S.A. Especial: Fall Season: Bagunçando o cronograma

quarta-feira, outubro 01, 2014


Aperta o tempo e encaixa nas folgas, porque tá tudo bom demais!


De repente, estamos na metade das estreias e você gostou de tudo! Pra alegria das emissoras e desespero do seu empregador... Esta Fall Season está uma delícia!

Mas não entre em desespero, por enquanto colecione nossas dicas e descarte TODOS os compromissos de finais de semana, feriados, férias escolares... E daí que o sol está raiando lá fora, se a minha TV brilha como uma estrela?

Porém, sabendo do quanto o seu cronograma é especial, e que você tem uma vida além dos seriados (O quê???), o Seriadores Anônimos trará um especial no S.A.C.U. explicando o que você poderá fazer para encaixar na sua grade os melhores lançamentos de 2014.

Calma, o desemprego é só meu! (não vou mandar ninguém dar uma de George Constanza).

....

Mas vamos conhecer a série que voltou chocando, e uma delicinha que entrou no coração de Leonardo Oliveira em cinco minutos, (desta vez foi Leozinho que passou para me dar uma força).


UMA VETERANA QUE ENTROU NA CASA DOS 10.


Bones

Bones matando sem piedade!

É meus queridos, para alguns, esta marca é uma aberração da natureza (prefiro a palavra milagre!). Mas indiferente aos fatos, Bones estreou sua décima temporada na última quinta-feira, com um episódio que deixou TODO mundo de boca aberta, incluindo eu.

Justo admitir o quanto é difícil manter uma série durante dez anos no ar, imagine manter o mesmo elenco durante todo este período, (praticamente impossível). E foi exatamente este o problema da série para com alguns atores da equipe, incluindo nosso querido Dr. Lance Sweets.

Galera... Sweets MORREU!

Simples assim, no estilo que nem vimos o que diabos aconteceu, só o fato de que ele apanhou muito do grande rival de Booth, (relacionado ao caso Macnama).

A justificativa para esta opção, foi exatamente o fato de que o ator John Francis Daley estava com a agenda muito cheia e não conseguia se comprometer com o cronograma da série. Verdade seja dita! ... Na minha humilde opinião, o dinheiro manda no mundo! Sendo assim, se o contrato oferecido pela FOX fosse justo, tenho certeza de que este cara arranjaria tempo. Mas como os produtores da série já deixaram claro a imensa probabilidade de que esta seja a última temporada da série, não acredito que ninguém tenha renovado contrato com reajustes.

Enfim...

Não tem volta, a foto ali de cima já deixa claro pra vocês de que o psicólogo que mais sofreu bullying na história das séries, despediu-se em The Conspiracy in the Corpse, deixando o filhinho órfão (ainda na barriga de Daisy).

O QUÊ???

Babado! Não te contei?

Daisy voltou gravidíssima, na verdade a atriz Carla Gallo é quem voltou às gravações com um barrigão lindo. Mas, provavelmente, para deixar a despedida do psicólogo mais dolorida, os escritores decidiram engravidar a estagiária de Bones, também.

Aliás, falando em estagiário, vamos comentar que nunca vi um processo seletivo TÃO LONGO na minha vida! Desde a prisão e internação de Zack na terceira temporada, ninguém ganha um emprego em Bones, (exceto Dr.Clark). Mas de resto... a galera até desanimou. Como foi o caso de Colin Fisher (Joel David Moore), que pulo do barco “afundando” e foi-se embora para a ABC, fazer papel de legista (Que diferença!!!), em Forever.

Enfim...

Bones voltou bem, renovou elenco e tende a levar como storyline de despedida, os grandes inimigos de Booth dentro do FBI. A história é boa pra KRAMBA! a ponto que me fez voltar a assistir alguns episódios da nona temporada, (eu tinha largado no fim da oitava).

Quem já acompanha há 10 anos, não tem razão de parar agora né! Leva até a despedida, porque acho que vai valer a pena.


AS ESTREIAS QUE IRÃO ACABAR COM A SUA PROGRAMAÇÃO


1. Manhattan Love Story (Por: Leo Oliveira)


Primeira impressão: Já me comprometo a acompanhar todos os 2 episódios exibidos.
Chances de dar certo? Nenhuma, já teve os piores números de estreia de comédia na ABC.

Comédias românticas estão em alta nessa fall season e, para a nossa sorte, comédias românticas de qualidade. Manhattan Love Story é mais uma das novatas que investe em roteiro simples, interações singelas e bonitinhas entre o casal protagonista, sem grandes pretensões. O problema é que a audiência aparentemente não responde tão bem a todas as produções do tipo, por melhores que sejam, e essa já nasceu tendo que se provar, só tendo chances de sobrevivência se aumentar muito sua audiência na próxima semana.

Com foco em Dana (Analeigh Tipton), a atrapalhada editora que se muda para New York e tem que lidar com o bullying no trabalho e sua incapacidade de interagir com redes sociais, e Peter (Jake McDorman), o mulherengo cético que usa a fachada de insensível para esconder os verdadeiros sentimentos, a série não traz nada realmente novo para o gênero, mas é absolutamente adorável. Os dois estão muito entrosados e dignos de torcida e os coadjuvantes têm potencial para crescer, é só mesmo questão do público americano colaborar para que a história se desenvolva e todo mundo caia de amores por ela – uma possibilidade, infelizmente, muito remota.


2. Happyland (Por: Leo Oliveira)


Primeira impressão: O meu tipo de série, já está na grade para não sair.
Chances de dar certo? Deve ter pelo menos umas 2 temporadas na MTV.

Bastidores de parque de diversão, contos de fada, reviravoltas mexicanizadas e escrotices típicas de comédias da MTV... Happyland é uma mistura louca que corria sérios riscos de dar errado, mas que se traduziu num piloto muito gostoso de assistir. Pela ótica de Lucy (Bianca Santos), nascida e criada no fantástico complexo de Happyland, conhecemos todas as peculiaridades de um parque de diversões estilo Disney, com direito a shows diários com mascotes, queima de fogos todas as noites e estrambólicas apresentações com príncipes e princesas.

Responsável pelo bom funcionamento da ala de personagens, Lucy tem que lidar de cara com Ian (Shane Harper), que quase arruína sua performance como castor por entrar no palco chapado, horrorizando as criancinhas na plateia. A partir daí, tem muito flerte entre os dois. com direito ao rapaz ganhando apelido de "Magic Mike" e cargo de príncipe em tempo recorde, intrigas sobre a hierarquia de poder no parque e uma revelação de Gloria (Camille Guaty), a eterna princesa Adrianna de Happyland, que pode mudar o rumo das coisas.

Obviamente, não é uma série pra todos, mas quem já curte o estilo MTV de comédia, que vem sendo bem representando com Faking It e Awkward, e esse climão adolescente com drama e comédia misturados, certamente vai adorar.

3. Selfie

Primeira impressão: Delicinha demais, galera vai adorar.”
Chances de dar certo? Não sei o que fazer da minha vida, porque mais uma que vai dar certo e vou acompanhar.”

Que sacada genial dos criadores desta série!

Selfie terá a história centrada em uma protagonista aficionada por redes sociais, Eliza Dooley. A garota não é o extremo, é a pura realidade das menininhas que transformaram a internet em vida, comunicação em tag e filosofia em facebook.

E é genial, a ideia de pegar uma personagem desta, com mais de 200 mil seguidores, mas que não sabe dar “bom dia” para a secretaria da empresa que trabalha, tem tudo para dar certo.

Henry (John Cho), que deve ter cansado de torcer o pescoço em Sleepy Hollow, será o “par romântico” da garota A ideia é que o rapaz ensine a ruivinha a se socializar na vida real.

Gente! Internet é virtual!

Toh dizendo isso porque tenho certeza que a galera vai dizer que nada ver, e tals...


A dica é, assista essa delícia para chorar de rir e, principalmente, descobrir qual o seu grau de diagnóstico... Você sabe conversar com um ser humano diante de você? Se não... está na hora de viver a experiência de aprendizado de Eliza Dooley.

Talvez Você Curta

5 comentários

  1. Podcast bem divertido, só o áudio que tava um pouco ruim, mas deu para escutar legal.
    Z Nation para mim foi feita dos mesmos jeito que Sharknado e filmes derivados, é ruim de propósito para ser engraçado. E finalmente uma série de zumbi que eu posso ver sem dormir \o/.
    Vocês falaram tão bem de BoJack Horseman que vou dar uma segunda chance.
    E também ficarei muito feliz se a Boa Esposa durar acabar na temporada 7, vai conseguir acabar no auge se continuar no ritmo da season 5.

    ResponderExcluir
  2. Me desculpe os fã ainda encobertos pelo véu do encantamento, mas a season première foi fraca, confesso que ando desgostosa em relação à Castle, há bastante tempo, está faltando algo, observem!


    Vimos um Richard Castle passivo em todos os aspectos, gente que é isso! E sejamos sinceros a única postura correta e coerente nesse história, mal contatada, foi a de Kate e Esposito, ao demais faltou pulso... porque me desculpe, mas aquela não era a Marta que conhecemos, não mesmo!

    Enfim, quando surgiu a possibilidade para explorar o lado "dark" de Castle me animei, aquela fagulha esmorecida, reacendeu, contudo depois de Driven receio que está tenha se extinguido de uma vez por todas, é obvio que ainda assistirei Montreal, mas caso as respostas levantadas desde "For better or worse" não sejam respondidas desistirei de Castle, para poder conservá-la como a primeira série que cativou um dos períodos mais importantes de minha vida: a transição dos resquícios da adolescência para a fase adulta.

    Amo Castle, esta série me marcou com uma magnitude que talvez hoje ainda não entenda plenamente, mas devemos seguir, sempre, pois insistir no inferno conhecido é covardia! E não quero assistir a degradação de meu herói!

    E como diz a música You and I "Ain't nobody in the world tonight"


    Não como Castle!

    ResponderExcluir
  3. Finalmente achei o comentário. Com a sua ajuda! Porque me esqueci do DISQUS. Adoro por ele ser mais organizado que o comentário do blog. Vou ver se comento com a galera para voltarem pra k.


    Então Su, acho que a sacada foi quando você disse que você enxergou o episódio pelo lado positivo. E também o fato de ter lido alguns "spoiler".
    Não vou dizer que não li, mas o que vi me deixou ansiosa para conhecer um lado dark do Castle, eu dar uma cara para quem o sequestrou.
    No caso da premiére, nem uma coisa nem outra. O kra do lixo não pode ser (ainda) considerado a pessoa quem sequestrou o Castle, e o escritor pode ter um lado dark, mas tudo indica que não.
    É complicado justificar meu sentimento naquele dia. Mas acredito que não foram as reações que mais me chateara, e sim, o problema de colocar o Castle como conivente de seu desaparecimento.
    Depois de ver o segundo episódio me animei bem mais por várias razões.


    A primeira porque deixaram claro que o sequestro não foi planejado pelo Castle, ele jamais faria aquilo no dia de seu casamento.
    Segundo porque se ele foi conivente depois do desaparecimento, tudo indica que foi sob coação, de que se ele discordasse as consequências recairiam sobre sua família.
    Terceiro porque depois de Montreal, vi que é possível separar as duas histórias, o passado do Castle (quando ele tinha 11 anos) e o lance do sequestro, dando a possibilidade de várias mitologias.


    Mas me revoltei muito com a premiére, acho que alguém que acorda de um "coma" em um hospital e de repente descobre que se passaram 2 meses, não vai pedir desculpar pra noiva, porque ele sabe dentro de seu coração que ele não foi o culpado por isso.
    Assim como achei forçado o fato dele se envolver no próprio caso. KRA impossível!
    Além da Kate ter entrado naquele quarto com 4 pé no peito, a porta até bateu. Achei muito exagerado e sem sentido.
    Por último, a Driven deixou a sensação de que era possível quebrar um confiança que JAMAIS seria restaurada com Beckett, e eu achei absurdo tentarem denigrir o perfil de um personagem criado e estruturado durante seis anos.


    A premiere avaliada como um episódio singular foi genial, mas da maneira como exisita a responsabilidade de justificar o fiasco de um evento aguardado há seis anos. Não consegui engolir.


    bjks
    e sorry por não ter visto o comentário antes.

    ResponderExcluir
  4. Poxa Milena, é bem por aí mesmo. A premiere poderia ter sido melhor, fico feliz que mesmo assim ela teve uma boa audiência. Mas não muda nada.
    Tenho em mim que Montreal deu uma apaziguada na situação. Mas ainda é pouco, precisa de mais para engrenar.
    Porém depois do epi desta semana estou tendo um pouquinho mais de fé neste quesito.
    bjks.

    ResponderExcluir

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe