoso, parece ser bem treinado. Sua versão de "About You Now" do Sugababes, foi tão bonita e inusitada, que já de cara gerou a primeira grande "fight" do programa. E no fundo acho que concordo com o ponto de vista do Will... Acho que Danny saberia treinar melhor o rapaz, que acabou sendo o segundo grande acréscimo ao #TEAMJESSIE.



Com toda a historinha de Leanne Jarvis, e com toda a mistica de piriguete que a edição do programa fez em torno de suas fotos, quando a menina subiu ao palco eu já estava em completo descredito. Qual então não foi a minha surpresa quando essa menina abriu a boca e provou que faz jus ao nome, e não pretende desonrar a linhagem. Janis? "Danm you bitch!" Que agudos incríveis, que voz fabulosa, que performance fantástica. Fiquei simplesmente boquiaberto! Claro que ela era uma adição óbvia ao #TEAMJONES por "N" fatores, mas parece que Will I Am está realmente decidido a pegar todos os os melhores candidatos esse ano e seguir rumo a vitória! E acho sim que ele vai treinar muito bem essa menina, não só no quesito voz (aonde ela não precisa muito), mas também no quesito produto, aonde ela tem muito potencial.



Apesar do fator "blind", a performance de Andrea Begley não me apeteceu nem um pouco. Muito nervosa  e com a voz quase quebrando, a cantora parecia que estava cantando à beira de um precipício, ou até mesmo em um velório. Sem o mínimo controle emocional ela fez uma apresentação bem mediana... Eu diria que mirou em Rachael Leahcar e acertou em Kátia Cega. Danny O'Donoghue ao sentir o seu nervosismo dentro de seu grande potencial, não só virou a cadeira para a menina, como também foi super fofo indo à frente cumprimentá-la. Apesar de se encaixar como produto muito mais no #TEAMJONES, a moça não conseguiu ficar imune aos encantos do vocalista irlandês e foi a primeira a integrar o seu time.

 

Por falar em performances fracas, vamos ao combo dos que não conseguiram. O primeiro foi Louis Coupe, que apesar de ser um grande músico, auto-didata, diretor de musical, garoto prodígio, foi consumido pelo nervosismo e sua apresentação ficou no quase. Bem mais relaxado depois, quando solicitado á cantar uma segunda música, o rapaz deu show e fez os treinadores se arrependerem de não terem apertado o botão. nem tão injusta assim quanto a saída dele, foi a eliminação da estranha do cabelo pink e de Kavana, o grande clichê britânico do The Voice. Sim, porque eu digo que todo mundo nessa ilha, ou tem alguma conexão com algum tipo de realeza ou já fez parte de uma "boy band", mas o cantor é bem ruim hein... Vou te contar, só nos anos 90 para fazer sucesso mesmo!



Confesso que depois de Leanne Jarvis, aprendi a não julgar o livro pela capa, mas foi inevitável, ao olhar para toda a história de Mike Ward, e todo o seu estilo e não achar que o rapaz ia subir ao palco e cantar um rap ou um pop bem bagaceiro. Qual não foi a minha surpresa quando o rapaz começou a cantar ninguém menos que Chris Young! Para tudo! Mudamos para o The Voice US e eu não sabia? WTF?! É claro que ele está bem aquém da voz do cantor, mas ele tem um que de suavidade que mescla com o seu grave, dando um tom único e muito especial à sua voz. Juro que depois dessa fiquei muito passado. E é claro que ele era a cara do #TEAMJONES, que ao que tudo indica parece ter um Adam que canta bem esse ano!



E eis que não poderia faltar né! Toda a temporada Jessie J dá o seu fiasco virando para uma candidata que não merece estar no programa. Pois então, Katie Benbow parece ser a Ruth-Ann dessa temporada. A menina que subiu ao palco com todo um look gótico, com toda a pinta de que iria cantar algo da Tarja Turunen, me solta um belo de um "Feeling Good" esbanjando toda a sua teatricalidade... Só que não. Além de ser ruim, ainda fica fazendo umas paradas bizarras com a voz, que sem brincadeira... Dei muita risada aqui. Essa aí vai precisar de muito treinamento Jessie! Estragou o time à toa!



Mas o melhor estava guardado mesmo para o final. O primeiro "pimp spot" da temporada não só nos deixou de queixo caído, como também tenho certeza que emocionou à todos os que assistiam. Ao som de um belo de um folk Matt Henry parece ter deixado toda a sua alma e todo o seu espírito no palco. Foi uma apresentação muito linda, e como Jessie J disse, com certeza teve algum propósito e muitos sentimentos envolvidos. A escolha de "Trouble" de LaMontagne, parece ter caído como uma luva para a voz do cantor, que além de demonstrar todo o lado mais encorpado de sua voz pode atingir ótimos agudos. O rapaz era um "math" perfeito para o time de O'Donoghue, mas Will I Am que não veio para brincadeira essa temporada, rapidinho tratou de criar uma ligação com o cantor e arrastá-lo para o seu time. E que time!


E ao fim da primeira noite do The Voice UK, ficamos com o seguinte placar:

#TEAMDANNY faturou uma das candidatas que eu tenho menos confiança, mas que tem um grande potencial no programa devido à sua história. Andrea Begley é a única integrante do time, que aparece na lanterninha depois desse primeiro dia.

#TEAMJESSIE aparece ali na disputa ferrenha com o time campeão por um lugar ao sol, e se não fosse o acréscimo da péssima  Katie Benbow ao time, com certeza eles estariam na frente. Junto com ela aparece no time a grande voz de Ash Morgan e toda a versatilidade de Danny County, que parece ser uma mistura de Max Milner e Vince Kidd. Espero que Jess saiba trabalhar bem com ele assim como trabalhou com o loirinho o ano passado.

#TEAMJONES ao que tudo indica não se beneficiou muito com o nome de campeão que carrega da temporada passada. Com grandes perdas nesse primeiro programa, o time conseguiu se consolidar através do nome de um grande candidato. Mike Ward deixa Tom Jones ali na cola de Will I Am brigando, novamente, cabeça a cabeça pela vitória esse ano.

#TEAMWILL leva a crer que esse ano não irá perder muito tempo, e já larga na frente arrematando os melhores candidatos da competição para o grupo. Com Matt HenryLeanne Jarvis, Will I Amm consolida até agora o time mais forte da temporada e mais preparado para vencer, e dá largada na frente de seus competidores pelo contrato com a Universal Music.

No mais é isso, sem muitas emoções, porém com muitos twists em relação a configuração dos times, The Voice UK dá largada a sua segunda temporada, mais interessante do que nunca, e promete um nível de qualidade bem semelhante ao que o consagrou na sua primeira temporada. Fiquem aí com um videozinho com extra e bastidores do programa e até semana que vem meus caros.

Talvez Você Curta

12 comentários

  1. Matt Henry não foi só o melhor da noite, mas tb foi o momento mais engraçado e o mais emocionante. Qdo começou a história dele e olhei pra TV, juro que achei que era um daqueles momentos de falar dos coaches, pq irmão perdido do Will, sem dúvida!

    Saudades de Ruthinha ainda, mas tá valendo esse retorno ;D

    ResponderExcluir
  2. mt parecido com will né?! Impressionante...

    ResponderExcluir
  3. gente vcs sabem um site onde encontro para baixar?

    ResponderExcluir
  4. Eu REALMENTE não sei porque mais até que eu gostei daquele ser gotico KKKK

    ResponderExcluir
  5. Foi bem isso aí, Jairo!
    Uma delícia de acompanhar!
    Ótimo nível dos candidatos, dos técnicos, da qualidade técnica, sem contar que não tem comerciais durante a exibição!! *-* Estou gostando mais que a versão UK!!

    ResponderExcluir
  6. Eu acho que a Jessie só virou porque foi na onda do Danny. Visual legal o da Katie, mas não combina com a voz dela, que a propósito não me agradou...

    ResponderExcluir
  7. Alguém sabe um site que disponibiliza a legenda em inglês pelo menos? Rodei esses sites de legendas todos e não achei nada! =/

    ResponderExcluir
  8. a Jessie virou pq o danny falou " vc pode treina-la!" ai ela foi ;)

    ResponderExcluir
  9. tô achando os cantores num nivel mto superior ao do the voice US
    nos EUA as vozes estão ficando mto comerciais...pouca criatividade...

    Mike Ward e Matt Henry... favoritossss

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe