Agents of S.H.I.E.L.D. 1x09: Repairs

sábado, novembro 30, 2013


Insira aqui a entrada instigadora e levemente divertida (com duplo sentido) sobre May e Ward.

Pois é, pois é. Eu não queria acreditar, realmente não queria, mas May e Ward estão como coelhinhos tendo relações sexuais por todo o avião da SHIELD – e olhem que jurava que eles tinham ficados bêbados e ido jogar UNO no ultimo episódio – mas não, a brincadeira deve ter sido potente e ainda me pergunto de que maneira May não quebrou Ward em dois, como uma cabra.

Por ser uma série mais procedural acabo não “shippando” os casais, ou sequer imaginando Shippers que vão além da amizade, ainda mais sendo com Jed Whedon escrevendo vários episódios e Joss no comando, realmente acho que o romance acabe demorando um pouco para realmente se desenvolver. E quando se desenvolver... Preparem-se para ter seus corações esmagados, afinal, basta lembrar-se de Buffy e Angel, Buffy e Spike, Sierra e Victor (esses me fizeram chorar rios, falo mesmo)... E não iria comentar, mas não há como deixar a mais trágica de todos de fora... Willow e Tara. Romance e Felicidade não são palavras que se misturam no dicionário dos Whedon.

Falando em Felicidade, eu esqueci de mencionar, mas euzinho, Leo Gravena, estarei fazendo todas as reviews de Agents of SHIELD, cheia de referencias PNC aos quadrinhos e falando sobre o desenvolvimento psicológico dos personagens conforme os casos trabalhados... Nada como uma boa macumba manipulação psicológica para se conseguir aquilo que quer...

De qualquer forma, acho que todos estavam excitados para ver um episódio focado em May... Eu adoro a personagem e Ming-Na, mas para quem não estava preparado este episódio pode ter sido bem frustrante. Enquanto a personagem teve um desenvolvimento grande mostrado no episódio, a verdade é que, quanto a sua história ainda sabemos nada.

“Ela enfrentou um líder religioso com uma grande influencia sob seus followers”, Isso foi TUDO o que tivemos de concreto sobre o que fez com que May ganhasse o nome de Cavalaria e decidisse se aposentar. Então, vamos lá, as opções até o momento são: Joe Carrol e Baltar na 4ª temporada de Battlestar Galactica quando ele virou Jesus do Espaço.

E isso é algo que vem, levemente me irritando na série, sei que ainda é relativamente cedo para sabermos todo o passado dos personagens, mas custava sequer oferecer um nome? Claro que na Marvel há alguns personagens que possuem poderes de Manipulação e relacionados e que nunca se sabe qual seria usado na série futuramente, mas essa trama teria ficado muito mais interessante se um nomezinho tivesse sido jogado ali, somente para dar um gostinho do que está por vir...

Ainda assim, minhas maiores apostas estão em Purple-Man, segundo rumores ele é um dos vilões cotados para a série solo de Jessica Jones e se SHIELD fizesse certa integração com os futuros “Defensores” haveria mais chances de ambas as séries serem um grande sucesso. E os personagens, falando dela “pelas costas” também deu um ar meio estranho. Se fosse apenas uma conversa dela com Coulson, ou ela explicando a Skye sua história em algum momento pelo final do episódio essa trama teria sido muito melhor.

Mas quanto a May, pelo menos vimos outras facetas da personagem, fosse com o moço pulador de mundos ou naquela deliciosa cena final onde fica claro que ela estava usando pegadinhas de 7ª série em Fitz.

Já no caso da semana, a pobre moça assombrada por seus demônios, a história foi bonitinha e legal. O conceito de diversos mundos paralelos está sempre presente no Universo Marvel e as maneiras de se chegar até eles são as mais diversas, então foi muito bom ver um conceito que, para quem lê os quadrinhos (principalmente dos Vingadores e de Hank Pym), é algo que ocorre frequentemente.

Normalmente eu não sou desses que odeio a Skye, vejo a personagem como uma importante parte da série, mas neste episódio ela estava terrivelmente irritante, tirando o dialogo sobre “God is Love” todas as outras cenas da personagem ela estava mais exagerada e irritante que o normal, o que fez com que a personagem fosse de “fofa” para “insuportável” em poucos segundos. Agindo como se May tivesse aterrorizado e caçado Hannah e agindo como se fosse a melhor pessoa dali por ser a única a não ter sido treinada pela SHIELD e não ser um “robô”. É legal em doses leves, mas desta vez não.

Enquanto isso Fitz-Simmons continuam meus favoritos, as brincadeiras, a história de May com duas pistolas montada em um cavalo derrotando mais de cem assassinos treinados – que é muito melhor que a história verdadeira – fazem com que eles sejam aquele fator fofinho, divertido e gostoso de ver na série, seu amadurecimento, mas sem deixar as infantilidades de lado, é algo que realmente faz com que eles sejam especiais...

De qualquer forma, o primeiro episódio centrado em May foi sim um episódio bom, mas devido ao apelo que a personagem tem tido recentemente com os fãs, sem duvidas ela merecia algo melhor. Que poderia ter acontecido com um melhor tratamento da personagem. O fato é que Ward e May são um casal estranho, mas no sentido bom da palavra, são diferentes e isso deve ser algo que possa ser desenvolvido de uma melhor maneira no futuro.

Agora, com os dois próximos episódios sendo duplos, só posso esperar que seja fantástico, afinal, em Buffy eles eram sempre meus favoritos e em Dollhouse esse artificio ficou um pouco esquecido, espero que ele volte com tudo!

Talvez Você Curta

1 comentários

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe