The Voice AU 2x20: Live Finals Part 2

quinta-feira, julho 03, 2014


Imagine um The Voice Austrália Perfeito!

Depois de um fraco aquecimento na segunda passada, parece que os candidatos do The Voice resolveram acordar para os Live Shows e regressaram brilhantemente esta semana. Quem não aproveitou o intervalo para melhorar e trazer o seu "A Game", certamente ficou para trás e deverá deixar a competição na semana que vem. Os grandes destaques da noite foram ZK, que continua sendo profundamente urgente; Sabrina Batshon que parece ter finalmente encontrado o seu espaço dentro da competição; e claro, Gabriel & Cecilia, que foram a grande surpresa da noite. Experimenta daqui e dali, com certeza uma hora eles iriam acertar em cheio.

Emoção foi o que não faltou segunda, e os artistas nos levaram a um outro patamar de contemplação com suas incríveis vozes. Apesar do show ter sido novamente dominado pelo #TEAMRICK e #TEAMWILL, a competição continua um samba do crioulo doido. Depois da atestada queda da front runner da temporada Elly Oh, parece que virou jogo de ninguém, Sabrina parecia estar liderando isolada na semana passada, mas ai o time de Will.I.Am. resolveu acordar e trouxe não apenas uma mas duas fortes apresentações, e ainda temos Isaac McGovern, que depois do fiasco da semana passada, voltou para a competição com sua performance de "Iris" e provou que o Instant Save pode ser o verdadeiro protagonista dessa reta final da competição.


Quem abriu a noite foi o entediante #TEAMKYLE, esta semana especialmente mais entediante que o de costume. O primeiro a se apresentar foi Johnny Rollins, e apesar do cantor ter floppado lindamente na semana passada, parece que a matemática de Kylie Minogue em salvá-lo estava certa. Com o suporte da treinadora, o candidato foi o mais bem colocado de seu time, porém nem de longe um dos melhores atos da noite. Não sei o que as pessoas viram de excepcional na apresentação dele. Particularmente, prefiro um cantor que não toque nada e cante muito bem, do que um mediano que toque bateria no palco giratório. A apresentação foi tão morna quanto a anterior, mas acho que é uma música que as pessoas estão curtindo.


Na sequência tivemos o tira teima entre os dois candidatos mais fracos do time, e vimos Robbie Balmer levar ao palco uma versão realmente entediante da grandiosa "The Scientist". Sério, se fosse para fazer uma versão idêntica a do Coldplay, era só chamar a banda para tocar novamente, não precisava do cantor. Todos os elementos que são interessantes na voz de Robbie, não foram explorados pelo cantor nessa apresentação. Seus lindos falsetes, a aura intimista que geralmente ele faz em torno de si... Nada, nada do que curtíamos estava lá. O que vimos foi uma versão full voice o tempo todo e era como se outro cantor tivesse subido ao palco, bem mais pró-ativo e com uma desenvoltura de palco bem melhor.


Ai você pensa, nadas pode ser mais entediante do que isso, Robbie Balmer está fora... Calma, John Lingard sempre pode te surpreender no quesito mesmice. É sério, eu não sei porque diabos Kylie levou essa criatura para os Live Shows, se ele faz a mesma coisa desde que colocou os pés no programa... Ser chato. Ele é muito errado. Escolheu uma música da treinadora que nunca ouvi falar na minha vida, fez uma versão folk down, e foi sumariamente eliminado da competição. A proximidade do resultado na realidade foi porque os dois candidatos foram tão ruins que o público na realidade queria que ambos fossem eliminados.


Um minuto de pausa, e alguém pede para Kylie Minogue parar de colocar o álbum inteiro da Katy Perry para os seus candidatos cantarem? Grato! Kat Jade, que obviamente foi a mais votada da semana passada, voltou novamente com sua nova personalidade, dominou o palco da mesma forma, fez ótimas notas altas como de praxe, contudo o impacto já não foi mais o mesmo. As músicas de Katy Perry já não são lá grandes coisas, dinamicamente falando, e a cantora ainda encontrou grandes dificuldades em executar os baixos registros da canção... Apesar de ter mandado muito bem no refrão, mais da metade da performance foi extremamente monótona, e isso afetou diretamente em seu score no iTunes, que deu uma despencada.


Sabe o que é ainda pior que o entediante #TEAMKYLIE? O fraquíssimo #TEAMJOEL, que abriu o seu ato com mais uma apresentação avulsa rock de Frank Lakoudis. Essa semana preciso realmente confessar que os vocais estavam extremamente no ponto, mas tem alguma coisa nesse rapaz que realmente não convence ninguém. Acho que a expressão certa é sem graça. Essa imagem de roqueiro bad ass que Joel Madden está tentando vender dele, simplesmente não funciona, e parece que todos os espectadores já estão cientes disso. Ele flopou mais uma vez, e esta semana graças a Deus não terá seu treinador para salvá-lo.


Quem abriu as apresentações do Bottom 2 foi Isaac McGovern, que foi um fiasco na semana passada, reconheceu isso, mas inconformado com o flop, resolveu sacudir a poeira e dar a volta por cima. E que jeito de voltar por cima. Que apresentação incrível, tudo o que mais adoramos na voz do rapaz estava lá... Sua técnica vocal, suas voltinhas, seu violão, seu toque intimista nas canções... Foi impecável! Ele não só voltou a se projetar na competição, como colocou #TEAMJOEL novamente no mapa da mesma.


Depois desse ato, não tinha mais muita coisa que Taila Gouge pudesse fazer para salvar a sua pele, ainda mais com mais uma escolha musical completamente errada. Tenho dito, essa menina só não hitou nos Live Shows por pura sabotagem de seu treinador, que é muito fã dos outros três concorrentes, como ele mesmo diz. Nem seu agudo mais potente poderia esconder o fato de que tudo em sua apresentação estava fora de sintonia. Uma cantora country, vestida tipicamente, cantando pop rock, sob luzes retrô... Sabotagem é pouco.


Fechando o time, tivemos Holly Tapp que tentou ser tão especial e excêntrica como na semana passada, mas não teve o mesmo sucesso. Chegamos então a conclusão que tudo não passou de um belo golpe de sorte, um tiro acertado no escuro. Sua versão Jazzie de "Single Ladies" foi diferente, sofisticada, bonita... Mas sinceramente? Quase me fez dormir. Não sei se depois dessa ela continua sendo glamour na semana que vem, ou se depois da primeira falha ela voltará para sua zona de conforto. Teremos que aguardar para ver.


Ai Gabriel & Cecilia sobem ao palco deixam claro se uma hora de puro tédio seria recompensada à partir daquele momento. Linda, perfeita, magnífica... Adjetivos faltam para exaltar a apresentação desses dois. Eu falei na semana passada e volto a reiterar, Gabriel é um grande produtor, eles vem experimentando desde o começo do programa, tudo o que eles precisavam era dar uma bola dentro... E finalmente aconteceu. A dupla finalmente saiu do patamar de "experimental interessante, quero ouvir mais deles" para "experimental fucking awesome, eles são geniais". Que versão incrível, eu aposto que Rick Martin não sabia que eles eram capazes disso quando abriu mão deles. E Will.I.Am. mandou logo a letra, eles não foram bem com o latino, porque o treinador não soube respeitar o tipo de artista que eles são, ao contrário dele que sabe respeitar a individualidade do artista. Brilhante! Melhor momento da noite.


Quem poderia imaginar que os dois 4 Chairs mais pimpados do #TEAMWILL estariam nessa posição? Isso prova mais ainda que no time do produtor americano não basta ser bom, tem que ter personalidade artística. Mat Verevis fez uma versão bem fraca de "Rocket Man", muito aquém do que eu esperava dele. Parece que depois das milhares de desafinadas da semana passada ele resolveu jogar seguro, e passou a música inteira sem fazer notas altas, e cá entre nós, "Rocket Man" implora por essas notas. É tão gostoso quando alguém consegue fazê-las. Ben Kelly e Andreas Kümmert mandaram lembranças, Parece que com o rapaz é uma bola dentro e duas foras, super inconstante... Acho que foi superestimado e já vai tarde.


"Please Stop White People!" Sério, essa menina branca, sem sal, só podia estarde brincadeira quando escolheu "Irreplaceable" para apresentar. Sabemos que Anja Nissen realmente tem uma voz que não pertence ao corpo dela, que ela conseguiria fazer todas as notas da música... Agora... O gingado... Não né...? Ela parecia uma coisa desengonçada no palco tentando dançar e fazer dedinhos. Foi vergonhoso! Para mim foi disparada a pior  apresentação da cantora, que corre sérios riscos de deixar a competição na semana que vem.


E ZK hein? Eu chega me arrepio toda vez que vou falar deles. Parece que essa semana eles vieram com tudo. Que apresentação linda, perfeita! Foi simplesmente impossível não se emocionar com uma performance tão envolvente. É realmente o que Rick disse... "É uma música que precisamos manter viva, e se é para fazer do jeito que eles fizeram... Por favor não parem!" Incrível! Eu não sei como eles conseguem transmitir isso toda vez que cantam, mas é como se quando subissem ao palco, toda mensagem que eles tivessem para transmitir fosse de extrema urgência! Toca no mais profundo da alma e transforma emoções. Isso para não falar de que eu perdi a conta de quantos runs eles fizeram no decorrer da música! Perfeito!


#TEAMRICK foi pimpado mais uma vez e foi novamente escolhido para fechar a noite. Quem começou os trabalhos foi Jackson Thomas com sua ótima versão da música de Seal. E não conseguiria colocar no papel em que ponto o artista evoluiu da semana passada para essa, só sei que o fez. Apesar da apresentação ter ficado menos interessante, por ele não utilizou seus recursos vocais mais bonitos, a música era extremamente difícil, com altos e baixos constantes, e o cantor deu um jeito de fazer tudo com maestria. Isso além do fato de que ele parecia estar muito mais confortável no palco que na semana passada. Muito bom!


Quando eu falo que essa temporada é jogo de ninguém e que virou uma samba do crioulo doido, eu não estou mentindo. Ano passado a essa altura já sabíamos, os finalistas, o campeão, e note que três deles eram 4 Chairs e franco favoritos desde o começo. No #TEAMWILL as coisas ainda são um pouco mais equilibradas, mas aqui a virada de mesa foi sensacional, ver os dois candidatos mais pimpados do #TEAMRICK nessa posição foi absolutamente desconcertante. C Major fez uma apresentação que ninguém se importou, porque ele não estava dançando... Brincadeira, ele foi bem, mas bem não é absolutamente nada quando se está em um time de cantores excepcionais. Demos adeus então, a Caterina Torres da temporada.


Quem fechou o Bottom 2 e foi um pouquinho melhor que C Major, foi Elly Oh, não pela qualidade da apresentação, mas pelo diferencial, por mais uma vez a cantora ter provado que é uma artista versátil. Dessa vez, inclusive, pegando uma pop bem comum e pouco icônico. Eu acho, eu só acho, que a hora da brincadeira acabou, e que se a cantora realmente quiser continuar na competição é hora de trazer o armamento pesado. Uma voz poderosa como a dela precisa de músicas poderosas, porque não uma ópera novamente? Elly Oh precisa ser firme com o treinador e bater o pé para fazer algo realmente marcante... Se não o seu adeus à competição pode ser muito mais precoce do que imaginávamos.


Enquanto a coreana brinca em serviço, Sabrina Batshon vem cada vez mais provando que é realmente a voz a ser batida nesses Live Shows. Poxa! Que apresentação! É como se ela tivesse combinado o seu ótimo Showdown com seu incrível primeiro Live Show, e virou essa coisa maravilhosa que vimos. Look forte e sedutor, poderosa presença da palco, projeção de voz... Tudo isso ela melhorou no decorrer da temporada, mas uma coisa que ela não perdeu, como Kylie foi bem enfática, foi a sua precisão. Mesmo não tendo aquele vibrato que Shakira tem na voz, ele deu um jeito de ser impecável em todas as notas e estendê-las da forma mais elegante e escultural possível. Sabrina é sensacional!  Já é finalista do #TEAMRICK.


No mais é isso meus caros! Ótima noite, apresentações melhores que as da semana passada, e é claro que me refiro ao #TEAMRICK e #TEAMWILL, porque se for esperar pelos outros dois esperaremos sentados. Tivemos ainda a ótima abertura ao som de Kylie Minogue, que agora é tiazinha também em suas performances, saudades Kylie sedutora. Enfim, no geral o entretenimento da segunda parte para o final foi bem superior a semana passada, e já fez valer a noite, com pelo menos quatro fortes apresentações.

#TEAMJOEL ia muito mal das pernas, e depois de semana passada achei que fosse sucumbir de vez, afinal de contas Holly Tapp não tem capacidade para carregar um time nas costas. Felizmente Isaac McGovern renasceu das cinzas como a fênix e foi o único Bottom a reverter a preferência popular prévia. Como ele era o único candidato do time que conseguiria chegar a final sendo levado à sério, espero que ele realmente consiga se recuperar e sair direto do Bottom para front runner do time novamente, semana que vem.

#TEAMKYLIE realmente não sei o que aconteceu, estava super estagnado essa semana, nada foi interessante, nada foi surpreendente, vimos mais do mesmo de todos os candidatos... A treinadora precisa seriamente chacoalhar para semana que vem se não quiser ser superada pelos cantores de Joel Madden. Kat precisa parar de cantar Katy Perry, Johnny precisa sair da bateria e Robbie... Bom, o Robbie vai sair.

#TEAMWILL é sem dúvidas o mais interessante de todos nesse ponto. Parece que Anja Nissen já é realmente carta fora do baralho, contudo sabemos que ela tem voz suficiente para virar o jogo em um possível instant save. Will.I.Am. irá fazer história levando duas duplas às semi finais, e não são quaisquer duplas, são duplas incríveis, e a briga promete ser boa, já que essa semana Gabriel & Cecilia passaram ZK no ranking do iTunes. Será a técnica versus a emoção, quem irá vencer? Eu só sei que tenho ZK escrito no meu coração.

#TEAMRICK parece que finalmente consolidou um nome. Depois de muitas conturbações e dança das cadeiras, Sabrina Batshon consolidou-se como a grande favorita do time, e se pá da competição. Depois de duas ótimas apresentações consecutivas, vai ser difícil alguém tirar o posto de finalista da baixinha, que já está praticamente com a mão no caneco. Jackson foi melhor que Elly Oh novamente, mas sabemos que é só fazer uma apresentação um pouco melhor que sua base de fãs irá correr para salvá-la, o que nos resta é esperar por semana que vem, para ver quem será o segundo finalista do time de Rick Martin.

Então ficamos por aqui, e ao que tudo indica Sabrina Batshon, Gabriel & Cecilia e ZK são os grandes nomes da competição, apesar de eu achar que apenas ZK conseguiria enfrentar Sabrina de igual para igual em uma final. Isaac voltou para colocar #TEAMJOEL de volta no mapa, e Kyle Minogue tem tudo para ser uma forte finalista se tirar um pouco os olhos de Johnny e investir um pouco mais na versatilidade de Kat.

Talvez Você Curta

2 comentários

  1. Acompanhando as reviews aqui. Me conquistou. Quem escreve sobre o The Voice no S.A. está de parabéns, principalmente pela imparcialidade. Enfim, meus favoritos:

    TEAM KYLIE: KAT
    TEAM JOEL: HOLLY (gosto do Isaac também)
    TEAM WILL: ZK <3
    TEAM RICK: ELLY (mas a sabrina tá com fogo no rabo rs)

    Enfim, acompanhando o The Voice com muito amor no coração, mas me deixa deprimido. Qualquer reality musical me deixa saudades do REI/RAINHA: The Glee Project. Saudades, TGP. Saudades.

    ResponderExcluir
  2. Primeira apresentação de ZK e Gabriel e Cecilia que eu consigo assistir sem achar ruim ou dormir lol Sabrina <3 merece ganhar essa naba toda!!!!!

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe