The Strain 2x13: Night Train (Season Finale)

sexta-feira, outubro 16, 2015


Num dos seus poucos momentos inesperados do season finale de The Strain, Nora é infectada por Kelly e, mais tarde, comete suicídio antes que sua transformação se complete. Enquanto a série matava uma de suas personagens principais, era possível pensar apenas em como o seu roteiro não consegue preparar o espectador para esse tipo de acontecimento.

Quando me refiro a “preparar o espectador”, não significa que a morte deva ser previsível, já que essa opção seria quase tão ruim. O ponto onde The Strain falha é na criação da antecipação e do suspense nesses momentos, algo que é esperado numa obra desse gênero. Quando a vida de um personagem é ameaçada em Game Of Thrones, o espectador acredita na ameaça por saber da natureza imprevisível daquela série. Quando alguém morria em Mad Men, a série mergulhava na tristeza decorrente do evento.

Ao mencionar essas séries, a intenção não é comparar a qualidade de cada uma das obras. As séries citadas e The Strain não compartilham objetivos similares, mas, entre elas, e muitas outras, a série dos vampiros é a que parece menos entender o que deseja apresentar. Cenas são mostradas uma após a outra sendo a única variável relevante para determinar sua ordem é a cronologia.

Esse formato mecânico leva a decisões incompreensíveis como misturar as cenas no trem com as de Setrakian ao longo do episódio. Ao invés de assistirmos a uma longa cena nos claustrofóbicos túneis por onde o trem viajava, somo forçados a ver o embarque, que é interrompido por aquele que é provavelmente um dos leilões mais entediantes da história. Quando a série volta novamente sua atenção para a viagem de Eph, as cenas duram tempo suficiente para mostrar apenas o inicio do ataque, quando então somos apresentados as consequências da pequena rebeldia de Palmer, numa cena que termina com a previsível morte de Coco.

Quando em seus momentos finais Night Train se concentra por mais tempo naquilo que o intitula, vemos uma sequencia desprovida de criatividade, onde a aparente enorme quantidade de vampiros nos trilhos parece ter sido usada apenas para parar o trem, já que uma vez alcançado esse objetivo, seus números são reduzidos para um punhado de crianças comandadas por Kelly. Pior, a morte de Nora ainda é causada pelo personagem mais detestável da série, Zach, sublimando qualquer impacto causado pela surpresa, deixando apenas irritação e o desejo por uma morte dolorosa para o garoto.


Esse tipo de irregularidade torna cada vez mais difícil continuar gostando de The Strain. A mesma série que cria um ótimo episódio como Dead End, gasta boa parte de seu season finale em uma batalha por um livro de importância mal explicada na qual estava claro que ninguém morreria. Esse é o tipo de trama mal-acabada que a série cria, onde quando um personagem morre de forma inesperada, não há efeito, e quando ninguém morre, é apenas o esperado.

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe