Castle 7x03: Clear & Present Danger

quinta-feira, outubro 16, 2014

Está claro que o nosso assassino é o homem invisível.


Para quem observa a foto acima, e assistiu ao último episódio de Castle nesta segunda. Não há como evitar as belas gargalhadas que instigarão sua memória. E foi com este senso de humor, (em doses elevadas), que o episódio Clear & Present Danger se encaixou, facilmente, nas lista dos mais engraçados roteiros da série.

Porém, verdade seja dita, não foi apenas de belas palhaçadas que se apoiou a história escrita por Chad Gomez Creasey. O grande mérito de Castle foi se apropriar de um dos grandes méritos da essência da comédia, (a mistura de elementos diversificados), apresentando um caso sofisticado, mas não removendo o interesse do público.

Se alguém me perguntar o que eu assisti em Clear & Present Danger. Talvez seja possível resumir dizendo que havia elementos de: tecnologia militar, física quântica, biologia, investigação criminal, jogos de RPG, geeks, policiais, cientistas. E tudo conectado com ótimas pitadas de sarcasmo e romance.

Calma, calma... Eu não mudei de série. Estou mesmo, falando de Castle.
...

Quando todos me comentaram a enorme satisfação com o episódio, eu confesso que não levei muita "fé". Achei que era exagero de fã, ou que apenas uma cena mais quente entre Ricky e Kate seria suficiente para deixar todo mundo maluco.

Também é verdade, que a "pegação" embalada ao ritmo de panelas, foi mais do que tivemos em seis anos de série, ou dois anos de namoro. E, obviamente, eu gostei tanto quanto vocês (ou mais). Porém, Clear & Present Danger merece todos as honras e elogios recebidos. Pois não foi uma situação em que eu me recordei de temporadas passadas, na verdade, o que vi ali foi uma química criada entre o elenco e uma dinâmica oferecida pela evolução dos personagens capaz de oferecer algo mais do que estamos habituados. E talvez, até melhor do que já vimos anteriormente.

Você acha exagero?

Pois posso lhe provar porque tenho este ponto de vista.

Acredito o que mais me chamou a atenção foi o retorno do Castle "criança", debochado, e com a liberdade que deveria ter sido aproveitada há muito tempo. Afinal, se antes de namorar com Kate, Ricky já possuía toda uma ousadia que nem lhe era permitido. Após seu desaparecimento e retorno, não há mais medo de ser advertido pela Capitã Gates, ao mesmo tempo em que o espírito Carpem Diem tomou conta de quem quase perdeu tudo. Sendo assim, nada mais justo do que, ao perceber que seu relacionamento vai bem, voltar a ser a metade do homem pelo qual Beckett se apaixonou. (Digo metade, porque a outra parte é uma eterna criança).

Ainda, seguindo pela mesma linha de raciocínio... Ninguém nunca disse que o romance precisa explicitar sexualidade. Na realidade o romance precisa expor a casualidade, o rotineiro divertido e exclusivo de um casal que está mais do que concretizado. Quando penso nisso, acho genial a ideia de discutirem a questão do sexo, (ou a falta dele), e o impacto que isto causa em um casal. Como as brincadeiras, provocações do que vai ou não vai vestir, o namorado que aproveita a oportunidade para "tirar uma casquinha da namorada"... Tudo isso compõem um relacionamento, e este jogo da sedução (praticado diariamente) entre um casal que oferece o grande tempero de uma relação, e quando este jogo torna-se criativo, ele ganha o carisma de qualquer público, do mais puritano ao extremo da indecência. Simplesmente, porque exprime as duas partes necessárias à sustentação e preservação do amor.

Para garantir a "segurança", vamos fazer uma varredura térmica.



Quando penso que Clear & Present Danger  conseguiu oferecer ao shipper o que ele tanto deseja sem perder o foco ou a qualidade de todo o pano de fundo, é admirável perceber que estamos diante de uma série concreta, que sabe fazer o dever de casa, e não "derrapa" em nenhum conceito que deseja abordar.

E o grande exemplo disso ficou por conta do caso da semana. Afinal, desde os vídeos promocionais do episódio, muito eu questionei como o roteiro justificaria a invisibilidade. E não é dizer que foi uma "tacada de mestre", porque não foi, o que vi foi um grupo de escritores extremamente atualizados e familiarizados com temas da tecnologia moderna. Capazes de abordar um assunto que é foco de inúmeras matérias científicas desde 2010 (refração negativa e metamateriais), e que alcançou uma forte atenção da mídia, exatamente este ano. Um tema complexo, e de pouco interesse para muitos, se transformou em um caso bem elaborado, com conexões dentro da DARPA (é preciso mencionar outras siglas de vez em quando), e capaz de oferecer humor sem perder a dinâmica.

Parece simples, mas não é. Já assisti a inúmeras séries que tentam se modernizar, mostrar sofisticação com ciência, tecnologia e mais e mais equipamentos, e não chegam nem perto do que Castle faz (quando quer, lógico!).

Desde a entrada da personagem de Tory para o elenco principal, eu venho comentado sobre a chance de monopolizar sua presença para atualizar a série. Não sei se andam me ouvindo, mas eu fico tão feliz quando vejo um plot como o da última segunda-feira. Acredito que eu não seja a única, mas sempre que pegamos um texto de qualidade e que consegue oferecer atenção a todos os personagens envolvidos é de encher os olhos de satisfação.

E foi exatamente isto que Clear & Present Danger fez. Conseguiu dar atenção para Ryan e seu novo emprego, com direito a muitas piadas de Esposito com o amigo. Afinal, ele merece, até mesmo o presente para ser usado em seu turno noturno. Ao mesmo tempo, Martha, que praticamente não participou do episódio. Foi bonificada, quando buscava fio-dental, em uma das cenas mais épicas de Castle.

Um nerd suas artimanhas para sobreviver a um apocalipse zumbi. Nada mais justo do que a mãe que educou esta criatura torne-se vítima de seus absurdos.

Seria justo que Ryan usasse o presente em um episódio futuro.


Não houve momento mais engraçado do que ver a mamãe Rogers presa à armadilha de panelas de Castle. Mas não vou negar que adorei quando a suposta assassina não dá a minima para a ordem de prisão de Beckett e... "perna pra quem te quero!". Foi tão espontâneo e inusitado que eu bati palmas... Por quê todo mundo tem que sair se entregando? Bora colocar esta duplinha pra correr!

Quando vi os dois indo parar em um laboratório de química, fiquei esperando o momento que alguém iria se tocar quanto a resfriar o traje que a "mulher invisível" (Castle se enganou, só um pouquinho) estava usando. Mas foi o ápice de minha felicidade quando o próprio Ricky faz um comentário ao estilo fã dizendo o quanto sentia falta da conexão mental com Kate.

Clear & Present Danger é o procedural perfeito. Não sei se alguém já utilizou um termo como este, mas... Quando observo o episódio vejo que tratava-se sim, de apenas mais um caso da semana. Mas nem por isso ele deixou de ser especial, captando a grande sacada do personagem protagonista, que envolveu-se nas aventuras investigativas por enxergar a singularidade de cada uma delas, com a mesma intensidade em que foi possível observar no episódio desta semana.

O caso foi moderno, complexo e muito bem justificado. Enquanto nos divertíamos com uma delegacia que se recusava a admitir que investigava um assassino invisível, Ryan tentando administrar o bullying de Esposito e sua dupla jornada de trabalho. Beckett mentiu à chefe, por vergonha de admitir o improvável, e Castle administrava a felicidade de descobrir como ficar invisível, matar e roubar a espada do Rei dos Elfos, duelar com Beckett quanto a sua razão em um caso absurdo, sem perder a oportunidade de flertar com a noiva.

Você queria mais?

Pois eu nem esperava por tudo isto.

Nem o Castle esperava tamanha recompensa.



Castle e a ciência


Se vocês me conhecem mesmo, saberiam que não deixaria "passar batido" o assunto tratado no episódio. Aliás, diga-se de passagem que Castle sambou na cara do universo nerd durante esta semana, com referências a Senhor dos Anéis, Jogos de RPG online, Projeto Manhattan.

Dentre os assuntos, talvez o mais relevante, e que me chamou muita atenção, foi quando utilizaram o termo metamateriais e cloaking. Simplesmente porque trata-se de um desenvolvimento "recente" no mundo da física.

Cloaking é o termo científico dado para o efeito de invisibilidade, que pode ser provocado apenas com materiais que são capazes de gerar refração negativa (o feixe de luz, é capaz de se desviar do objeto, sem luz que incida sobre o objeto, logo não se é capaz de vê-lo).

Estes materiais não existem na natureza, mas já são produzidos em laboratórios, sendo chamados de metamateriais.

Não vou me estender, porque vai ficar chato, mas quem tiver interesse sobre o assunto, inseri um vídeo super interessante que comenta o trabalho de pesquisadores, com a utilização de superlentes, (compostas de metamateriais), capazes de produzir o efeito de cloaking.

Ainda estou terminando a legenda, quando estiver pronta eu atualizo na página.

Legenda em breve

Acompanhe a audiência


Apesar do excelente episódio, Castle sofreu uma pequena queda (1,9 na demo). Porém, seus indicadores estão melhores do que o ano passado, até porque seu leading não anda ajudando em nada, pois DWS continua entregando a noite com pontuação menor do que o rating de Castle. Enquanto NBC com The Blacklist e CBS com NCIS-LA, alcançam um leading de 3,8 (The Voice) e 2,6 (Scorpions), respectivamente.

Tenho uma leve teoria de que com as quedas absurdas de Scorpions e o fato de que TBBT mudará de dia, ano que vem, Castle possa subir mais em sua pontuação. Para isso, basta manter os roteiros afiados como desta semana.

Castle & Beckett Brasil

 


http://castlebeckettbr.blogspot.com.br/


Quer saber todas as informações que surgem sobre Castle? Spoilers, novidades, participações especiais, entrevistas com escritores, produtores e atores?

Acesse o Castle & Beckett Brasil e saiba tudo em primeira mão sobre o universo desta série que eu sei que você ama!

Além do mais, o blog está promovendo uma promoção durante este mês, entra lá para descobrir como participar.

Facebook: 

Twitter:

Youtube:





Observação


O Seriadores está com alguns probleminhas quanto aos comentários. Alguns usuários não estão conseguindo se logar, outros perdem seus comentários, e outros têm a publicação exibida em outra review.
Por causa disso, gostaria de pedir que quem puder e quiser, que utilize o DISQUS. Até porque por lá, eu recebo por email notificação dos comentários, e posso responder por lá mesmo.
Muito obrigada.

Talvez Você Curta

20 comentários

  1. Eu estava com grandes expectativas para esse episodio devido aos escritores, e nao é que eles resgataram elementos das primeiras temporadas, que ha tempos a gente nao via? Se nao me engano, os Creasey escreveram o primeiro episodio da serie na sexta temporada, o que me surpreendeu mais fizeram a alegria do fandom.

    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey, então, na verdade eles fizeram uma penka. Até uns ruizinhos, tipo Dreamworld, que eu não curti.
      Mas este epi, os kra acertaram a mão.

      Excluir
    2. O que eu quis dizer é que os Creasey se juntaram a equipe de escritores na sexta temporada, e nesse episódio eles trouxeram elementos que a gente não via desde as primeiras temporadas. Eles fizeram direitinho o dever de casa

      Excluir
    3. E que dever de casa né!
      Não encontrei NI}NGUÉM que pudesse ter criticado ou ter dito que não gostou do epi desta semana.
      Muito muito bom!
      bjão

      Excluir
  2. Solange, eu morri de rir com o episódio e adorei os momentos Caskett. Eu sabia que seria Martha a que se enrolaria nos fios, panelas e utensílios mas não deixei de gargalhar quando vi a cena. Maravilhosa!! Na cena final, só tive dúvida se era a Stana mesmo, tendo em vista as histórias que correm sobre o seu não bom relacionamento, pessoal e profissional, com o Nathan. Os momentos Espo e Ryan também foram perfeitos. Esses dois tem um bromance lindo. Amei o episódio. E, pelo que vi, o próximo também será ótimo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Fátima, tudo bem?
      Ahhh acho que era ela sim, tem tapa sexo pra fazer estas cenas, e só mostrou 1 ombro né, hehehehe.
      Mas confesso que fiquei surpresissima com a pegação geral, não esperava por algo do gênero nunca, com os dois atores.
      Queria que a "mitologia Castle" não fosse esquecida, mas em casos destes, eu nem me lembrei de comentar, kkkkkkkkkkkkk.
      bjão

      Excluir
  3. Um dos mais divertidos epis de Castle!

    Lembrando muito o Castle da 1ª e 2ª temporadas: totalmente sem juízo
    .
    Me surpreendi pelo desfecho do caso, não acha que seria uma explicação tão científica para o caso.
    A cena das panelas foi a cereja do episódio, o pior não foi as maluquices de Castle , mas foi ver Beckett entrar com tudo na maluquice dele kkk , o que uma mulher "necessitada" não faz?

    Esse epi restituiu minha fé na 7ª temporada!

    Marcilia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Marcilia, aposto que você se surpreendeu quando viu que Castle foi lá na ciência pra explicar o caso né?!
      Eu também, achei que eles justificariam ao estilo ficção científica (o que não deixou de ser um pouco), mas ao estilo Azimov, kkkkkkkkkkk.
      Fico feliz que Castle anda acertando a mão, dá expectativas de uma temporada completa e de qualidade.
      Que assim seja.
      bjão

      Excluir
  4. Que episódio delicioso! :) teve diversão, mistério, ciência, cenas românticas e engraçadas, o que é que a gente quer mais? É por isso que Castle é a minha série favorita actualmente! Sempre mostra coisas novas, faz diferentes referências, muda o tom o dos episódios, mas sem nunca perder a sua essência... Muita felicidade ouvir tantos elogios ao episódio, vendo os fãs mais cépticos se reconciliarem com a série e restituindo a fé na mesma, que eu nunca perdi e foi muito bom ver que estava certa e que essa é sim a mesma Castle de sempre :)

    Adorei o companheirismo do Castle e da Beckett, como você mesma falou, com um toque de provocação e sedução. Adorei as cenas mais quentes, mas se mantiverem pelo menos essa interação entre eles, já é excelente! Espero que continuem por esse caminho. Confesso que estava um pouquinho com medo desse novo episódio, que isso do homem invisível fosse ser um pouco "mais do mesmo" e que com a dinâmica deles abalada pelos acontecimentos dos primeiros episódios a velha fórmula não fosse funcionar muito bem! Ainda bem que os meus medos foram completamente infundados. Não só a química entre eles veio com tudo como há muito não víamos na série com todos os preparativos do casamento (que ainda não saiu!), como a própria "velha fórmula" dos assassinos impossíveis (como vampiros, zoombies, ninjas e afins) que o Castle acredita e a Beckett não, foi mostrada de uma perspectiva totalmente nova, em que ambos tinham razão, realmente o assassino era invisível, não tem como não dar razão ao Castle nessa, mas a explicação era sim lógica e racional como a Beckett sempre defendeu. E p que foi a cara da Beckett a mentir à Gates com medo de parecer o
    Castle ao dizer que tinham sido atacados por uma pessoa invisível? :D
    que demais!

    Finalmente não posso deixar de bater palma em pé para sua review! Sei que fica repetitivo dizer sempre o mesmo mas os elogios são muito merecidos, então não posso deixar de comentar. Você consegue por um lado falar do episódio e de como este fez você se sentir como só um grande fã consegue, nem no entanto deixar de analisar tudo racionalmente, justificando suas opiniões e complementando com curiosidades e facto do mundo real. Não só é um prazer de ler (o que já seria mais do suficiente para fazer o seu papel com sucesso) mas também tem um conteúdo mais profundo, a gente sente que acrescentou alguma coisa ao nosso conhecimento lido isso. Os meus parabéns! Olha que acompanho muitas séries e muitas reviews e a sua é a mais gosto! E nem é por Castle ser a minha série favorita ;) e para terminar, só uma pequena correcção, onde se lê "com direito há muitas piadas de Esposito com o amigo" deveria ser "com direito a muitas piadas de Esposito com o amigo"... Até para a semana :)

    ResponderExcluir
  5. Sol,

    Como é gostoso assitir este episodio, não só pelas cenas entre Castle e Beckett, mas por ele ter sido completo. De seus 42 min de duração, acredito que todos rimos uns 40 min dele, rsrs.

    É um episodio completo, onde tivemos de tudo, romance, humor, ação e Caskett. Mas o mais importante foi que Castle se renovou e para melhor. Essa nova dinamica, acredito eu, seria uma mistura das primeiras temporadas mas agora com eles como um casal. É o amadurecimento da série que uniu seu melhor para resultar nessa nova dinamica. Estamos vendo um Castle das 3 primeiras temporadas e repetindo suas palavras: "o retorno do Castle "criança", debochado, e com a liberdade que deveria ter sido aproveitada há muito tempo", ao lado de uma nova Beckett mais segura de seus sentimentos, totalmente apaixonada e pronta para se juntar a familia Castle, rsrs.

    Um outros detalhe que fazia tempo que não acontecia é o fato de que não vi ou li ninguem falar qualquer coisa ruim desse episodio, ou seja, é praticamente uma unanimidade. Nem o fato de Martha ter atrapalhado a noite do casal foi motivo de reclamação, pelo contrário, nunca pensei que as pessoas adorariam a essa cena. Como você bem disse, "uma das cenas mais épicas de Castle".


    Assim como Clear & Present Danger foi perfeito, sua Review também está perfeita, descrevendo-o com muita propriedade e até provando seus pontos de vista, kkkk. Você foi muito precisa falando sobre a quimica do elenco, a dinamica dos personagens, a história com um tema moderno e a responsabilidade da história escrita por Creasey, onde fez com que todos não tirassem o olhos da tela sempre interessados no que aconteceria na próxima cena.

    Sol, você pode até me contrariar, mas quero finalizar dizendo que estou muito feliz por ver você voltar a acreditar na série a partir da 7ª temporada que esta resgatando aquele Castle que nos fez admirar desde o primeiro episodio que assistimos. Também sei que 7 temporadas é muito para uma série e enquanto ela estiver no ar iremos acompanha-la e você continuará a fazer suas ÓTIMAS Reviews para termos esse espaço para "conversarmos" sobre seus episodios, sejam eles ótimos ou apenas bonzinhos.

    Novamente eu quero ter dar meus Parabéns pela Review.

    bjs

    Ricardo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, esqueci de falar... agora os escritores estão com a difícil missão de superar esse episódio. Tenho a impressão que o episodio 6 poderá faze-lo pois deve apresentar algo parecido com Still...

      Também deve ser o episodio do casamento, onde eles deverão conversar sobre como seriam suas vidas se não se conhecessem. É uma ideia interessante e por isso que acredito que essa será uma das melhores temporadas.

      bjs

      Ricardo

      Excluir
    2. Hey Ricardo, vlw por tudo.
      Por sempre estar aqui e por ter tipo compreensão quando eu disse que não estava TÃOOOO ASSIMMM com a sétima temporada.
      Este episódio me surpreendeu muito, mas ainda é muito cedo pra dizer, AGORA VAI!. Posso dizer que tenho grandes expectativas e que os spoiler que andam rolando sobre futuros roteiros, estão começando a me deixar ansiosa.
      Além de ter um "desejo insano" de ver um episódio em flashback sobre o passado do Castle. Acho genial a ideia de mostrar um "universo alternativo". TBBT fez isso ano passado e Friends tbm já fez, e eu acho da hora. Se o episódio 6 seguir por este caminho, será bem legal.
      Vamos esperar.
      Bjão.

      Excluir
  6. Oi Solange, ótima review vc fez(p/variar né ;D)

    E o que dizer desse episódio que foi não dito? Sublime, maravilhoso, perfeito! Legal ver que geral gostou, realmente os escritores estão de parabéns, acertaram em cheio ao trazer elementos das temporadas passadas, aqueles quais a gente não via mais, Castle se superou, Beckett idem, olha a Martha, o que posso dizer? quem não se divertiu c/aquela situação?
    Cena épica. Adorei Ryan e Esposito. A solução do caso achei convincente(nem esperava ser). Agora o que mais gostei, alias, AMEI > Cenas(e a cena) Caskett....me perguntei, é Nathan e Stana se beijando nessa cena? mais entregues, mais relaxados, sem tensão no ar, me surpreendi, nem esperava que fosse ser mostrado algo desse teor p/fandom, só acreditei vendo mesmo. Que venha + desses episódios e + Caskett Love Scene!!!!

    Um abração p/vc!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Ricieli, orgulho master do S.A. e das reviews de Castle. A galera que comenta aqui já ganhou um espaço no meu coração. Muitos já até me adicionaram em redes sociais, bate papos, e eu acho da hora.
      Vlw mesmo por curtir e compartilhar seu ponto de vista aqui neste espaço.
      Estou contigo, não esperava algo nem próximo do que vi, mas achei muito muito bom. E que os roteiros consigam produzir mais material com esta qualidade.
      bjão.

      Excluir
  7. Hey Su.... Legal te ver aqui, como sempre adoro!
    Fico mega blaster feliz quando vejo comentários como o seu, não só porque massageia o ego, mas sim... Porque percebo que cada minuto a mais, cada hora a mais gasta com a review reflete em um resultado de satisfação maior a vocês. E é exatamente isso que queremos.
    Não quero escrever pra mim mesma, como vejo alguns casos, quero compartilhar minhas ideias e vê-las complementadas por vocês.
    E há aproximadamente, 2 anos, entrei nesta aventurada daqui do S.A. e está sendo sensacional.
    Faço reviews em outro blog, (você sabe disso), mas Castle e o S.A. sempre terá um cantinho especial pra mim, e sem dúvidas, é por causa de vocês.

    PS: Vlw pela dica, já estou corrigindo o texto. Muito obrigada.
    bjão.

    ResponderExcluir
  8. Hey Fátima.
    Os kras acertaram na mão de um jeito especial.
    Chorei de tanto rir com o panelaço, perdi o fôlego e tive que voltar com o epi porque me distrai uns 5 minutos só de lembrar a Martha e começar a rir de novo.
    Que venham mais e mais.
    bjão

    ResponderExcluir
  9. Adorei o epi! Adorei a sua review! Confesso que nunca tinha ouvido falar em metamateriais, graças a Castle fui apresentada a este tema tão interessante... Fiquei surpresa com a pegação na cama também, a gente pedia há tanto tempo, né? E quando Castle se aproveitou do momento em que eles são atacados ao voltarem à cena do crime? Amei! Ri horrores! Realmente, um episódio incrível, inesperado, divertido, Beckett e Castle "voltando ao normal", impagável Espo tirando sarro de Ryan, Martha e as panelas... enfim, perfeito! Bjus...

    ResponderExcluir
  10. Oi, Sol, demorei (muito) prá chegar, mas estou aqui. Você arrasou neste comentário. Alás, como sempre, né!!! Você é demais!!! Concordei com tudo que você falou. Parabéns!!!!
    Os autores deste episódio acertaram em cheio.
    Este episódio também está na minha lista dos mais engraçados, combinando diversão com ficção científica.
    Sem sombra de dúvidas, achei ótimo todo o caso de homicídio que se desenrolou no episódio, trazendo de volta aquele Richard Castle que pôs prá fora o seu lado criança, o garotinho com nove anos de idade que tanto amo. Ou seja, Sol, concordo plenamente quando você diz que neste episódio reencontramos o Castle: ele é “(...) metade do homem pelo qual Beckett se apaixonou. (Digo metade, porque a outra parte é uma eterna criança)...”.
    Amei vê-lo ficar eufórico ao constatar que havia, sim, um homem invisível, confirmando, assim, sua teoria que desta vez nada tinha de maluca, e, assim, poder soltar sua imaginação ao ajudar a Kate solucionar este caso tão esdrúxulo e, claro, se divertiu muito com todos aqueles jogos eletrônicos com todos aquelas nomenclaturas difíceis, que, aliás, não entendo nada... Nada mesmo (sou um zero à esquerda).
    Adorei vê-los novamente com o pensamento sincronizado, atuando na mesma sintonia, não só profissionalmente, mas também emocional e sexualmente falando, mostrando que eles estão, realmente, voltando ao eixo. Estão entrando nos trilhos, afinal de contas, uma vez CASKETT, sempre CASKETT, né! Adoro!!!
    Amei vê-los apaixonados, se olhando e sorrindo como nos velhos tempos, com toda aquela química maravilhosa e a tensão sexual que os envolvem. Arrepiei!!! Gostei de ver: Não é porque já namoram há dois anos e até já estão noivos que não pode mais existir a química eletrizante e a tensão sexual entre eles. Óbvio que tem que existir até o último suspiro de vida do casal.Não é a idade da pessoa nem a idade do casal, tampouco o tempo de relacionamento que limita a existência ou não da química. No dia que a química acabar, acaba junto a magia e o relacionamento amoroso e viram irmãozinhos. hahahaha
    Vou ter que repetir: Como eu já disse, amei o tema do homicídio desta semana, mas não posso negar que fiquei super apaixonada ao ver a Kate e o Rick retomando a paixão a todo vapor, com cenas que pensei que nunca veria, como por exemplo, os dois rolando na cama, com muitos beijos, abraços, pegação, e, por se tratar de CASTLE, me diverti muito com eles. Não sei qual foi o momento mais hilário do episódio:
    - se foi quando o “rala e rola” de Kate e Rick foi interrompido porque Martha apareceu gritando por estar toda entrelaçada nas linhas e nas panelas;
    - ou quando ao chegarem na cena de crime, Castle ficar paralisado ao ouvir da Beckett a promessa de que ela usaria naquela noite o presente que ganhara dele no dia dos namorados... hahahaha,
    - ou também tem outra cena que pensei que ia morrer de rir, foi quando eu vi o Castle ir para o quarto usando aquela máscara que detecta calor a fim de fazer uma "varredura" do local para fazerem amor tranquilamente... hahahaha...
    Sol, como sempre, eu começo a falar e não consigo parar. Tinha muito mais prá falar, mas já chega. Helooo!!! Já deu, né!!! hahahaha Resumindo: amei seu comentário e concordo com tudo que você falou.
    Beijinhos, viu???
    Denise

    ResponderExcluir
  11. Oi Solange. Adoro os seus comentários e eles completam os episódios para mim. fico aguardando toda semana. Gostaria de saber se algo aconteceu com você? Fiquei preocupada com seu sumiço. Continuarei esperado os comentários dos episódios 7x4 e 7x5. Espero de coração que esteja tudo bem com você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensei exactamente o mesmo! Nem comentei antes porque não queria que parecesse que estamos a cobrar as reviews no mau sentido, mas estas sempre saiem tão assiduamente que realmente também fiquei preocupada pela ausência...

      "Espero de coração que esteja tudo bem com você." [2]

      Excluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe