The Voice 6x09/10: Battle Rounds Part 3/Part 4

domingo, março 30, 2014


Um tapa na auto estima!

Apesar das coisas não andarem muito contagiantes, a segunda semana de batalhas do The Voice acabou dando uma recuperada na moral do programa. Com ótimos pareamentos e escolhas musicais muito atrativas, o programa levou ao ar esta semana três horas de puro entretenimento. Com apresentações realmente atraentes, pela primeira vez essa temporada me vi levantar da cadeira para cantar junto com os participantes, e com tantas boas escolhas para se fazer é claro que algumas perdas foram sentidas e Steals foram mal usados.

Apesar de ter sido o #TEAMUSHER que mais teve destaque nessa fase da competição, passando dez de seus doze candidatos para a próxima fase da competição, foi o #TEAMBLAKE que se consolidou fortemente para mim. Blake se encaminha para a fase ao vivo da competição com pelo menos quatro fortes nomes em seu time, e em se tratando de um treinador que é tricampeão, não duvido nada que ele leve novamente essa temporada. #TEAMADAM novamente ficou muito aquém do esperado, e o time vai tomando cada vez mais uma forma avulsa. Por falar em avulsos, Shakira, tem metido os pés pelas mãos, e além de não conseguir montar um time sólido nas blinds, não fez melhor pelo mesmo nas battles, e continua sendo o time mais fraco e mais sem sal da competição. Sem mais delongas vamos as apresentações.



A semana começou com o que eu considero ter sido a melhor batalha do #TEAMADAM, ou para ser específico a única que realmente consegui me importar. Josh Kaufman e Austin Ellis realmente conseguiram empolgar a plateia, e entregaram uma ótima interpretação da música do Pharrell Williams. Josh tem um tom de voz incrível que encaixou perfeitamente com a música, de outro lado Austin tem uma voz que parece preencher todo o espaço a sua volta. Os cantores foram brilhantes, mas foram as voltinhas de Josh e aquela nota que ele atingiu no meio da música que realmente me convenceram. Não tinha como, ele realmente era o vencedor da batalha. O que não quer dizer que Austin tinha que ir embora para casa, afinal de contas ele é melhor que metade do #TEAMSHAKIRA e nem de longe tão avulso quanto o mesmo.






Agora sim vamos falar do que para mim foi a melhor batalha da noite, quiçá de do programa. Audra McLaughlin e Alaska & Madi, subiram ao palco com a clara intenção de dar um show. O nível da apresentação não foi de segunda rodada de reality show, mas sim de grande concerto de algum cantor country famoso. Nossa, a energia que elas passaram no palco, os vocais, tudo foi incrivelmente profissional. Tudo já começou com a ótima escolha musical, e o twist que elas colocaram foi sensacional, tem muito dedo da The Band of Perry aí, porque nunca vi Blake ser tão surpreendente nas apresentações de seu time. Enquanto Audra destilava todo o seu alcance vocal e versatilidade, Alaska & Madi destruíam nas harmonias. Foi contagiante assistir a essa apresentação, e sem dúvidas a dupla merecia mais do que qualquer outro candidato um Steal.




Na sequência tivemos a primeira batalha do #TEAMSHAKIRA e o primeiro Steal da noite. Depois de ter levado Sasha Allen às semi finais na quarta temporada, ficou mais do que comprovado que o forte de Shakira é mesmo treinar cantoras Power Vocal House, e foi realmente interessante a projeção que ela conseguiu dar a duas cantoras que me pareceram bem avulsas na primeira etapa. Deja Hall tinha uma pequena vantagem, porque fez uma blind melhor e parece ser mais comercial, porém, para mim, foi Music Box que ganhou o ringue com sua voz super encorpada. A escolha musical não foi muito boa, mas no fim das contas as cantoras conseguiram mostrar todo o seu potencial. Music Box é super a cara do #TEAMUSHER e acho que ele vai saber usar muito bem toda a versatilidade de sua voz.




O momento fofura da noite ficou por conta da apresentação de Madilyn Paige e Tanner James, que ganharam os nossos corações ao som de "Everything Has Changed". No fundo no fundo, eu sei que não foi uma apresentação tão incrível, vocalmente falando, mas alguma coisa realmente me ganhou na apresentação deles. Com certeza deve ser o "Fator Usher" de entretenimento. Apesar de ter ficado um pouco robótico, foi realmente muito fofo ver eles cantando um para o outro. Tanner é um fofo, afinado, mas Usher já tem mais dois cantores no mesmo perfil em seu time, e Madilyn tem um tom de voz distinguível e seria quem eu também levaria a frente na competição. Espero que alguém tenha um Steal reservado para ela quando ela for sacrificada contra Bria Kelly. Eu gostei muito dessa menina, desde o começo, ela é um mix de Danielle com Holly.





Seguindo adiante mais uma fraquíssima performance do #TEAMADAM, e sem dúvidas o ponto baixo da noite. primeiro que Adam não consegue nem disfarçar. Stealers Wheel! Sério? Estava na cara que a escolha musical tinha sido armada para que Dawn & Hawkes seguisse na competição. Fato que em momento algum me incomoda, afinal Josh Murley é mais avulso que nota de dois reais, mas além de ter achado super injusto, a dupla ficou muito aquém do que eu esperava. Sei que era uma música muito tranquila, que colocava eles em sua zona de conforto, mas eles poderiam ter criado muito mais coisas. Agora, o que foi Shakira roubando esse cara? Como essa mulher consegue ser tão tapada como treinadora. Realmente um desperdício de Steal.




Fechando a noite, foi a hora de mais uma vez o programa superestimar mais uma apresentação de Bria Kelly. Sério, se essa garota continuar sendo pimpada pela edição, vou achar que essa temporada foi comprada pra ela. A battle foi muito boa, mas nem de longe essa coca toda que os treinadores falaram, e particularmente preferi muito mais Tess Boyer. A cantora soube ser versátil e dar a sua própria cara a música, enquanto Bria Kelly só queria gritar, só que o tom de voz dela é muito agudo, passa muito longe do que era pra ser nessa música. Mirou Janis Joplin e acertou Idina Menzel na apresentação dos Oscars. Foi muito irritante toda a gritaria dela. Espero que o público canse rápido dessa menina, porque eu já não aguento mais. Beverly McClellan mandou lembranças de como se canta essa música decentemente.




Para a segunda noite ficaram reservados os ponto mais altos e os pontos mais baixos da semana. E como é preciso ficar ruim para depois melhorar, começamos com o que foi uma das piores batalhas "ever" da história do The Voice. Adam está cagado nas escolhas musicais, ele tentou favorecer de alguma forma Sam Behymer, mas como ela é extremamente desafinada e Cary Lane estava super fora de sua zona de conforto, o resultado só poderia ter sido essa bosta. Não entendi porque Adam fez tanta questão de ter Cary em seu time se ia sabotar ela desse jeito. Só espero que ele não faça a mesma coisa com Christina, semana que vem, e passe essa taquara rachada da Sam. Cary deve ter se arrependido amargamente de não ter ido com Blake.




Em seguida veio o que, para mim, foi a battle mais gostosa de toda a temporada. Só Blake Shelton mesmo para nos trazer um pouquinho de Michael Bublé toda temporada. E o resultado não poderia ter sido melhor. Parece que a "Base Lounge", como Usher chamou, da voz de Noah Lis caiu como uma luva para o incrível tom de voz de Kaleigh Glaton, e a apresentação não poderia ter ficado melhor. Queria eles cantando juntos pelo resto da temporada. Kaleigh é perfeita, se essa mOlher chegar nos lives ela vai ganhar a competição, escrevam o que eu estou dizendo. E as harmonias? Nossa, viajei aqui! Perfeito! Go #TEAMBLAKE! Blake esse ano está com um time muito parecido com o seu "dream team" da segunda temporada. Muito bom!




No Combo dos que não foram exibidos, vimos Christina Grimmie assustadoramente ser jogada nele e perder todo o hype criado em torno da cantora nas Blind Auditions. Ryan Maloney foi outro 4chair que não teve sua batalha exibida, e que provavelmente será deixado para trás por Blake, que deve levar Jake Worthington para os lives. Mas a grande decepção mesmo foi não poder ter assistido a apresentação de Kristen Merlin e Lindsay Bruce, e como Miranda Lambert as ajudou, afinal de contas, falaram tanto nisso nas blinds para agora não mostrar? Tanta apresentação avulsa na primeira semana que poderia ter ficado no lugar...



E para fechar os trabalhos, tivemos o segundo poderoso confronto do #TEAMSHAKIRA. A colombiana parece que realmente não aprende. Seu time já está qualquer coisa, ai ela vai e coloca duas de suas melhores cantoras no mesmo pareamento. Coerência? Ainda bem que novamente Usher viu que a loira estava fazendo cagada e roubou mais uma de suas pupilas. Quem diria hein? Que haveriam dois Steals do #TEAMSHAKIRA. Quanto a apresentação, só tenho a dizer que foi realmente incrível, Emily B. e Cierra Mickens praticamente levaram Sara Bareilles para a igreja, mas foi Emily que realmente me conquistou, as voltinhas que ela fez nas notas altas foram muito gostosas, enquanto Cierra parecia que dava umas cortadas nas suas. 



No mais é isso meus caros, parece que ainda há esperanças para a sexta temporada do The Voice. Nem tudo está perdido, e essa segunda semana de Battles realmente recuperou minhas esperanças no show. Grandes nomes se consolidaram, #TEAMBLAKE aparece como o grande time a ser vencido e as expectativas para a próxima etapa não poderiam ser maiores. Essa semana veremos um novo round das Battles, agora com apenas um treinador conselheiro, e tudo mais agressivo. Até agora ninguém realmente relevante foi embora, espero que os treinadores continuem com o bom trabalho e não façam nenhuma cagada essa semana. Estou realmente ancioso para que esses lives comecem logo. Até mais!

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe