The Voice UK 2x03: Blind Auditions 3

segunda-feira, abril 15, 2013


"Love on Top Cleo! Love on Top!" ou "Will I Am e a sua vitória premeditada! Parte 2"

A terceira semana do The Voice UK chegou, e o programa parece ter finalmente se encontrado e engatado à sua segunda temporada. Antes que toda a audiência migrasse para a concorrência o show tratou de rapidinho elevar o nível da competição, chegando um pouco mais perto da brilhante primeira temporada que tivemos o ano passado. Acho que é o primeiro programa da temporada que posso dizer com tranquilidade, todas as vozes aprovadas hoje foram sim, boas ou ótimas.

Mas o drama que falta nos palcos sobra nas cadeiras vermelhas, e com as vacas magras desse ano, os treinadores faltam pouco montarem suas trincheiras de guerra e irem para o confronto físico, porque o confronto psicológico "It's On!" Tanto é que já tem alguns "coaches" saindo derrotados de várias batalhas e entrando em crises existenciais, somado o chororô que rolou no programa por parte de Jessie e Dany. Acho que falta maturidade para argumentar e saber quais são as reais necessidades dos cantores. Querendo ou não Will I Am pegou Tyler ano passado e transformou ele de uma merdinha que apareceu perdido no meio das "blinds" em uma estrela, enquanto Jessie só fez escolhas erradas de músicas para Vince Kidd e na apresentação em dupla, ao invés de deixar ele aparecer só fez o menino flopar. Engraçado que foi a mesma coisa que ela fez com o menino nesse programa, o que era para supostamente ser um dueto dos dois, se tornou em Jessie exibindo o quão mais poderosa era a sua voz em relação à do menino.


Sem mais delongas para não ser mais apedrejado, vamos as vozes. O programa já começou a sua noite com a sua carta na manga e melhor performance da noite, afinal tinha que segurar a audiência e impedir que a mesma fosse para o BGT. Com isso a apresentação que foi ao ar foi a de Cleo Higgins, que além de ter uma grande voz, tem um ótimo "background" conhecido no UK, do grupo/serie que fazia chamado Cleopatra. Precedentes à parte, a cantora simplesmente deu um banho no palco, humilhou qualquer coisa que tenha passado por ele essa temporada. E sinceramente... Estou pouco me lixando se ela perdeu o fôlego no fim da apresentação, afinal, depois de mostrar todo o potencial quer você tem, é permitido ficar feliz e se jogar. E por falar em se jogar, que presença de palco fantástica. E no fim das contas, é aquilo que Will disse, uma voz boa ela já tem, ela precisa de um grande produtor. Está no time certo.



Quem se deu bem logo depois do pulo foi o Mitchel Emms. O jovem rapaz de  dezoito anos tem um vocal bem poderoso para a sua idade, além de uma experiência musical que poucos na sua idade tem. Acho que equilibrando qualidade de voz e apelo comercial, acaba sendo atualmente o principal nome no #TEAMDANNY. Pelo que eu entendi o tio dele é alguma coisa do Judas Priest, se realmente for, deve ter ficado muito orgulhoso do sobrinho subir ao palco e soltar um "Best of You"... Só que não.
  


Uma das grandes performances da noite vem lá da terra de Sr. Tom Jones. E mais, só eu que achei anormal o grave que essa menina consegue para a idade dela? Ela é da roça, não tem treinamento vocal, fiquei impressionado. Com toda a sua potencia vocal a menina soltou um belo de um "Something's Got A Hold On Me" virando todas as cadeiras no recinto, mas ela só tinha olhos mesmo para os seus ídolos. E se mais cedo Jessie J perdeu uma candidata para Will, agora foi a vez do #TEAMJONES levar a melhor, que desde o final do último episódio vem apresentando uma melhora significativa no nível dos integrantes, e voltando a desenhar o perfil padrão do time, que já conhecíamos na primeira temporada.



Ao contrário do time campeão, o de Danny O'donoghue não consegue sair da lanterna em que se enfiou. Lembro que a essa altura ano passado #TEAMDANNY tinha tanto candidatos no perfil atual do seu time, como vozes poderosas também como Bo BruceHannah Berney. Esse ano o cantor tem batido na mesma tecla de cantores de pop rock e folk, o único diferencial mesmo é a ceguinha. E quem vem fazer mais massa a esse time é o fofíssimo Conor Scott, que só de entrar no palco já deixou o público todo ouriçado. mas devo dizer que a música da da Ellie ficou bem bonitinha na voz dele, e depois que ele começou a se contorcer no palco... Como não amar?! Acho que esse aí vai longe hein.



Finalmente a experiência resolveu bater à porta do The Voice UK. Confesso que já estava sentindo falta de cantores mais velhos, e cansado de Jessie perguntando para os amigos antes de virar se o candidato era novo. Porém, o motivo dela ter virado parece não ter sido esse, mas sim a linda harmonia de Shelly e Maxine, que como a cantora disse é realmente difícil de se sobressair em uma dupla. Sr. Tom Jones enfatizou muito bem também que Diva parece cantar junto a vida inteira, e não deu outra, desde que elas pisaram naquele palco sabíamos que elas pertenciam ao nosso time campeão. "You Go, Jones!"


Quem também era experiente e muito bom, mas não teve a mesma sorte que as irmãs foi Barry James Thomas, que foi direto para o "combo dos que não foram", que esta noite estava maior do que nunca. Sem dúvidas a voz que deu mais pena de perder foi a do cantor, achei um absurdo Danny e Tom não virarem para ele bem como para o cantor de folk que cantou Mumford & Sons, como assim ele não entrou? Quem não também foi considerado um pouco "além do pedido" para os nossos treinadores foi a boa Amy Wilkinson e a divertidíssima Emma Louise Jackson que levantou toda a platéia do programa. Só eu que não curti, as críticas não construtivas de Jessie à opção musical e vocal da cantora? Acho que é uma coisa de estilismo, e tem que saber respeitar o de cada um, coisa que a cantora não soube fazer, pois estava toda trabalhada no recalque. Ainda bem que tínhamos Will super simpático para contornar a situação. 



E por falar nele, "Snake Willy" ataca novamente tirando mais uma ótima candidata das unhas de Jessie J. Confesso que estou me divertindo muito com tudo isso, acho que ela merece pagar os pecados dela do ano passado em que além de cagar todo o seu ótimo time ainda conseguiu flopar o candidato em que tanto investiu. Quem apesar de toda a enrolação no discurso, viu que o #TEAMWILL era um melhor lugar foi a ótima Leah McFall. A menina tem um daqueles tons especiais que agente vê muito raramente por aí, um quebradinho na voz diferente... Me lembrou muito Lindsay Pavao da franquia americana do programa, só que com uma qualidade vocal bem superior. Mais um monstro adicionado ao time de Will I Am



Quem também esteve no centro da guerra entre Will I Am e Jessie J foi a jovem Lovelle Hill. Aqui fiquei feliz com a decisão da menina de ter ido com Jessie, muito pelo fato de que apesar de toda a sua ótima voz e performance de "Diamonds", ela ainda está um passo aquém do resto dos candidatos do #TEAMWILL. Acho que Jessie além de saber treinar melhor ela, vai dar mais chances em seu time para a moça, que não está tão bom assim, diga-se de passagem. Visualizo já a primeira "battle" dela contra Katie Benbow.



Excentricidade e surpresas não faltaram na hora de finalizar a terceira noite de "Blind Auditions". Para não perder mais um ótimo candidato que estava quase sendo convencido por Danny, só que não, a cantora resolveu chamar o menino para fazer um dueto com ela no palco, já que ele era seu fã. A comoção foi geral, foi um chororô só, e todo o resto acabou se sobressaindo à maravilhosa voz de Lem Knights. O menino além de ser hipster e muito cool, é detentor de um incrível talento, que sabe trabalhar muito bem, muito por causa da fonte em que bebe, fazendo ótimos runs e detalhes técnicos na apresentação. Ele acabou sendo uma ótima adição ao #TEAMJESSIE que termina a noite feliz.


A fim da terceira noite, ficamos com o seguinte placar:

#TEAMDANNY continua na lanterninha com o perfil mais limitado, e mais dois cantores nesse perfil foram acrescentados ao time. Os ótimos Conor ScottMitchel Emms trazem força, mas não trazem diversidade, e se juntam à Nadeem Leight, Andrea Begley e Smith and Jones no fundo da competição

#TEAMJESSIE não esteve em momento algum em uma situação de desfavorecimento, apesar de todo o drama feito pelo cantora. Apesar de meio "all over the place", o time conseguiu adicionar nomes fortes como os de Lovelle HillLem Knights, que se juntam à Trevor Francis no topo do time. Juntamente com eles temos Ash Morgan, Katie Benbow, Alex Buchanan e o ótimo Danny County.

#TEAMJONES deu uma boa recuperada no jogo e agora detém duas das maiores vozes da competição. Elise EvansAlys Williams poderiam muito bem ser as novas Ruth e Leanne e encabeçarem a disputa pelo caneco. Fazendo coro com elas temos o recente duo adicionado ao jogo DivasEmma Jade Garbutt, Ragsy e o ótimo Mike Ward. Acho que ainda é precipitado dizer que #TEAMJONES assumiu a vice liderança na competição, mas está quase lá. 

#TEAMWILL mais uma vez dispara na liderança e não deixa nada macular a imagem de seu time, que ganhou mais dois grandes nomes, o de Leah McFall e da melhor candidata da competição até agora  Cleo Higgins. As duas se unem a um time forte e sólido já montado por Will I Am, composto por Liam Tamne, Matt Henry e Leanne Jarvis. Todos eles sem dúvidas são o melhor da competição. Prevejo "Battles" épicas e muitos "steals".

No mais é isso, meus caros. Terceira semana da competição chega ao fim e mal chegamos à metade da competição. É realmente preocupante os times estarem praticamente vazios à essa altura do campeonato. E tenho medo do programa que vem ser realmente o último destinado às "Blind Auditions", imagino o samba do crioulo doido que não vai ficar essa edição, inclusive porque já soube que o tempo de duração foi reduzido para uma hora e atrasado para oito e vinte, para não concorrer com BGT. Muita coisa tem deixado à desejar nessa temporada do The Voice UK, eu só não espero ter tamanha decepção de ver quase vinte candidatos sendo sepados pela foice. Espero um pouquinho mais de profissionalismo. Até mais!

Talvez Você Curta

3 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe