Person Of Interest 1x03/1x04: Mission Creep/Cura Te Ipsum

segunda-feira, outubro 17, 2011


Mantendo o padrão de qualidade exibido em seus dois primeiros episódios, Person of Interest se mostra como uma série que não apenas se importa em criar bons episódios isolados, como também em oferecer algo mais para quem acompanha a série semanalmente.


O caso mostrado no terceiro episódio talvez seja o mais isolado mostrado até o momento nessa curta existência da série. Tivesse Person Of Interest um protagonista menos interessante, e esse seria um episódio ruim. Entretanto, a identificação de Reese com Joey, protagonista do caso da semana, torna a preocupação de crível até por eles terem uma grande similaridade: ambos buscam voltar a ter paz consigo mesmos, se redimindo por erros do passado.

No fim de Mission Creep, é mostrada uma trama que provavelmente será um arco maior na série, envolvendo o tal Elias M. mencionado no episódio. A possibilidade de Reese e Finch investigarem alguém cujo nome não veio da maquina é interessante, afinal levanta o questionamento sobre até onde eles irão interferir: apenas ajudarão aqueles indicados pela maquina ou investigarão possíveis ramificações dos casos isolados, criando assim arcos narrativos que se estendem além de um episódio.

No quarto episódio, o caso da semana se mostra bem mais promissor do que em Mission Creep. Abordando uma trama de vingança, como um plot twist interessante no meio do episódio, contrariando aquilo antecipado pelo espectador ao inverter os papeis entre aquela que aparentava ser a vitima e o assassino. 

A situação é interessante já que, após Finch e Reese descobrirem que Tillman, a médica, era uma pessoa querida por todos ao seu redor e não tinha nenhum problema aparente — obvias indicações de que ela seria a vítima do crime — descobrem que na verdade ela era a assassina identificada pelo programa de Finch.

Na primeira review que escrevi sobre a série, ressaltei as obvias implicações morais da existência e utilização de tal programa. Nesse episódio, os roteiristas foram um pouco alem do questionamento mais direto — ‘qual o direito Finch e Reese tem de interferir nas situações?’ — até um outro nível, já que nesse episódio a dupla se viu numa situação onde deviam proteger alguém claramente culpado por tantos crimes no passado mas que agora seria a vítima.

Felizmente, os roteiristas da série não ignoram essa falta de lados, não havia um bem ou mal definidos claramente. Claro, Benton, o empresário, era culpado do que ele havia feito, mas o que iria diferenciar Tillman dele se ela o matasse? Por um momento, cheguei a pensar que os roteiristas escolheriam o caminho fácil, sem nem mostrar Reese tentado a matar Benton.

Felizmente, graças a falha no plano de Reese em incriminar Benton, tivemos um cliffhanger muito bom que de fato me deixou ansioso para a resolução da situação e dos conflitos que, caso Reese escolha matar Benton, serão criados.

@hadrielsm

Talvez Você Curta

4 comentários

  1. Galera, o que o Michel Emerson fala no final do episódio? não manjo de ingreis e a galera não traduz a parada, podem me ajudar?
    valeu
    rodrigo joinville sc

    ResponderExcluir
  2. Ele fala: não vá para a luz!

    ResponderExcluir
  3. Achei o último episódio muito bom! Acho que é uma das melhores estréias e estou ansiosa para saber mais sobre esse "caso Elias" e que fim levou o Benton.

    ResponderExcluir
  4. No final de todos os episódios? Se for isso, ele fala "stay tune for the scenes of the next episode", que é nada mais do que "fique ligado para cenas do próximo episódio". Se for outra coisa, nem reparei. =)

    ResponderExcluir

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe