The Voice UK 2x15: The Live Final (Season Finale)

domingo, junho 23, 2013


"You Can be a Champion" ou "A Cega Temporada do The Voice UK."

A segunda temporada do The Voice UK não nega ás raízes e mais uma vez respeita a tradição de trollar a mim e à você no final de temporada. E dessa vez foi muito mais irritante, não só pelo fato da temporada ter sido muito cansativa, mas também porque tínhamos certeza que dessa vez dava... Mas não deu! As teorias que ficam são realmente que, ou os britânicos odeiam que pimpem um candidato, ou que Will I Am não queria a sua pupila nas mãos da Universal, vendo o seu álbum ser atrasado por mais de seis meses como aconteceu com Leanne Mitchell. O fato é que, a franquia britânica se consagra como um programa para não se levar à sério, e aprendemos da pior forma possível, que podemos ser trollados pelo mesmo à qualquer momento.

Bom, trágicas decisões à parte, a final do The Voice UK foi realmente muito boa, e muito gostosa de assistir, e ainda arrisco dizer que foi o único programa da temporada que foi realmente bom do começo ao fim. Não me atirem pedras, mas arrisco dizer que das três franquias (US, AU, UK), ela foi a mais bacana, e menos previsível, claro! A impressão que eu tive, é que apesar do programa estar todo cagado, o formato, os apresentadores, tudo uma grande merda... Os finalistas realmente sabiam o que estavam fazendo ali, e qual era o seu espaço dentro do mercado da música. Diferentemente do final da primeira temporada, aqui tínhamos candidatos com perfis definidos, que sabíamos realmente o caminho que eles iriam traçar ao término da competição. O "Live Final", veio só para nos elucidar, e carimbar o espaço que cada um deles tinha dentro de nossos corações. Não foi o final esperado, mas como episódio eu realmente curti.


O episódio como um todo foi bem fluido e muito bom de se assistir, começando pela apresentação dos "coaches", que apesar de ter sido meio perdida, como sempre, ainda acho que ficou acima da média das rasas apresentações da primeira temporada. The Voice UK continua à confirmar que a mais hypada de todas as franquias, e mandou o hit do momento "Get Lucky", e na boa, acho que é o único grupo de "coaches" que tinha culhões e groove suficiente para mandar essa música. A dupla de apresentadores também não ficou para trás e parecia estar em sincronia no esquema palco-vroom, e Holly esbanjando toda a sua sensualidade e pagando peitinho durante a programação. Pena que dessa vez não tinha Tyler pra mamar na tetinha.


Vamos começar então falando de Leah McFall, que no meu coração vai continuar como a real campeã da segunda temporada do The Voice UK. Além dos fatores já descritos no parágrafo de abertura, o que pode ter acontecido foi uma série de escolhas musicais insensatas de Will I Am para a menina que acabaram fazendo com que a mesma tropeçasse no próprio pé, afinal a única que poderia tirar a vitória de Leah era ela mesma, e acho que o fez. Pela primeira vez desde as "Battles" que eu posso dizer que não, Leah McFall não foi a melhor da noite, e baseado no episódio isolado Andrea Begley mereceu levar o caneco.

Primeiro, Whitney Houston, é pedir pra floppar né. Todos sabem que as canções da musa tem uma maldição eterna de eliminar candidatos no The Voice, pra que insistir? E mais, contra a vontade da cantora. Deu muita dó de ver uma música que ela não queria cantar influenciando na sua derrota. Porém sua escolha de repetição também não foi das melhores. Sei que "Loving You" foi o seu divisor de águas, mas sua versão de "I Will Survive" foi muito mais hypada, e acho que essa deveria ter sido escolhida. Outro tiro no pé também pode ter sido sua apresentação com o treinador. Particularmente eu achei muito boa, adoro essa releitura que Will I Am fez de "Bang Bang" para o The Great Gatsby, porém, é tudo muito moderno. Será que o espectador conseguiu entender tudo que estava sendo projetado? no fim das contas achei tudo o que a menina apresentou nesse episódio final muito bom, mas será que foi o caminho certo para vencer? Fica a dúvida. 


Outro que também falhou na grande tarefa de conseguir se transmitir para o público foi Matt Henry. Temos que confessar que as escolhas musicais do cantor não são lá as mais populares e mais conhecidas, que ele é muito baseado em estilismo, e faz exatamente o que é dentro de seu perfil musical, que nem sempre é o mais mainstream possível. Eu adoro ele, quando eu ouvi que ele ia cantar "Babylon" lágrimas escorreram dos meus olhos (uma das minhas cações favoritas), e "hands down" Matt Henry é o melhor performer, disparado dentre todos os cantores que passaram pela temporada. Não teve nenhuma apresentação dele que eu não ficasse vidrado do começo ao fim, ele simplesmente prende a atenção, apesar de seu estilo musical não fazer o mesmo com um público mais secular. Sua apresentação com Jessie J, apesar de não ter influenciado nos votos, também foi bem floppada, diga-se de passagem. Que música era aquela que nunca ouvi?


Se havia um elo mais fraco na final do The Voice UK, esse elo com certeza era Mike Ward. De todos os cantores o rapaz era o que tinha menos expressão, e menos presença de palco, isso porque ele competia com uma cega. Não quero desmerecer o trabalho do rapaz, ele cresceu sim, muito durante a competição, mas não o suficiente para ficar à altura de seus adversários, e até o seu ponto forte que é o seu vocal, acabou deixando à desejar. Quando a apresentadora anunciou que ele cantaria "Suspicious Mind", nossa, eu surtei aqui, afinal, a música é a combinação perfeita com o tom de voz do rapaz. Porém faltou, faltou muito. Esperava muito mais dedicação à parte vocal, do que à dominação de palco e show, que é uma coisa que ele realmente não domina. Creio que o rapaz se redimiu ao reapresentar a sua música da "Blind Audition", mas como Will I Am disse, ele estava novamente um pouco desafinado. A apresentação do rapaz com Sr. Tom Jones foi tão whatever que dispensa comentários, só não foi mais flop que a de Jessie J, claro.


E por último a campeã, que parece que se preparou para fazer uma final impecável do começo ao fim. Andrea Begley subiu ao palco e fez o seu dever de casa, tudo milimetricamente correto, e ficou só esperando que os adversários tropeçassem nos próprios pés, e que o público se apaixonasse ainda mais por ela. Eu particularmente vi nessa final, uma Andrea que não tinha visto durante toda a temporada. A menina vem ganhando muita confiança desde que os "Live Shows" começaram, e isso somado à edição do programa, que idolatrou à menina, era o caminho certo para o coração do público. O que vimos foi uma Andrea Begley meiga e abusada, que sacaneia o próprio treinador, dizendo que não queria estar em seu time, e sobe ao palco e entrega performances extremamente consistentes, vocal e emocionalmente.

Quanto a questão de tocar o público, ou de se arrepiar, de tão emocionante que são as apresentações da menina, eu realmente não sei... Agora que ela é incisiva e impecável vocalmente, disso eu não tenho dúvidas. A escolha de "My Imortal" foi muito sábia da parte de Danny O'donoghue, a música explora a extensão vocal e o ótimo timbre da cantora, sem exigir muito de sua performance corporal, que é o seu ponto fraco. Para mim, foi a "song choice" mais acertada da final. Apesar da falta de desenvoltura no palco, Andrea não fez feio no seu dueto com o The Script, ela estava solta, descontraída, e cantou as letras que profetizariam a sua vitória. E para fechar com chave de ouro a cantora reapresentou a canção que à fez cair nas graças do público na sua "Blind Audition", e agora com muito mais maturidade. Pela primeira vez, me peguei emocionado e envolvido por toda aquela atmosfera que a voz da cantora criara. Impecável, é o que podemos dizer de Andrea Begley nessa final. E quem no fim das contas erra menos, acaba levando o caneco.


Então, pelo que podemos perceber de nossas experiências com as duas temporadas do The Voice UK, é que apesar de não ser tão exigente quanto o público do The Voice AU, os britânicos são sim pontuais também, e o shows acaba não se fazendo de francos favoritos, mas sim de melhores performances naquela noite, entregando o ouro à quem se destacou naquele momento da decisão. Foi assim que Leanne Mitchell levou a melhor sobre Ruth Brown ano passado, e da mesma forma Andrea Begley ganhou de Leah McFall agora.

No mais é isso meus caros, parabéns à mim e à vocês que tiveram saco que acompanhar essa naba, que foi super desgastante essa temporada, e ainda não serem recompensados no final. Há muita coisa para se repensar no formato do The Voice UK para o ano que vem, e a mais importante delas é "achar um formato", e parar de fazer tudo nas cochas como foi esse ano. Foi exaustivo chegar até aqui, não só por ele, mas por toda a maratona dos The Voice no geral. Aqui me despeço da maratona, fazendo a minha última review de The Voice do ano, esperando que o ano que vem as coisas sejam mais produtivas. Até

Talvez Você Curta

3 comentários

  1. Leah estava ao lado de Will.I.Am, um dos maiores produtores musicais da atualidade, se ele não se interessar em lançar ela, alguém vai!

    ResponderExcluir
  2. Andreia nao foi bem, nem mesmo nessa final, não entendi os seus comentários bonzinhos com ela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não! Andrea foi a mesma de sempre. Boa, mas nada além disso...
      O Mike era mil vezes melhor que ela!

      Excluir

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe