Glee 4x21: Wonderful

domingo, maio 05, 2013


It's a wonderful life.

Depois de uma sequência que ameaçava manchar a 4ª temporada, eis que Glee se redime com um episódio que só pode mesmo ser descrito com a palavra que o intitula. Foi maravilhosidade até dizer chega, deixando as expectativas para a season finale novamente lá no alto.

A exemplo do que aconteceu no tributo a Whitney, no ano passado, essa "semana temática Stevie Wonder" se beneficiou de apenas utilizar as músicas do cantor num contexto que explora as situações diversas vividas pelos personagens, sem muita preocupação em fazer paralelos com o homenageado o tempo todo, como aconteceu nos especiais de Madonna, Britney e Michael Jackson, por exemplo. Mas de uma coisa não deu pra escapar, já que estamos falando do repertório de Stevie Wonder: muita gritaria.

  

É exatamente por isso que não reclamo da presença de Merdacedes, que desagradou muitas pessoas tendo destaque pela primeira vez depois de fazer figuração de luxo na temporada. Geralmente, não gosto de Merda, tento me manter longe dos plots de Merda e acho uma merda o que Merda tenta fazer como "treinadora vocal", criticando o New Directions por não gritar loucamente em suas performances e fazendo pouco da performance maravilhosa de Véia, que rapidamente a tratou de colocar no seu devido lugar, mas preciso confessar que, dessa vez, Merda deu a sua contribuição para o episódio.

Que atire a primeira pedra a cantora que nunca teve que virar uma vagabunda apelar para a sensualidade para ganhar notoriedade no mercado fonográfico – Nelly Furtado, estou olhando pra você! Ri alto ao ver Mercedão se recusando a fazer um ensaio tão sensual quanto os de Preta Gil em seus tempos áureo e achei válida a discussão sobre até que ponto ela estava vendendo a voz e as músicas chatérrimas que representam a sua filosofia "Hell To The No" ou o corpinho voluptuoso, e acho que a decisão de vender seu trabalho em camelôs e no iTunes foi a mais acertada. Afinal, imaginem como ficariam as lojas de discos, que já sofrem ano a ano com a falta de clientela, com CDs de Mercedes encalhando as prateleiras?

 
 

E por falar em corpinho, o que dizer de toda a ousadia de Véia nesse episódio? Literalmente sambando na cara de Artie, a cheerleader de 40 anos teve mais uma participação icônica, ajudando o rapaz a lidar com suas inseguranças quanto à acessibilidade em New York e obrigando-o a seguir em frente com seu sonho de ser cineasta. A conversa de Artie com sua mãe, que dizem por aí que aparecerá tanto na próxima temporada que vai até causar o fim de Sons Of Anarchy, foi extremamente bonita e, mesmo participando rapidamente, Katey Sagal já marcou mais presença do que a mãe de Santana, o pai de Puck e a família de 800 pessoas de Sam juntos.

  

No tema de pais e filhos, não tem como deixar de fora a resolução do câncer de próstata de Burt, que estava me causando pesadelos nos últimos meses. Desde que Burt soltou a bomba no episódio de natal e considerando a obsessão dos roteiristas por acabar com a saúde de nosso coração-de-babuíno, estava esperando um desfecho dramático, mas felizmente optaram pelo caminho oposto. Kurt estava na medida certa com suas superstições para garantir boas notícias e não teve como não se emocionar com o momento em que a família comemora que o câncer entrou em remissão ou com a serenata na sala do coral.

 

Burt também teve a chance de dar um chega-pra-lá merecido em Blaine, que depois de trair Kurt com o primeiro rapazinho que o cutucou no Facebook, se apaixonar por Samzinho, ser estuporubyzado por Tina, usado como dreno sexual na limusine e flertar fogosamente com m aluno da aula de lambaeróbica de Sue, decidiu que a solução para todos os seus problemas é pedir Kurt em casamento, porque "eles são muito diferentes de Finn e Rachel". Aham, Blaine, senta lá. Já imagino que ele não vai seguir os conselhos sábios de Burt e fazer a proposta do mesmo jeito, mas fico na minha torcida pra que pelo menos o pedido seja recusado.

 
 

Pior do que o destaque de Mercedes foi a revelação de que Jake é "a arma secreta do Glee club". Nada na história faz sentido, primeiro porque os supostos problemas de autoconfiança de Jake quanto a seu talento nunca foram tratados na série pra que ele precisasse dessa injeção de ânimo agora, segundo porque foi a chance de Mike Chang se contradizer de maneira épica, já que nessa mesma época, na temporada passada, ele estava pedindo paciência a Tina porque ela ainda não estava no último ano e precisava esperar o seu tempo de brilhar. Agora, Mike afirma categoricamente que "não tem problema você ser só do segundo ano, Jake, vai lá e humilha o pessoal que tá se formando que não tem erro". Só me resta acreditar que é um lance pessoal com Tina e que Mike se dedicou esse tempo todo a sabotá-la.

 
 

Em New York, o plot pode ser o mais clichê do universo, mas eu adorei. Sensacional ver Lady Cassandra aterrorizando Rachel pela última vez, apenas para fazer um número que a inclui em definitivo na "família NYADA". A história do professor que escrotiza gratuitamente seu pupilo apenas para vê-lo vencer as adversidades é tão batida que não dá pra não rir de terem usado essa solução pra fechar o ciclo das duas, ainda mais com o abraço forçadíssimo e com Cassie segurando sua (enorme) varinha de condão metafórica para abençoar a audição de Rachel.

Por último, mas não menos importante, fica o prêmio de melhores reações do ano, antes mesmo da temporada acabar. Simplesmente não existe a possibilidade de alguém tirar essa de Ryder, que já é a pessoa mais efusiva da série e honrou esse título durante o episódio.

  
 

Músicas do episódio:



Signed, Sealed, Delivered I'm Yours - Véia (Becca Tobin)

Pode ser o meu amor por Véia falando mais alto ou o fato de que essa é a minha música favorita de tio Wonder, mas foi a melhor abertura possível para o episódio e já entrou para a história como grande momento de Véia na série. Coreografia melhor impossível.





Superstition - Mercedes (Amber Riley), Marley (Melissa Benoist) e Jake (Jacob Artist)

Chamem Rachel pra ensinar essa galera a chorar enquanto canta, porque aí o combo será imbatível: gritaria insuportável de Mercedes com crysinging exagerado levará o ND diretamente para o 1º lugar no pódio.





You Are The Sunshine Of My Life - Kurt (Chris Colfer)

Já dei essa dica antes e, para quem quiser se emocionar ainda mais com a homenagem de Kurt, vale repetir: deixem a cena no mudo e substituam pelo áudio de "I Wanna Hold Your Hand", ápice de cantoria de Chris Colfer na série. Mas se acharem muito trabalho, dá pra deixar o áudio original, que não é de todo o ruim, e dar uma lacrimejada também.





I Wish - Jacob (Jacob Artist)

Não.






Uptight (Everything's Alright) - Cassandra (Kate Hudson)
Como o que conhecemos de NYADA na temporada se resume às aulas de Cassie e ao coração de Adam e as maçãs, que eu duvido que volte na finale já que Kurt está em Ohio, podemos dizer que esse número encerrou o núcleo da faculdade e não decepcionou. O pessoal do balé se divertiu como sempre, Kate Hudson mostrou toda a sua habilidade de dança e de caretas maldosas e no fim, tudo está bem quando acaba bem.





Higher Ground - Mercedes (Amber Riley)
Véia define.








For Once In My Life - Artie (Kevin McHale)

Se o solo de Véia foi o melhor começo possível, o de Artie foi o melhor encerramento. A música é completamente alto astral, Kevin McHale sempre manda bem e o clima deixado para o fim da temporada não deixa a desejar. Artéia <3

Talvez Você Curta

8 comentários

  1. Tadinho do Artie, sofria de Bullying e agora descobriu um nível mais alto de tortura: Bullying Sexual, porque né...

    ResponderExcluir
  2. É fato que esse episódio foi melhor que os dois anteriores, mas ainda acho que ficou aquém do nível da série nessa temporada e grande parte por culpa de Mercedes. Presença de Merda pode até combinar com a temática do tributo e contribuir com um plot que alerta aos interessados a entrar no ramo musical, mas ainda acho a personagem completamente desnecessária. Aliás, acho incrível como sendo relegada a guest e aparecendo em apenas 3 episódios, Quinn foi muito mais relevante que Mike, Mercedes e Puck juntos. Pelo menos, é o que eu acho.

    Mas nem só de Mercedes vem meu descontentamento, porque tanto Kurt e Blaine tiveram momentos de irritar nesse episódio.

    No mais, Artie, Kitty e Cassandra salvaram o episódio. Bom ver Artie tendo algum destaque e Kitty roubando a cena. Como não amar o momento em que ela zoa Merda e canta "Do you want fries with that?"? Essa sim tem talento para ser compositora!



    Plot de Cassandrinha é batido, mas funcionou bem e aparentemente encerrou a história dela e de Rachel. Já que decidira ressuscitar Cassie, fiquei feliz que a colocaram como "boazinha", não ia aguentar se ficassem insistindo eternamente na rivalidade das duas.


    Sobre Jacó, discordo um pouco de você. Não achei a música grandes coisas (assim como "My Prerrogative"), mas sempre acho que as dancinhas de Jake salvam as apresentações e acho que ele manda bem cantando, só poderia ter material melhor. E por mais incongruente que seja a atitude de Mike em apoiá-lo como líder do ND, até vi mais na atitude dele e de Merda uma vontade de querer definir líderes no grupo atual como tinha anteriormente com Finn e Rachel. Ainda acho que Ryder ou Sam também dariam bons líderes, mas não é como se essa história de Jacó liderar alguma coisa vai ser continuada de qualquer forma.

    ResponderExcluir
  3. Estou com você, Felipe! hahahahaha

    ResponderExcluir
  4. Epi WONDERFUL! Véia sambando (de novo), vapo-rape, Burtzinho e até não-repulsão com Raquel, Kurt e Merda... Muito amor!

    Samzinho (novo membro do ND ainda se sentindo na pele de Evan Evans maravilhoso), Ryder e Unique (morta de felicidade com sua cover) mesmo com quase nenhuma fala roubando a cena!

    Espero mais solos pra Véia linda e Artiezinho #Artéia e mais Tina divando com suas fofocas/revoltas/foras! <3

    E que venha a season finale, a qual vou com baixas expectativas pra ser surpreendida como fui por esse "tributo" lindo!

    ResponderExcluir
  5. a frase que define esse episódio: Do you want fries with that? #Véia4Ever
    realmente, o episódio melhorou muito com relação aos 2 ultimos!
    sou suspeito pra falar, mas eu amo a Mercedes, me julguem, mas eu adoro uma gritaria, gente que canta Xtina <3
    queria muito que mercedes fosse pra NY tbm e prefiro ela do que a cópia Unique.
    Rachel e Cassandra foi forçado demais, mas mesmo assim eu gostei, não esperava que fosse acontecer...
    Núcleo Blainezzzzzzzzzzzzzzz. sempre fui muito fã do personagem, mas tá muito meloso, muito chato, muito forçado! Ou Blaine e Kurt ficam logo juntou ou melhor cada um seguir seu caminho.

    ResponderExcluir
  6. vc esta correto a mercedes e super e a melhor cantora de glee e isso e fato ela e sensasional linda super super talentosa amo, amo d+ ela, e quem fala mau dela e por que não tem nenhum senso de musica e um idiota pois para pode falar de diva tem que entender de divas.

    ResponderExcluir
  7. Melhor diálogo do episódio:

    Tina: E vai nos ensinar sobre o que Kurt(...)?

    Kurt: Meu pai tem câncer.


    ri muito da cara da Tina kkkk

    ResponderExcluir
  8. "I Wish - Jacob (Jacob Artist)

    Não." kkkkkkkkkkkkkkkk
    Amei!! O epi, a review, tudo! Pra ficar perfeito só uma fotossíntese com muita clorofila pro Season Finale dessa lindeza!!

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe