Person Of Interest 2x20: In Extremis

quinta-feira, maio 02, 2013



Correndo contra o tempo.


O peso de uma falha sobre os ombros de Reese e Finch é um elemento narrativo do qual sempre senti falta. Seus recentes erros em episódios passados perdem um pouco da força, já que a culpa é mais atribuída a Máquina que a eles. Ainda que isso se repita em In Extremis, aqui a idéia do erro da dupla é reforçada pela presença constante do moribundo protagonista da semana.

O estado decadente do médico Richard Nelson constantemente exposto ao longo do episódio não só reforça a idéia do fracasso de Reese e Finch, mas também um senso de urgência que torna o episódio mais dramático. Quando vemos o homem que no começo do episódio recebia um prêmio e discutia banalidades como uma partida de squash apontando uma arma para aquele que acredita ser o culpado pela sua iminente morte, entendemos sua motivação.

Apesar desses aspectos positivos, a facilidade com que Reese e, principalmente, Finch aceitam a idéia de ajudarem o médico na vingança dele é incoerente com atitudes passadas da dupla. Reese nunca teve muitas restrições quanto a assassinatos, mas Finch sempre se mostrou resistente a qualquer atitude mais extrema do parceiro. Por isso quando não há nenhuma objeção dele em se tornar parte de uma missão de vingança, fica a impressão de que uma reação relevante de um personagem foi deixada de lado para que a trama andasse mais rápido.

A outra trama importante do episódio, com Fusco sendo investigado pelos seus crimes passados, funciona para construir uma imagem mais complexa para o personagem. Sem jamais tentar fazê-lo parecer como alguém que foi forçado a ser corrupto por alguma situação sem saída - ele poderia ter dito não para Stills -, a idéia de que ele realmente deseja uma redenção pelo que fez é reforçada ao vermos que seus erros são conseqüências de uma decisão ruim que acabou se tornando uma seqüência de eventos inescapáveis na qual ele se viu preso. Ele nunca foi um herói, mas não da para chamá-lo de vilão.

Essa vontade de mudar dele encontra uma resposta nas atitudes de Carter, que antes mantinha distancia do passado do parceiro por suspeitar dos crimes cometidos por ele, agora se esforça para ajudá-lo mesmo conhecendo a verdade sobre ele. É um comprometimento interessante, com uma raiz emocional na morte de Beecher, de quem ela suspeitava injustamente. A sua visão de mundo preto-e-branco, onde há apenas o certo e o errado, muda um pouco depois disso, tornando-a uma personagem melhor.

O cliffhanger é mais um golpe nas ações de Reese e Finch, com a máquina falhando de vez. É inevitável que vejamos agora as tramas conspiratórias da série serem mais desenvolvidas.

Talvez Você Curta

1 comentários

  1. Person provando ser a melhor coisa da Fall de 2011.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe