The Voice 6x17/18: Top12/Live Results

sexta-feira, abril 25, 2014


De Olho no Caneco!

Nem de longe tão interessante quanto, e com candidatos sem metade do carisma do último Top12, a fase ao vivo do The Voice começou e se revelou tão morna quanto o resto da temporada. Sem grandes destaques ou apresentações surpreendentes, o barco foi tocado daquele jeito que já esperávamos: com os candidatos menos expressivos dando adeus a competição. A verdade é que os Live Shows foram tão ruim que o único momento realmente interessante da primeira noite foi quando o microfone acabou desligando sozinho.

No panorama geral vimos Shakira praticamente dando adeus à competição, e depois de uma temporada de preliminares desastrosa, provou mais uma vez que suas participações no programa estão fadadas ao fracasso. Já Blake mais uma vez montou um time de country, cujas apresentações são tão interessantes quanto as da quarta temporada, nem Sisaundra que eu achei que iria animar a noite conseguiu dar conta do recado. No #TEAMUSHER o problema acabou sendo exatamente aquele que eu tinha previsto, os dois cantores soul acabaram minando um ao outro, e como ele tinha que fazer uma escolha, o treinador sabiamente optou em apoiar o que tinha o estilo mais comercialmente viável. E Adam Levine depois de fazer uma quinta temporada impressionante, aprendeu a estrategiar, diversificou o seu time e nem Kat Perkins, que eu achava que era o seu elo mais fraco, correu risco de eliminação essa semana. sem mais delongas, vamos as apresentações...


A noite começou com apresentações bem fracas, e a primeira delas se bobear foi a pior de todas. Devo confessar que torci tanto pelo flop dessa menina, que quando ela começou subtonando a música... Eu, pronto! Se fudeu! Acho que depois dessa semana ficou bem claro que ela não possui a menor versatilidade vocal, o baixo registro dela é péssimo... Ou seja, a única coisa que Bria Kelly sabe fazer é gritar. Sério, adel deveria processar o programa pela cagada que ela fez com a a música. Quase que ela pega bottom! Além de ser uma cantora limitada, Bria não possui o menor carisma. Acho que os dias da moça no The Voice estão contados!




Na sequência tivemos a monótona apresentação de Delvin Choice. Que acompanha aqui sabe que não fui de primeira com a cara do cantor, mas desenvolvi um apego especial por ele depois da épica batalha dele com Josh e de sua ótima apresentação nos Playoffs. Porém acho que o rapaz começou os lives com o pé esquerdo, e além de uma péssima escolha musical sua performance foi linear do começo ao fim. Sem arriscar muito e sem buscar notas mais altas, o rapaz se ateve a interpretar uma versão basicona de um grande clássico, que provavelmente não teve nenhum apelo popular. A única coisa realmente interessante foi o falsete, de resto achei tudo bem descartável, parecia que estava vendo uma apresentação do T.J. Wilkins.




O segundo desastre da noite veio direto do #TEAMSHAKIRA, que atualmente possui o time mais cagado de todas as temporadas do The Voice. Dani Moz subiu ao palco usando o vigésimo Caftã da temporada, para nos entregar mais umas versão cagada de Pink. Sério, além de ter sido ridículo ela repetir a cantora, parecia que ela estava em um karaokê o tempo todo. É bizarro como podem achar uma performance dessa válida. É como se fosse Karaokê - Karaokê - Bad Karaokê - The Gritaria is Coming - Gritaria - Choro com Vibrato e fim da música. É ridículo como tanta gente ainda cai nessa fórmula batida. Disparado a pior apresentação da noite.




Apesar da apresentação de Audra McLaughlin ter sido bem regular, ou até boa pode se dizer, para mim o grande erro foi a escolha musical. O tom de voz da cantora é super aberto, por isso creio que não funcionou em momento algum com "Angel of The Morning". Essas músicas dos anos 80 pedem um tom de voz mais taciturno, sem contar que o arranjo country sem os sintetizadores tira toda a magia da canção. Porém, dentro do material que tinha para trabalhar, ela até que fez um bom trabalho. Achei bacana ela fazer aquela coisa meio chorosa, meio rádio no refrão... Até que funcionou, mas não vimos nem metade de seu potencial.




Na sequência foi a vez de T.J. Boring Wilkins. Como eu havia comentado na review do episódio passado, era necessário que o rapaz tentasse algo mais moderno, e foi exatamente isso que Usher o obrigou a fazer. A ideia, era cantar uma canção mais atual para ver se o cantor conseguia fazer uma conexão melhor com o público, porém há um grande perigo nisso tudo. Se o cantor não sabe ser versátil, não adianta obrigá-lo a fazer uma coisa fora de sua zona de conforto que ele não irá conseguir. E foi isso que aconteceu com T.J. Amo "Waiting on The World to Change", mas a versão dele foi uma das piores coisas que já vi na vida. Ficou uma coisa pesada, super marcada, perdeu toda a leveza original da voz do Joh Mayer. Enfim, para mimnão funcionou. Apesar de ter uma incrível versatilidade vocal o cantor precisa treinar mais outros estilos musicais.




Fechando o primeiro grupo de apresentações da noite, o hit do Youtube Christina Grimmie subiu ao palco para cantar mais um pop. E devo dizer que minhas expectativas eram bem altas. Depois de ter feito uma apresentação, digamos, bacana, semana passada, realmente fiquei na vontade para vê-la entregar outra performance como a da sua Blind Audition. O que vimos, entretanto, foi uma coisa bem morna, bem mais do mesmo. Tudo bem que o "mais do mesmo" da cantora ainda é bem acima da média de alguns cantores, porém acho que sua apresentação ficou bem aquém de sua performance na semana passada, deixando a desejar.




Na segunda metade da noite as apresentações até que deram uma subidinha no nível, mas nada também de muito espetacular. Sisaundra Lewis subiu ao palco e fez o que sabe fazer de melhor... Cantar. Acho que o melhor do potencial "star" da cantora, todavia, é perdido por causa de suas escolhas musicais. "Don't Let the Sun Go Down on Me" é mais uma música antiga que ela apresenta, correndo o risco de parecer super datada, da mesma forma que T.J. Wilkins, e de daqui a mais duas semanas o público já se cansar dela. Acho que é hora de rever a playlist e começar escolher umas músicas com as quais o público possa se identificar mais.




A grande surpresa da noite, porém, estava por vir na apresentação de Kristen Merlin, não em sua performance em si, mas com o que aconteceria no meio dela. Primeiro deixa eu começar dizendo que foi a primeira escolha musical realmente boa da noite. Depois que Blake Shelton falou do "Quick Vibrato" da cantora e de Shakira, eu realmente comecei a parar para prestar atenção nisso, e Sugarland caiu como uma luva para a cantora. Eu que nunca fui muito com a cara dela tive que dar o braço a torcer, não só para a sua execução, quanto para o seu profissionalismo. A cantora continuou cantando a música e fazendo carão lindamente, mesmo depois do microfone ter falhado. Isso é atitude de profissional, de quem realmente já está acostumada com os palcos.




Outra grande apresentação nessa primeira noite, sem dúvidas foi a de Kat Perkins. A cantora tem vocal suficiente para encarar qualquer música dessas mais populares do Heart, mas achei a escolha de "Magic Man" bem ousada, querendo ou não saiu dessas músicas já batidas no reality, e diversificou um pouco. Adam é o técnico que mais arrisca e mais diversifica nas escolhas musicais de seu pupilos, desde sempre saindo da zona de conforto. Quanto a execução foi impecável como sempre, a cantora não uma das que começou como favoritas na competição, porém tem subido no meu conceito semana após semana.




Da mesma forma que as outras integrantes de seu time, Jake Worthington também fez uma escolha musical "Old Fashion", e em se tratando do cantor não tem muito o que dar errado quando a escolha é country, principalmente se for desses antigões. Apesar de ter sido mais do mesmo, até que ficou bem gostosa e bacana a performance dele. O tom de voz de Jake é uma coisa que aprendi a apreciar com o decorrer da temporada, e agora meio que me sinto viciado, parecido com o que aconteceu com Danielle Bradbery parece que a voz dele realmente funciona comercialmente. Acho que esse menino vai longe na competição.




Alguma coisa desandou fortemente na apresentação de Tess Boyer. Apesar de eu ter achado bem apreciável toda a apresentação dela, alguma coisa realmente não funcionou, porque mesmo colocada como uma das últimas da noite, a cantora acabou completando o tão desagradável grupo do bottom 3. Se eu tivesse que arriscar alguma coisa eu diria que foi o fator "rocker" que faltou, afinal anteriormente cantoras versáteis como Amanda BrownKat Robichaud também se arriscaram no estilo e foram felizes, exatamente por terem sido fiéis ao estilo, porém nem de longe acho que a performance da cantora foi ruim. Ela foi dinâmica, conseguiu aquelas notas altas que sempre esperamos que ela faça, mas no final algo acabou não agradando ao público.




Fechando a noite com chave de ouro, tivemos a única apresentação realmente relevante da noite. Olha que eu vou te falar uma coisa Josh Kaufman arrasou pela terceira semana consecutiva e foi o único a pegar Top10. Eu realmente não esperava por isso, mas podemos estar olhando para o possível campeão da sexta temporada do The Voice. O lugar de favorito no #TEAMUSHER ele já roubou de Bria Kelly, Adam Levine vai amargar seriamente o gosto da derrota se esse cara levar o caneco. Se tem um cantor que foi a minha pira no ultimo ano, esse cantor foi Sam Smith, as músicas dele são perfeitas, a voz incrível, e se tinha alguém para dar conta do recado, esse alguém era Josh. Apesar de não ter o tom de voz mais grave igual ao de Sam, ele dominou a performance de ponta a ponta. só víamos a cara de Usher de orgulhoso o tempo todo. sério, foi brilhante! Merecido Top10. Espero ser presenteado com mais performances assim o resto da temporada.



Na noite de resultados nenhuma surpresa aconteceu. Como previsto no oráculo do iTunes Josh Kaufman acabou levando a semana disparado em relação aos seus competidores e já dá o pontapé inicial para chegar pelo menos à final. Se depois dessa ele emplacar um "Hallelujah", o cara já está feito. E como também previsto pelo iTunes, os candidatos mais fracos da segunda, exceto Bria Kelly, acabaram compondo o bottom da semana. Não sei até quando o status de Bria irá conseguir levá-la adiante na competição em meio a tantas apresentações ruins, só sei que não será muito longe. A surpresa da temporada ficou por conta das apresentações, agora o Bottom3 tem a chance de cantar para salvar suas cabeças e impressionar novamente os espectadores que votarão no Twitter. "The Time Has Come, 4U2 Lip Sync Sing 4 Your Life!"



T. J. Wilkins parece que não entendeu muito bem a proposta de morte súbita das apresentações da terça, e escolheu uma música qualquer, sem nenhuma nota alta, sem nenhum destaque vocal e acabou fazendo a performance mais fraca dentre as três. E lá se foi o primeiro candidato do #TEAMUSHER.




Dani Moz estreiou mais um Caftã look na noite de Terça-Feira e acabou indo de Adelis da Depressão para se salvar da eliminação. Ela fez uma performance sólida, a musica possibilitou que ela explorasse o melhor de seu vocal, que são as notas altas, mas não foi páreo para a concorrência e deu adeus a competição.




Quem parece que veio mesmo para brigar e cravar o seu espaço mais uma semana na competição foi Tess Boyer. Estrategicamente a cantora mandou um "Dark Side", que além de combinar muito com sua voz, faz parte de uma das épocas vocais mais poderosas de Kelly Clarkson. A cantora explorou seus graves, fez as notas altas direitinho e ainda dominou o palco em sua apresentação, coisa que nenhum dos outros dois candidatos fizeram. Sem dúvidas ela mereceu continuar, mas alguma coisa terá que ser feita para que a cantora atinja o mesmo nível competitivo que os outros participantes do reality. Voz ela já tem, resta saber o que continua faltando que deixou os americanos tão insatisfeitos com a sua apresentação da Segunda.


No mais é isso meus caros, foi um começo bem morno de Live Shows, e espero que com o decorrer da temporada a coisa acabe andando mais um pouco e os participantes desenvolvam mais o seus potenciais. Até o momento minha aposta para o Top3 fica sendo Josh Kaufman, Christina Grimmie e Sisaundra Lewis. Se Jake Worthington se consolidar mais uma vez semana que vem é bem capaz que ele acabe tomando o lugar de sua parceira de time no pódio. Até semana que vem com o Top10!

Talvez Você Curta

0 comentários

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe