Game of Thrones 3x03: Walk of Punishment

terça-feira, abril 16, 2013



Arqueiro que atira para tudo quanto é alvo acaba não acertando nenhum.


Não dá para dizer que foi ruim ou que decepcionou uma vez que “Walk of Punishment” seguiu exatamente o padrão dos primeiros dois episódios da temporada, muitas tramas, pouco tempo de tela para cada personagem e a sensação que nenhuma das histórias apresentou grande progresso. Afinal, Jon Snow continua com os selvagens, Tyrion continua tendo dificuldades de se encaixar após o retorno de seu pai, Arya, Jaime e Brienne continuam sendo capturados e irem do nada para lugar nenhum, Robb e Catelyn continuam avulsos, Daenerys continua querendo um exército e Stannis continua sendo o trouxa de Melisandre. Eu aprecio muito séries que privilegiam o desenvolvimento de seus personagens em detrimento a muitos acontecimentos em todos os episódios, como Breaking Bad e Mad Men por exemplo, porém não é o desenvolvimento que está tirando tempo da ação de fato e sim a tentativa de apresentar muitas tramas sem conseguir focar em nenhuma delas com o sucesso esperado. É justamente este ponto que fez a primeira temporada da série superior às suas sucessoras, uma vez que os personagens se encontravam mais agrupados, um ajudava o outro a ter destaque e as tramas eram desenvolvidas com mais clareza. Tanto na segunda como nesta terceira temporada, os personagens aparecem apenas para a gente lembrar que eles existem e, apesar da sensação de que pouca coisa acontece, quando existe algum grande acontecimento ele parece apressado e sem o destaque necessário.

Foi justamente o que aconteceu com o corte da mão de Jaime, que pode ser considerado o grande acontecimento do episódio, mas que, mesmo tendo sido legal e um pouco surpreendente (para quem não leu os livros, é claro), não causou o impacto que eu esperava. Isto porque Jaime vem sendo o melhor personagem da série e é o único que apresenta uma boa evolução e um desenvolvimento interessante. Game of Thrones não é uma série do bem contra o mau, seus personagens caminham livremente entre os dois lados e a trajetória de Jaime é a que mais evidencia esta qualidade da série. O mesmo que é capaz de manter um relacionamento sexual com a sua irmã e jogar um menino da janela para encobrir o costume consegue mostrar um lado bem mais generoso ao tentar livrar Brienne do estupro. Não posso esperar para ver os efeitos da perda da mão em Jaime, que era considerado o melhor espadachim de Westereos, e o quanto estas mudanças serão capazes de intervir no papel dele no jogo dos tronos.

Outro destaque ficou por conta da apresentação de Edmure e Peixe Negro, irmão e tio de Catelyn respectivamente, sendo que o primeiro foi retratado como um completo idiota e o segundo como um sujeito fodão, rebelde e até mesmo um pouco misterioso. Outro ponto interessante é perceber que Robb não consegue ser um grande líder fora dos campos de batalha e acaba não sendo tão respeitado por aqueles que deveriam servi-lo. A falta de carisma do personagem ajuda nesta avaliação, mas eximo o ator (Richard Madden) de qualquer culpa, já que no livro o personagem também não é grande coisa. Acredito que a ideia de Martin é mostrar como existem tantos pretendentes ao Trono de Ferro, mas como nenhum deles é realmente preparado para assumir tão cargo, principalmente se pensarmos que o personagem que talvez com maior potencial para rei acabou morto logo na primeira temporada da série.

Para mim, o mais legal do episódio foi a música “The Bear And The Maiden Fair”, original dos livros e gravada para a série pela banda Hold Steady. Muitos fãs já reclamaram que o estilo da música não condiz com a série, mas é inegável que a versão ficou demais, ajudou a aumentar o choque do final do episódio e deve ser um grande hit no meu iPod nas próximas semanas. Assim como aconteceu com a versão de “The Rains of Castamere”, os produtores investiram em algo bem atual, relevante no cenário musical de hoje em dia, que me passa uma agressividade e um realismo presentes na série e que, de alguma forma, consegue respeitar o tema apresentado no livro. Só não consegui fazer relação da letra com o episódio em si, mas a série nem vem apresentando episódio redondos e com um tema em comum e uma ou duas cenas de cada um de seus tantos personagens.

PS: A cena de Tyrion e Cersei arrastando cadeiras na tentativa de mostrar poder foi excelente, assim como o que foi feito com aqueles cavalos na trama de Sam. 

Talvez Você Curta

3 comentários

  1. não gostei, review muito parcial, muito voltada aos seus personagens favoritos, lamentavel qnd esses são personagens como Daenerys

    ResponderExcluir
  2. Não entendi o seu comentário mas valeu pelo feedback mesmo assim.

    Um dia eu descubro como fazer uma review imparcial, se é que isto existe.

    Só para deixar claro, a Daenerys está longe de ser uma das minhas personagens favoritas, mto pelo contrário.

    ResponderExcluir
  3. Adorei a review, exatamente o que eu penso foi expresso nela, principalmente a parte que estão deixando os personagens muito superficiais, apenas pra introduzir mais e mais,

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe