Drop Dead Diva 5x04: Cheaters

segunda-feira, julho 22, 2013


Vida de cão.

Se não tá fácil nem para os cachorros, imaginem para os humanos. Na quarta semana de retorno, Drop Dead Diva nos traz um episódio com puladas de cerca, estupros no mundo animal, espionagem, tráfico de drogas e até lesbianismo mal entendido. É tanta coisa que não dá nem pra acreditar que tivemos um andamento - mesmo que lento -  na história principal.

Confesso que quando vi que teríamos outro caso sobre gravidez, tive vontade de entrar na tela só pra esganar a Kim e fazer esse bebê nascer logo de uma vez por que não aguentaria outro caso assim. Para minha surpresa, e alívio, a grávida da vez era Stella, essa cadela Maltês simpática e que não pode ver cenas de sexo canino (mesmo que seja ela própria no vídeo).
O caso girou em torno do pobre Billy, um cão simples, debilitado fisicamente e de boa com a vida que não pôde evitar a atração que Stella representava ainda mais em seu período de cio. Hoje em dia não se pode mais pular a cerca que dá problema, mas como o simples e humilde Billy não é um supercão que pula cercas de 2 metros ou derruba portões, já estava claro que no mato desse caso tinha cachorro.
Entre as idas e vindas do caso com direito a jurado de concurso, sextape canina, indenizações absurdas e desfiles animalescos em pleno tribunal, pudemos apreciar, além da ótima direção que o caso tomou, a atuação dessas figuras caninas e as caras e bocas dos outros personagens. Quem diria que toda essa cachorrada acabaria levando a um final onde Grayson seria o cãozinho mais desolado de todos.


O segundo caso girou em torno da tentativa de restabelecer a pontuação de um vestibulando que aumentou suas notas a níveis suspeitos fazendo com que tivesse sua pontuação retida pela organização das provas. Não fosse a participação de Stacy e Paul, que definitivamente virou nosso mascote, as coisas teriam sido sem graça e lineares. Esse pobre anjo da guarda que veio para a terra aproveitar o corpo humano (quem não aproveitaria aquele corpinho?) agora se vê preso à trabalhos avulsos com assistentes novas mais avulsas ainda e à cuecas, algo ao qual nenhum homem deveria ficar preso (principalmente um como ele rs).


Com tráfico de remédios prescritos e até Big Brother Vestiário, o caso serviu novamente como base para a discussão entre Jane e Owen, que não mede esforços para pegar no pé de Jane e, consequentemente, acabar se machucando mais ainda. Fica claro que o ex-juiz ainda possui sentimentos por Jane, algo que não sumiria assim por causa de uma traição. Essa então, tem sido tão abordada que não vale nem a pena falar quando fica tão claro essa ponte entre trapaça, traição, enganação e etc. É bom ter os personagens interagindo dessa forma, mas não imagino como isso seguirá sem que haja um encerramento para os dois lados.


Falando em encerramento, não foi dessa vez que tivemos um alegre. Se pra nós foi triste, imaginem para o pobre Grayson que teve que recorrer aos conselhos da quase-lésbica e futura mamãe, ex-modelo, Stacy. Não que ela dê maus conselhos, longe disso. Mas dá pra ver que o desespero do coitado está no limite. A ideia do jantar foi ótima. Simples e com direito a declaração que teria deixado não só Jane/Deb de joelhos, mas nós todos morrendo de amor. Não fosse toda a culpa e pensamentos na cabeça de Jane, teríamos tido finalmente um momento de verdade. Uma pena que Jane tenha decidido mentir sobre ter sido apenas um “momento”, mas coisas como essa não costumam ficar guardadas por muito tempo.

PS:
- Como se houvesse alguma coisa que a Terri não sabe, não é mesmo?
- Imaginem Stacy como mãe. No aguardo de muitas risadas.
- Nova assistente avulsa direto de Switched At Birth. Quem precisa de troca de bebês quando se tem troca de assistente?


Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe