Dexter 8x07/08 - Dress Code/Are We There Yet?

quarta-feira, agosto 21, 2013


Era uma vez um conto de fadas em Dexter até que... surprise, Dex!


A montanha-russa que está sendo essa última temporada veio dar mais uma subida repentina no termômetro da tensão. Dress Code foi praticamente linear, com nada do que eu esperava, e Are We There Yet? parecia que ia seguir por um caminho estranho até que boom! Arrematou com um cliff hanger que dá margem a teorias das mais insanas.

É fácil resumir Dress Code: poucas surpresas, muitas coisas previsíveis e personagens transbordando instabilidade emocional. Vale mencionar o início como parte das surpresas, já que de todas as cenas que imaginei para o pós-retorno de Hannah McKay, nenhuma incluía Dexter acordando praticamente na sarjeta. Também não imaginava que Debra saíria dessa só pouco mais que zonza. Me parece que a Menina Veneno voltou com uma sede de vingança tão rasa que acabou ao provar menos da metade do copo. E tudo pelo poder do amor, que esteve em alta nos dois últimos episódios.

A nova atitude de Debra também segue tão linear quanto o 8x07. Agora conformada com a natureza do irmão, a moça insistiu no apelo da temporada anterior – que Dex desse cabo da loira. E Dexter, prontamente, não atendeu. Já era de se esperar, né? A princípio o protagonista tentou convencer (em vão) que antes precisava entender por que Hannah pegara leve com ele e Deb. Logo, porém, ficou evidente o que todo mundo já sabia, ou seja, que Dexter Morgan é um psicopata diferenciado, cheio de amor pra dar. Detalhes adicionais estão disponíveis no final de Are We There Yet? e dispensam comentários.

Como nem tudo era cor de rosa, Dexter tinha mais problemas nas mãos do que podia segurar. O programa de trainee de Zac Hamilton mal começara quando Dex teve de se distrair com a questão McKay. Zac, por sua vez, como um típico moleque mimado, não aceitou ser feito de besta e ficou puto. O drama foi tão exacerbado que deu vontade de dar uns bons tabefes na cara do rapaz. Provavelmente foi o que Dexter quis – e bem mais do que tapas – quando a casa de Cassie se tornou uma cena de crime que, ao que tudo indicava, fora cometido pelo jovem Hamilton.

A morte da amiga de Jamie não foi nenhum espanto, só serviu para dar resposta a qual era o propósito da personagem na série. Eis uma pergunta que continua a pairar quanto à filha de Masuka. E, falando no pai e filha excêntricos, também nesse episódio dedicaram minutos a sub-plot desnecessária (?) de ambos (ok, ‘breastaurant’ foi engraçadinho). O mesmo vale para os lances sobre Quinn e Jamie – essa última, no nível desespero extremo, quase fazendo Joey casar a força – só que agora com menos sexo. Debra e Elway também tiveram momentos que pareciam levar a algum lugar mas levaram a lugar nenhum. Em suma, as sub-plots também foram lineares e sem novidades relevantes.

O ponto de impacto acabou sendo a morte de Cassie, que fechou o capítulo. A impressão era de que as coisas não mudariam muito no 8x08, mas...

Pois é, Are We There Yet? começou despretenso, dando continuidade às mesmas problemáticas do episódio anterior. Dexter, certo de que Zac matara Cassie, retomou o plano de acabar com o estagiário. Hannah continuava em cena, mas aparentemente prestes a sair, depois de ter assassinado o marido ciumento (detalhe de Dress Code que quase escapou aqui, mas merece comentário: essa pose de moça frágil pareceu um tanto atípica. Tudo por causa de Dex?). Debra continuava querendo que Dexter desse um sumiço definitivo em McKay e assim por diante.

Quinn, que anda tão comprometido com o cargo que chega até a causar suspeitas, não desistiu de Zac e continuou a agir de forma quase tão pé no saco quanto LaGuerta quando estava tentando desmascarar Dex. Até aí, nada muito diferente do capítulo anterior.

A graça do 8x08 começou quando Dexter e Hannah foram à caça de Zac. O garoto mostrou que não era um estagiário tão ruim e havia aprendido algumas técnicas ao ficar na mesa de Dexter, mas, cometeu erros de principiante. O encontro dos três foi de dar risada: Dex puto da vida com o rapaz, porém repensando a ideia de dar uma segunda chance; Zac apavorado por ter sido descoberto; Hannah fazendo a linha “falo nada, apenas observo”. A situação ficou um pouco séria quando Zac disse não ter matado Cassie e, pelo contrário, ter seguido à caça de alguém que merecia morrer. Sem conhecer a regra número 1 do Código, Zac cometera o crime deixando todas as evidências que poderiam fazê-lo ser pego. Assim, sobrou pra papai Dexter e mamãe Hannah cuidarem do assunto.

Esse trecho foi um dos melhores momentos do episódio, sem dúvidas. De drama, a série partiu pra
linha tênue que a separa da comédia e coisas como Zac chamando Dexter de ‘dude’ conseguiram ser mais engraçadas que a excentricidade do Masuka. Pra piorar (ou melhorar), Debra continuava rastreando Dex para tentar resolver a questão Hannah e... apareceu no lugar certo, na hora errada. Passado o momento de discussão entre as duas mulheres – com Hannah confessando o amor por Dexter (pobre Deb!) –, os rapazes voltaram à cena e a hilariedade de Zac também. Destaque para a cara de fanboy do garoto ao ver que “Dexter tinha duas mulheres brigando por ele”.

Sem causar muita surpresa, Debra resolveu recuar e deixar o problema Hannah para lá. Bem mais estável do que no começo da temporada, ela agora parece estar pronta para retornar a Miami Metro. Será?

Enquanto isso, para reafirmar o clima família feliz, veio o momento de confraternização na casa da Dra. Voguel. Quase pode-se vislumbrar a titia chamando Hannah de nora. Muito amor e empatia no ar (até demais, considerando que dois psicopatas estavam na mesa), o que continuou entre Dexter e Hannah no momento da suposta despedida – até que demorou para os dois acabarem na cama, não?

E, quando eu ia começar a reclamar sobre ter ficado assistindo até o final para ver nada mais que a bunda do Michael C. Hall, veio a bomba: o divertido Zac fora mais uma vítima de ninguém menos que o ladrão do córtex. Sim, aquele que todos achavam que estava morto. Pelo visto, o real assassino é alguém mais próximo de Dexter do que parece.

Impressão minha ou a temporada agora começou pra valer?

Talvez Você Curta

1 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe