The Good Wife 4x21: A More Perfect Union

terça-feira, abril 23, 2013



 A perfeita união.

 Meses atrás existia apenas o desespero. Como aceitar que uma das séries mais bem produzidas da televisão aberta chegasse a aquele ponto? Era uma lástima, realmente, muitos pularam do barco. Mas eu estou contente em dizer que todos que desistiram se afogaram no oceano, porque mesmo ainda sendo a pior temporada da série, hoje estamos a um passo do final e eu digo com clareza que eu não me arrependo. Semana que vem a série irá encerrar mais um ciclo, talvez eu não goste dos rumos que a Boa Esposa tomou para chegar até lá, mas isso não afeta meu orgulho por estar aqui, escrevendo sobre uma série fantástica, sobre personagens fantásticos e casos jurídicos fantásticos.

 Vou começar esse texto com uma pequena confissão, eu odeio o Peter. Quer dizer, eu não odeio propriamente o Peter, mas qualquer um que viu Sex and the City odeia o Peter, ou devo dizer, o Mr. Big? Os dois são diferentes, mas os dois são iguais. O sentido mandou uma cartinha dizendo que achou esse parágrafo ofensivo, mas eu não liguei, afinal, é uma opinião bem pessoal e não afeta meu julgamento da série. Também devo dizer que eu não acho que um final focado no triângulo amoroso seria proveitoso para a série. Francamente, já temos duas temporadas desse plot interminável, muitas transas no elevador, ou fazer amor para os politicamente corretos, e mesmo assim a mulher não se decidi. É muito fácil Alicia, ou você se casa com o Governador velho e com a bunda flácida ou com o milionário advogado no auge dos 30, de qualquer forma não vai faltar dinheiro para que os seus filhos sejam malas e atrapalhem a vida dos sete bilhões de habitantes da terra. Mesmo assim tenho que admitir, tem coisa mais romântica que renovar os votos no Havaí?

 Passado o momento de desabafo, acho que é melhor eu comentar do episódio propriamente dito. Alicia e Owen vão a um enterro de um homem que eles não conhecem, a mando da mãe deles é claro. O que a Alicia não sabia era que a Veronica fez uma armação e levou a Alicia lá só pra que ela ajudasse a sua amiga. Essa amiga, e seus respectivos colegas de trabalho, estavam com medo de assinar um contrato que a empresa deles ofereceu, esse contrato iria diminuir os seus benefícios e não dava nenhuma segurança financeira para eles. Dai em diante tudo foi por água a baixo, e para tentar contornar a situação a Alicia teve que usar muito jogo de cintura. Defendo a empresa que contratava os trabalhadores, a nossa queridíssima, linda e sempre vaca (e sensual, porque não?). Nancy Crozier. Sua última aparição na série foi no episódio “After the Fall” da temporada passada. Com seu jeito carinhoso e afetivo, misturado com um tom de cinismo e sarcasmo, ela conquista a todos.

 A Lockhart/Gardner também começa a sofrer conflitos internos. Nós já sabemos que o Cary e os associados de 4º ano irão sair da firma, mas dessa vez a “revolução” veio mais de baixo. Os assistentes estavam se achando mal valorizados e quase formaram uma “união”, que pelo o que eu entendi é quando um grupo de funcionários de uma empresa privada resolve se unir para garantir os seus direitos. Outra pessoa que também está pensando em sair da L&G é Kalinda, que pode ou não ir para a nova empresa do Cary. Ela aproveita a situação do jeito que pode, aumentando a oferta dos dois lados para conseguir o que quer. Não posso deixar de dizer que ver a Kalinda saindo da L&G seria uma guinada muito interessante no desenvolvimento da próxima temporada. Quem também tá passando problemas é o Peter, que mesmo com uma equipe de 500 pessoas não sabia que estava perdendo a eleição até algum avulso que eu não me lembro de ter visto antes chegar no escritório do Peter.

 O palco está montado, as luzes estão apagando e a cortina está prestes a abrir. Algum palpite de como vai ser o espetáculo?

Observações:

- Acho que esse negócio de ser mala é mesmo de família e pula uma geração. Porque se não bastava os filhos da Alicia serem Zé manés, a mãe dela também é, onde já se viu se meter na vida da filha e ir falar com o macho dela?

- Gostei de a Alicia ter atacado o Kresteva em nome do Peter, indica que ela talvez possa ter decidido de uma vez quem ela vai escolher. 

- Senti clima entre David e Veronica? Amei. Davironica é super cretino!

Talvez Você Curta

2 comentários

  1. Achei um episódio morno, bom , porém morno. E sinceramente, tenho que discordar em relação a mãe da Alicia.
    Caraa, ela é demais, acho que tem muito mais senso da vida do que a própria Alícia, se ela ouvisse mais a mãe a série seria muito mais movimentada kkkkk....
    Na minha opinião, Alicia não atacou Kresteva por causa do Peter, mas sim por que ela não tem nada de bom p/ falar dele, e é fato que ela o detesta.
    Dá um apertozinho no coração de saber que só tem mais um episódio, e depois sabe-se lá quando retornará. ;ss

    ResponderExcluir
  2. O caso da semana foi morno e estou sentindo falta de ELI GOLD.


    O episódio não foi ruim, açiás, TGW não tem episódios ruins. Apenas bons.


    Genteee já está na hora de da Florrick, Agos & Associates acontecer!

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe