Castle 5x21: The Squab and the Quail.

sexta-feira, abril 26, 2013


Castle, onde estamos indo?
ALERTA DE SPOILER:


Eis uma pergunta que eu gostaria de ouvir a real resposta… Após assistir ao episódio desta semana de Castle, confesso a vocês que me senti confusa quanto aos sentimentos mistos encontrados neste plot. Ainda que eu acredite que a predominância das sensações centrou-se na percepção confusa que aturdiu a minha mente ao término do episódio. E enquanto Beckett abria esta questão a Castle, eu carrego a mesma interrogação a Marlowe... Para onde seguiremos?

A verdade é que as cartas lançadas à mesa em The Squab and the Quail, não foram sensatas em uma percepção imediata, e diante deste fato a primeira sensação que me ocorreu foi que a mudança de ordem na apresentação dos episódios pela ABC afetou a evolução destes enredos. E em face desta circunstância, questionei-me se deveria escrever este texto, ou deveria aguardar pelo próximo episódio para alcançar minhas conclusões.

A principio, eu havia me decidido por aguardar Still, pois a minha preocupação era em levantar conjecturas negativas sobre o episódio que não condiziam como real culpa do roteiro, e sim do acaso pela mudança de cronograma da emissora... Porém, erros acontecem. Se é que este foi o caso. Mas o fato é que o 22º desta temporada foi disponibilizado para download na Alemanha, e em nossa atual era da informação, isto significou que o episódio foi disponibilizado para o mundo.

Diante da possibilidade surgida, acabei por assistir Still e logo em seguida revi o episódio de The Squab and the Quail. E desta forma admito, que manterei a consciência “limpa” ao expor minhas opiniões sobre este episódio.
...

Em parte, todos nós estávamos corretos. A sequência de apresentação prejudicou a evolução de alguns plots. Apesar de conhecer quais foram os problemas decorridos por conta desta “troca”, não irei expor os fatos neste review. Principalmente, em respeito àqueles que não assistiram a Still. E também porque esta “falha” não mudaria a minha posição inicial de desagrado sobre o episódio desta semana.

The Squab and the Quail apresentou um ótimo caso, uma belíssima participação convidada (em todos os sentidos), e seguiu por um ritmo bem dinâmico. Porém algumas falhas se sobrepuseram às suas qualidades. O primeiro foco que levanto sobre isto, está no assunto mais discutido da semana e plot do episódio. Qual o futuro do relacionamento de Castle e Beckett.

Bem... Eis um fato que todos nós sabíamos que cedo ou tarde seria levantado, e que se Marlowe não “balançasse” as estruturas do relacionamento do casal protagonista antes de acabar esta temporada, ele perderia o meu respeito. Nada disso é novidade para quem acompanha uma boa série, porém não é a previsibilidade que atrapalha a qualidade, de forma alguma. O que realmente prejudicou a abordagem deste foco foi “pular” alguns degraus para almejar este topo.

Durante toda a temporada assistimos uma Beckett que buscava encontrar o seu caminho com Castle, alguém que procurava afirmar a si mesma seus verdadeiros sentimentos pelo escritor, e tentava gradativamente permitir a exclusão das próprias barreiras psicológicas criadas para não evoluir em um relacionamento. Enquanto Rick compreendia a detetive e permitia que o relacionamento fosse ditado pelo ritmo imposto por Beckett. Ele reconhecia sua dificuldade e não forçava a evolução do casal sem reconhecer pleno consenso por parte de Kate.

Então a virada de mesa deveria ser exposta no episódio desta semana, e por sinal foi o que ocorreu. Porém, enquanto Beckett seguia em passos curtos e recebia apoio de Rick. Em último instante, ela decidiu largar em uma corrida na qual Castle não reconhecia participar!

Se você leitor acredita que eu estou exagerando nesta afirmação, peço a gentileza de caminhar comigo em uma reflexão mudando a perspectiva deste cenário, e olhemos para este contexto através do olhar de Castle...

Durante quatro anos nosso escritor aguardou uma oportunidade para que Kate lhe abrisse o coração, depois ele esperou por quase um ano para ouvir uma declaração. E de repente em um episódio ele é pressionado porque não deu um anel de noivado a Kate... Esta linha do tempo não ficou meio distorcida?

Eu compreendo que as séries apresentam episódios curtos e que muitas vezes algumas evoluções são lançadas com “saltos” pela impossibilidade de oferecer a fluência necessária aos fatos. Mas no contexto da temporada, a série é mais do que longa para apresentar uma gradação agradável à storyline explorada. E nesta conjuntura The Squab and the Quail, é um furacão que surge depois de uma brisa. E não apenas pelo caminho escolhido ao roteiro que determinará os rumos deste final de temporada, mas o episódio também é muito rápido na evolução apresentada para alcançar este ponto.

...Tudo começa com uma Beckett chateada por não conquistar a atenção de seu namorado, obcecado por um Playstation 3. Realmente, é motivo de frustração... Mas então, para evoluir nas insatisfações de nossa detetive o enredo apela para algumas “furadas” de Castle que não condizem ao seu personagem. Como por exemplo, esquecer-se de citá-la na sua “Lista da última ceia”, ou concordar com Beckett quando a mesma diz que Éric Vaughn não se interessaria por ela... O personagem de Rick sempre foi estruturado em um perfil de pessoa perspicaz e observadora, o cara que está atento às reações das pessoas enquanto conversa com elas. Ele nunca deu estas “mancadas” até agora, por que de imediato, ele acertaria em cheio para expor toda a sua falta de tato de uma só vez?

Outra questão que segue pela mesma linha de raciocínio, é que Beckett demorou muito para comentar sobre suas decisões na vida. A morte da mãe que lhe destinou a tornar-se detetive, o fato de que ela sonhava em ser advogada. Estas foram revelações que nós fomos descobrindo aos poucos, assim como Castle. Por que ela revelaria seus sentimentos tão rapidamente para um homem que acaba de conhecer? É... Eu sei, eu sei. Ioan Gruffudd é irresistível e o seu personagem, acertou no alvo. Mas o fato é que circunstâncias de roteiro como estas tendem a expor um enredo com diálogos forçados.

Eu havia dito que os pontos negativos foram mais notáveis do que os positivos, porém, seria tendencioso não expor o outro lado da moeda de The Squab and the Quail.

Uma das principais observações positivas que percebi durante este episódio foi o fato de que um ator convidado se posiciona como um dos protagonistas do enredo. Sua participação é importante ao contexto tanto quanto a do elenco principal. Na realidade, as cenas das quais Ioan Gruffudd participa, apresentam diálogos onde há o domínio de seu personagem e Stana Katic tem a responsabilidade de acompanhar o seu ritmo. Isso é muito bom, pois renova as noções de observação do telespectador, remove o cansaço da utilização dos protagonistas do seriado para guiar o roteiro.

Ainda falando de remoção do cansaço e renovação, a personagem de Tory Ellis (Maya Stojan) aparece pela segunda vez nesta temporada, contracenando com Esposito. Por alguma razão, senti que a possibilidade de envolvimento entre estes dois não é “carta fora do baralho”.

Castle está mais “livre” na delegacia. Há quanto tempo não o víamos investigar um caso sozinho, ou tão despojado no ambiente de trabalho da Kate? Eu particularmente, gosto muito da exploração deste cenário, onde o escritor demonstra as habilidades adquiridas em anos de pesquisas, composições de livros, e não largar o “calcanhar” de Beckett.

O fato é que em uma avaliação singular, onde observamos as qualidades do episódio sem comparações maiores, o resultado é positivo. Com a exposição de um bom plot associada à dinâmica apresentada. Porém, quando ampliamos o cenário desta avaliação para os pontos que The Squab and the Quail aborda e trás como premissa que determinará a reta final desta temporada, enxergamos falhas nesta “timeline” que poderiam ter sido tratadas com a abordagem deste tema mais previamente.

Diálogos e cenas muito boas:

(Castle conversando com Patel):
...Porque eu tenho algo especial para você.

(Beckett enquanto inicia um streap teeseI):
E eu também tenho algo de especial para você.

(Castle falando com Patel, mas olhando para Beckett):
Isso não parece tão bom.

Essa doeu!


(Beckett):
Castle, você prefere jogar com um garoto em um mundo imaginário, ou com... no mundo real?

A indefinição de Castle foi hilária em frente à pergunta. Para piorar temos o épico do mal perdedor: “Eu perdi de propósito por você”.


Quando Castle percebe a presença de Éric Vaughn ele dá uma tapa no peito de Ryan perguntando se é ele mesmo. Percebam que Ryan perde até o ritmo de seu diálogo.


 (Castle):
Eu só não acredito que o departamento está forçando-a a andar com um rico mulherengo contra a vontade dela.

(Ryan):
É inacreditável!

(Esposito):
Ela nunca fez isso!


Por todo o episódio Castle tentava “dar uma de chefe” com Ryan e Esposito, o mais engraçado é que ele não conseguia a atenção deles e acaba voltando e pedindo, “por favor”.


Castle viciado com café. Acreditem! Eu compreendo o que é isto.


Quando Ryan precisa pegar o depoimento de Kate e pergunta onde ela estava e depois onde Vaughn estava, então ele quase tromba com ela. Notem que Ryan percebeu o rumo da conversa antes de Castle.


(Castle):
Então ele comeu o prato errado e evitou ser envenenado, então ele se desequilibrou no momento exato para evitar de levar um tiro de um assassino pela janela. Ninguém tem tanta sorte.


A sacada de que o fato de Beckett empurrar Éric Vaughn quando ele tenta beijá-la é o motivo dele não morrer foi inteligente, pois assim ela tinha uma prova irrefutável de sua lealdade a Castle.


A cena final com Castle tentando se redimir do vídeo game, foi muito bonita e extremamente na medida da mancada que ele cometeu. Porém quando Beckett lhe questiona para onde eles estão indo, ele não responde de imediato, na realidade ele demonstra êxito antes da resposta. Fato que eu interpreto de duas formas. A primeira seria que ele não queria estragar o momento com uma conversa sem fim. A segunda é que ele sabe o que deve fazer, mas quer fazer papel de “bobo” até seguir pelo caminho ditado com todas as sílabas por Martha.


E você leitor, para onde você acha que Marlowe pretende direcionar o caminho de Castle e Beckett nesta reta final?

Talvez Você Curta

12 comentários

  1. Sol, parabéns pela review. DE NOVO. Vc arrasa sempre!

    Sobre o episódio... eu gostei. Me diverti e tive mta raiva do castle, tanto é que só vim pensar direito lendo a sua review. Cada burrada dele me dava mais raiva e eu surtei com a resposta final. Frustrante. Bastava dizer "espero que em frente" e todo mundo ia dormir feliz....

    Entendi essa "corrida" da Beckett como a demonstração de insegurança da vez pq lembrei de uma conversa no 3x16, em que ela diz que adorava o fato de Josh ser ocupado pq lhe dava oportunidade de manter um pé atrás no relacionamento. Dessa vez ela se jogou, ta investindo, deu uma gaveta, fez a melhor festa surpresa ever e falou que ama (é em still ne?), ou seja, ta sem proteção nenhuma, não pode recuar, a possibilidade de se machucar é enorme e Castle tá acomodado, então ela quer respostas, quer segurança. Compreensível, mas eu me perdi pq pra mim essa discussão sobre o estágio do relacionamento seria abordada posteriormente. Ainda tem mta coisa em aberto, há uma sequência de conversas mal terminadas ou simplesmente que nem existiram que precisam ser revisitadas. A prova de que o relacionamento deles é assim, é aquela discussão do 3x24 quando o Castle diz "nos beijamos e nunca falamos sobre isso, quase morremos congelados nos braços um do outro, mas nunca falamos sobre isso, então não, eu não faço ideia do quê nós somos".

    Tudo é sempre mto turvo, a Beckett fingiu amnésia por um ano, isso machucou o cara mas nada foi dito. O Castle não contou sobre o pai dele e não tá nem ai pra isso, mesmo escavando por quatro anos a vida da Beckett. Esta, por sua vez, se incomoda por ele abrir-se pouco, mas mesmo assim a série segue de boa, bota uma história de FBI (próximos episódios) e desenvolve um drama sobre não ter havido até agora um pedido de casamento pra ver se a gente engole. Sim, pq é totalmente normal, todo mundo casa depois de 7 ou 8 meses de namoro, então 1 ano já é esperar demais. Desculpa, pra mim não dá. Tá estranho.

    Enfim... ansiosíssima por Still, tão falando que um episódio lindo *_*



    *Sorry, escrevi mto "/

    ResponderExcluir
  2. Esqueci de comentar que tá na cara que Gates sabe do dois, e eles não tavam nem preocupados em esconder dela então eu acho que deve ter acontecido uma coisa bem interessante em Still, caracterizando mais uma falha na continuidade do enredo. ABC sempre cheia de "pra-quê-isso?", genial, amor eterno (y)

    ResponderExcluir
  3. Parabéns!!Finalmente alguém que viu o episódio como eu vi. Simplesmente forçado.

    A Kate enrola o Castle durante um ano inteiro, dizendo estar com aminésia e depois de SÓ um ano de namoro quer saber onde está indo a relação? Olha o açodamento,Kate...

    A psicologia nos ensina que pra saber como nos sentiremos em determinadas situações é só nos colocarmos no lugar do OUTRO. Se fosse o Castle permitindo o beijo pergunto:Ele seria compreendido, perdoado tão facilmente? Acho que não...

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Val, e você falou e disse, fiquei com medo de falar o que pensei do epi, mas o fato é que preciso ser sincera com vocês, então gosto quando eu penso em algo que outro alguém também compartilha do fato.

    ResponderExcluir
  5. Pri, então... algumas coisas sofreram sim pela consequencia da mudança, e este é um destes... mas não vou soltar spoiler. O fato é que a partir de agora a relação Castle e Gates segue para o rumo que eu tinha comentado, onde ele vai deixar de "pisar me ovos" e isto vai ser bom.
    Porém sobre falar da mudança da sequencia...
    Não quis abordar o assunto na review, pq questionar a emissora é uma assunto complexo.
    Castle vem em um bom ritmo na audiência e apresentar uma reprise poderia prejudicar este "embalo". Principalmente quando a série não tem confirmação exata de sua renovação, em nada divulgado pela emissora, e enquanto não temos a confirmação, a mesa anda e a corda pode arrebentar por uma furada de fim de temporada.
    Segundo temos a questão que a sequencia correta poderia ser encarado pelo público extremamente patriota norte-americano, que isto seria uma ofensa e falta de respeito com os atentados.
    Terceira e mais importante, o episódio desta semana apresentou o maior rating da temporada. Castle dominou a noite e subiu o ranking em 0,3 deixado pelo seu lead in "DWS". Logo, como posso afirmar que a emissora errou, se na realidade, no principal quesito de seu foco, ela acertou na mosca?

    ResponderExcluir
  6. Olha, Sol, entendo completamente seu ponto de vista, essa questão não caberia na review pq não faria sentido mesmo e foi uma decisão acertada. Castle de fato arrasou na audiência, sambou na cara de geral e eu fiquei morta de orgulho, mas ainda to irritada com a falha na continuidade. Não concordo com algumas decisões da ABC e essa foi uma delas então eu tô de /mimimi mesmo. Fora que tem fã cego que achou a troca mto boa pq fez total sentido (y) oooooooooooooooook, epi 23 e season finale tão aí mandando beijos pra todo mundo, dando risada a la Paola Bracho. uahuahuah tô dramática num to? É meio que uma TPM constante enquanto a renovação não é confirmada. Me perdoa. <3

    ResponderExcluir
  7. HAUHAUHAUHAUHAUAHUAHAUH Paola ruleia, tem de ser lembrada nesses momentos, ne não?

    Tbm achei triste Still ter vazado,povo do tumblr entrou em êxtase coletivo, era gif pra tudo quanto é lado, tive que dar unfollow em geral pra não ser spoilada huahauhauahhua semana que vem eu sigo de novo ^^

    P.S:adotei com vigor o TPSF AHUHAUAHAH <3

    ResponderExcluir
  8. Nossa, concordo mesmo com vc que ele se fez de bobo... mas precisava colocar as duas perspectivas no texto.
    E sem dúvidas vc tem razão de a raiva ter nos embaçado a visão e não vimos mais nada de legal do epi.
    Mas apesar de decepcionada, sei que isto pode ser corrigido de maneira simples... Uma conversa sincera do Castle mostrando suas inseguranças, a acredito que isto será abordado na Season Finale... agora se o "gancho" para a season 6 nos fará chorar ou não...? Só Marlowe sabe.

    ResponderExcluir
  9. Acertou em cheio na conclusão Amanda!
    :)

    ResponderExcluir
  10. O texto está escrita de forma sagaz, analítica, impetuosa e inteligente, apresenta as polarização existentes no episódio ' The Squab and the Quail' com objetividade e clareza, creio eu que até as mentes mais obtusas irão concordar.
    De fato neste episódio nos é apresentado pela primeira vez essa necessidade de afirmação de Kate sobre seu relacionamento com Castle, algo nunca mencionado, nem sequer sugerido até então e tratado com uma importância crucial para nossa heroína, como 'um coelho tirado da cartola' por Marlowe. Não que essa questão devesse ser deixada de lado, porém o assunto foi apresentado aos fãs de forma crua e direta, talvez aí resida a falha de Marlowe, essa indagação 'onde estamos indo', deveria ter sido dissecada mais longa e pousadamente ou ao menos citada desde a metade da temporada, assim não assustaria tanto aos fã!
    E temos um Castle fora de seu eixo, revelando-se um amante de baixo calibre, em contradição a toda trajetória de seu personagem, porém devemos lembrar que depois das primeiras 'mancadas': do vídeo game e da lista, ele está sob a influência da insegurança que é perniciosa em qualquer relacionamento!
    Ao meu ver na analise total o episódio 'The Squab and the Quail' foi boa/ positiva, pois possuiu uma tendencia ao cômico que nos fazer ter várias gargalhadas ao longo dos seus mais de 40 minutos, e trouxe finalmente a essa questão culminante e necessária a todo relacionamento que almeja um futuro, esse impasse é necessário para a evolução, para o amadurecimento da relação, porque não esperamos que Kate torne-se a eterna 'namoradinha' de Castle, e nem ela mesma!

    ResponderExcluir
  11. Também fiquei com uma sensação estranha ao terminar de ver o episódio. Li a sua review e concordo em género, número e grau. Disse tudo o que eu penso e apresentou a sua opinião de forma muito clara e coerente, parabéns! Não é que não tenha gostado do episódio, mas ficou tudo muito forçado e parece que de repente inventaram esse problema porque queriam que essa crise existisse e não porque a história em si se encaminhou nessa direcção. Ela ter ficado magoada e as dúvidas dela até são plausíveis, mas mesmo isso tudo não justifica a mudança de caractér dela de se abrir com o Éric Vaughn contando logo detalhes da vida pessoal dela, tomar champanhe com ele durante o trabalho, hesitar a dizer que o relacionamente dela era sério e chegar a deixá-lo beijá-la antes de o afastar.. Tudo bem que foi coerente a cena inicial do videogame e qualquer mulher no lugar da Beckett ficaria magoada e sempre acalma o ego ter um homem tão inatingível a cortejá-la, mas essa não foi a Beckett que nos apresentaram durante esses 5 anos, que chamou a atenção do Castle exactamente porque não se deixava seduzir por um ricaço charmoso com conversa sedutora. E achei que o Castle perdoou muito fácil o beijo, se fosse ao contrário não sei se a Beckett seria tão compreensiva. Da forma que ela falou parecia que porque não significou nada, ele não tinha porque se chatear, para quem ficou ofendida por achar que ele não confiava nela, vamos combinar que ela acabou dando bem razões para isso, o que nem deveria ter acontecido sendo a Beckett como é.. No mais, da forma como terminaram o episódio, foi quase como se fosse o Castle que tivesse errado e que tivesse algo por que se desculpar, quando entre o que ele fez e o que ela fez, acho que tinha bem mais razões ela para se desculpar, mesmo ele tendo pisado na bola primeiro. Parece que querem forçar a ideia de que a Beckett quer algo mais e o Castle não, o que acho muito descondizente com eles porque vamos combinar que a Beckett não costuma lidar nada bem com a pressão de um compromisso, quase querem fazer parecer que ela espera que ele a peça em casamento e ele tem medo de assumir esse comprimisso, quando vejo muito mais facilmente a situação contrária acontecer como se mostrou até agora. Não acho estranho ele ter medo de avançar pelo histórico de casamentos fracassados deles, mas acho sim muito forçado a Beckett sentir falta desse passo tão cedo, porque acho que eles ainda não estão nesse ponto. Eles estão juntos, ele é fiel, é atencioso (a maior parte das vezes rsrs), o que é que ela quer mais? Também aguardo a resposta ao "Where are we going?" e espero que seja satisfatória! Não vi promos nem nada dos dois últimos episódios, então estou pronta para ser surpreendida (pela positiva espero!)..
    E só para finalizar mesmo, mais alguém lhe apetecia entrar pela tv e espancar o homem quando ele começou a chamar ela de "Kate" conhecendo-a nem há um dia??

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe