The Voice AU 2x13: The Battles Part 4

domingo, maio 05, 2013


Fechando as "Battles" com chave de ouro!

Parece que foi ontem que o The Voice Austrália começou e cá estamos nós já no fim das "Battles", e não poderíamos estar mais felizes. É bacana que com a franquia australiana do programa você não sente que está sendo enrolado, que em momento algum a edição está te fazendo comprar uma coisa que não existe, e que o foco de todas as atenções são realmente as vozes, e o maravilhoso show que os participantes dão dia após dia. E devo dizer que nessa última noite as coisas ficaram mais épicas do que nunca, as unhas já não aguentavam, o desespero batia, e eu não sabia mais para quem torcer, de tão bom que o nível do jogo estava.

Nos últimos momentos das "battles" os "coaches" choravam pelos seus times e pelas difíceis decisões que tinham que tomar, e a pressão caiu toda sobre Delta Goodrem que detinha o último "steal" da competição. Gritaria da platéia, insistência de Joel, performances incríveis... Nada disso apertou o botão de Delta, que vem agindo muito sabiamente desde que essa segunda temporada começou. E dentre as sete brilhantes performances da noite a cantora escolheu o momento mais adequado para usar o seu poder de roubo, e levou todos nós à um dos momentos mais catárticos do programa, vendo o talento da voz ser realmente valorizado.


#TEAMSEAL abriu a noite com a comovente performance do que arrisco dizer que eram os candidatos mais sensíveis de seu time. Em uma batalha aonde claramente quem passasse mais emoção iria ganhar, vimos Nicholas Roy novamente nos tocar na alma e nos conquistar pela segunda vez com a sua experiência musical. Não vou aqui fazer vista grossa, é claro que a música favoreceu muito mais o seu timbre de voz, mas apesar de ser igualmente incrível e ter um timbre de voz muito mais bonito, tinha alguma coisa segurando Ryan Sanders, que o cantor simplesmente não se permitiu e ficou às sombras de sua "blind audition".


#TEAMDELTA estava indo diretamente para o matadouro nesse segundo dia de gravação, sem nenhum "steal" sobrando para eles era tudo ou nada, e a performance de suas vidas tinha que ser entregue. Contudo, não foi exatamente isso o que eu vi na apresentação de Nathan Allgood e Sophie Phillis, já tinha declarado os dois artistas bem limitados desde as "blind", e o que vimos no ringue foi a pior "battle" do time da cantora. Faltou entrega dos dois lados, acho que a música tem muito mais potencial do que isso, mas acho que no fim das contas o rapaz conseguiu mostrar um pouco mais de emoção, e por isso levou o round.


Para mim sem dúvida alguma essa foi a decisão mais questionável de toda a temporada, e com certeza ela tinha que vir de Joel Madden, que sempre está sacrificando bons talentos e ótimas vozes, para salvar pessoas com quem tem mais afinidade de trabalho. Não sei vocês, mas o que eu vi foi Jessika Samarges wonando a "battle" do começo ao fim. E não adianta dizer que foi aquela nota mais alta que Kathy Hinch conseguiu alcançar, porque a loira também conseguiu, e na minha opinião de forma muito mais original. E mesmo contrariando o seu mentor, Joel decidiu ir com a sua preferência pessoal e escolher Kathy. Dentre as várias injustiças que o "coache" cometeu, essa foi de longe a pior delas.


Voltamos para o time de Delta, e numa batalha que a vitória já era quase que dada como certa para Luke Mansini, vimos o rapaz ser incorporado pelo espirito das cordas desafinadas, meter os pés pelas mãos, e estragar com todos os planos que a treinadora tinha para ele no resto da competição. O que vimos no palco foi um Josh Kyle muito mais relaxado e desenvolto, alcançando ótimos altos registros e lindos falsetes, enquanto Luke não sabia em que tom ficava na música, e desafinava por várias vezes. Como a cantora é muito justa, não poderia dar a vitória para Luke apenas por preferências pessoais, e Josh continua na competição.


Na última "battle" do #TEAMJOEL vimos a cota de bizarrices do treinador fechar a segunda etapa da competição com chave de merda. Sim, porque o cantor simplesmente me pega dois cantores que cantaram folk nas "Blind Auditions" e coloca eles para cantarem Swedish House Mafia... WTF?! Acho que ninguém entendeu qual foi a do "coache". No fim das contas como Adam Garrett tem um alcance vocal muito melhor que o de Nick Stenmark, e conseguiu trabalhar muito melhor a música, e surpreendeu bastante. Não dava o cantor como passando dos "Showdown", mas agora já consigo ver isso.


E na melhor "battle" de toda a história do programa, vimos dois incríveis profissionais, e agora favoritos na competição, subirem ao ringue e simplesmente darem um show. Acho que a expressão "deixar a concorrência no chinelo" se encaixa perfeitamente aqui. Quando o programa acabou era como se não tivesse tido mais nenhuma apresentação no episódio, tudo o que as pessoas faziam era comentar sobre essa "battle". Apesar dos dois serem incríveis, concordo com Seal quando diz que Mitchell Anderson é mais aberto e consegue passar mais as suas emoções... Mas acho que se fosse eu, ficaria com Stitchell também. E num momento de reconhecimento do talento monstruoso de Steve Clisby, Delta finalmente usou o seu poder de "steal" e leva para o seu time um dos nomes mais hypados no momento no iTunes.


A campeã da última "battle" da noite já tinha nome e endereço, e apesar da bizarra escolha musical de Rick Martin, e do seu péssimo treinamento, colocando as candidatas uma contra a outra, nada conseguiu ferir a imagem intacta de Imogen Brough. Katie Carr realmente tem uma voz muito treinada, e conseguiu fazer grandes coisas com a canção, mas no fim das contas tudo se tratava do incrível timbre vocal de Imogen, e como mais ninguém na competição possui algo parecido. Seria estupidez do treinador não levá-la.



No mais é isso meus caros, o saldo dessas "battles" foi muito bom, mas poderia ter sido melhor. Enquanto alguns treinadores como Delta e Seal nutriram os seus competidores, e levaram os mesmos ao crescimento, outros como Joel e Rick conseguiram fazer uma bela lambança em seus times com métodos de treinamento nada aprováveis. No time do latino isso foi bom, porque ajudou a peneirar a enxurrada de nomes bons que ele tinha por lá, agora Joel que já tinha um time bem apagado só conseguiu piorar mais ainda a sua situação e amarga a triste realidade de não conseguir emplacar nenhuma "battle" nos top charts no iTunes. Apesar de tudo ainda acho que não temos vencedores, e que os times vão dar um bom caldo nos "Showdown".

#TEAMDELTA sofreu um baque nesse último episódio aprovando dois de seus mais apagados concorrentes, Nathan AllgoodJosh Kyle, mas nada que realmente interfira na sua soberania, não depois do "steal" de Steve Clisby.  Esses nomes se juntam aos já aprovados de Ben Goldstein, Tim Morrison, Rob Edwards, e as favoritas Celia Pavey e Jackie Sannia.

#TEAMSEAL conseguiu transformar água em vinho, fazer um ótimo trabalho com os seus cantores, nos entregar as duas melhores "battles" da noite e garantir dois fortíssimos nomes no time Mitchell Anderson Nicholas Roy. Eles farão companhia a Shawne Kirke, Alex Gibson, Hannah Darling, Jac Stone, Michelle Martinez, e ao grande nome da equipe Harrison Craig.

#TEAMRICK apesar de ainda deter alguns dos melhores nomes da competição, conseguiu tirar todo o hype deles, a última a acontecer isso foi Imogen Brough. Ela juntamente com Miss Murphy e Luke Kennedy, vão ter que fazer bonito nos "Showdown" se quiserem recuperar os seus títulos de favoritos. Quem completa o time são James Walker, Nick Kingswell, Emma Pask e os queridinhos do treinador Simon Meli e Caterina Torres.

#TEAMJOEL termina na laterninha garantindo Adam Garrett e Kathy Hinch na equipe, mas sem conseguir fazer o nome de nenhum dos dois. A esperança no fim do túnel parece vir de Michael Paynter e Lyric McFarland, que tem potencial para engatar a qualquer momento. Completando o time temos Danny Ross,  Kiyomi Vella, Danni Hodson e o roubado Michael Stangel.

É isso gente, ficamos por aqui, espero que acompanhem os "Showdown" nesse domingo e torçam muito para os seus favoritos na competição. Mais pra frente essa semana voltamos aqui para comentar sobre isso.

Talvez Você Curta

1 comentários

  1. esse The Voice AU realmente é incrível, eu até parei de assistir ao The voice US , pois a qualidade do da Austrália é infinitamente melhor. E eu sou Team Delta, que coach incrivel, com escolhas musicais ótimas e um bom treinamento. Logo atrás, o Seal q tbm é otimo . E como vc disse , Joel e Rick fazendo lambanças... Só sei q o Rick tinha vozes incríveis , mas nas batalhas, só vi essas vozes declinarem .

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe