Mad Men: Season 4

domingo, março 11, 2012


A não tão sensacional, mas ainda sensacional 4ª temporada de Mad Men.

"Quem é Don Draper?" esta foi a primeira linha da temporada, e passamos os próximos treze episódios analisando esta questão. O que vimos foi preocupante, pois Don era, francamente, uma bagunça. O cara teve muitos obstáculos a superar no passado, mas geralmente parecia tão confiante. Aqui, ele estava desmoronando diante de nossos olhos. O bebedeira informal no escritório que todos comentam como uma máxima em Mad Men foi, obviamente, se tornando um problema para Don, que estava segurando uma bebida mais frequentemente do que de costume. E separar de Betty tornou sua vida pessoal em ruínas. 

Foi tão notável isso quando Don foi referido como "patético" por um empregado da Sterling, Cooper, Draper & Pryce (SCDP) em certo ponto na temporada, porque você sabe que sua reputação era máxima em anos passados. Mas Don mereceu o rótulo, como suas ações começaram a comprometer tanto e ele começou a quebrar todas as regras. É difícil decidir o que é pior: Don aparecendo bêbado e desleixado para uma reunião com o cliente ​​ou dormindo com sua secretária. Ele sempre foi um mulherengo notório, mas Don sempre soube que melhor não mexer no escritório. 

Matthew Weiner e seus escritores fizeram um trabalho maravilhoso que mostra desta vez o lado escuro na vida de Don, ao mesmo tempo, lembrando-nos que este é um homem muito talentoso, e inteligente. Mesmo entre essas ações tristes, vimos o quão grande Don pode ser quando é inspirado, como a sua brilhante saída contra seu rival Ted Chaugh, e como o fez gastar dinheiro desnecessariamente e garantindo que a Honda ficasse com a SCDP.



Jon Hamm nos presenteou com incríveis performances nesta temporada o que o exigiu mostrar um lado diferente, muito menos lisonjeiro para Don. 

Mas, como Don estava no fundo do poço, o show e Hamm chegaram ao melhor ponto da série com "The Suitcase", que eu posso dizer com segurança que não é só meu episódio favorito de todos os tempos de Mad Men, mas um dos melhores episódios de TV que vi nos últimos anos, e ponto final. 

Centrou-se quase inteiramente em Don e Peggy, o episódio encontrou os dois compartilhando uma noite emocional e catártica, onde Peggy veria seu mentor no seu pior, e ainda se ligar com ele ainda mais como resultado. Hamm e Elisabeth Moss foram simplesmente incríveis. 

A 3ª Temporada que foi de uma fraqueza notável teve uma enorme quantidade de tempo gasto com o colapso do casamento entre Don e Betty, à custa de histórias dos outros personagens. Com isso fora do caminho, Betty apareceu muito menos do que antes, embora, vou dizer que senti que foi fácil demais o quão horrível ela parecia o tempo todo.


Não é que o show nunca trabalhou para explicar por que Betty é a maneira como ela é, o que foi abordado aqui também (como em seus encontros com psiquiatra Sally). Mas vamos ser realistas, 80% do tempo ou algo assim, Betty estava apenas sendo má, o que a fez parecer um pouco menos "real" do que a maioria dos personagens. 

No entanto, para os outros personagens foram a quase todos dados excelentes materiais. A relação entre Pete e Don, sempre tão conflituosa, tratada com novas reviravoltas e se transforma nesta temporada, especialmente em um episódio surpreendente, "Hands and Kness", como Don, em pânico sobre sua verdadeira identidade como Dick Whitman, potencialmente, prestes a ser revelado, não apenas pediu ajuda de Pete - ele basicamente assim a exigiu. No entanto, Pete, que já foi tentado a usar esta informação contra Don, o acaba ajudando. 

Isso foi maravilhoso e ver Don pagar a dívida o melhor que podia, na season finale, ajudando financeiramente Pete em uma grande quantidade de dinheiro, o que o novo papai simplesmente não podia pagar. Esta reviravolta chegou num momento de entendimento entre os dois, e tem sido fascinante observar como ocorreu. 

A relação entre Roger e Joan reapareceu, mas foi ainda pior do que antes, dado o momento em que eles estão em suas vidas. Mas teve consequências, incluindo a gravidez de Joan, e sua decisão final de manter o bebê e deixando que o marido dela pensasse que é dele. 

Nesta temporada, fez-se um trabalho muito interessante mostrando a passagem do tempo para esses personagens, como vimos Don passa de admirado Playboy para piada do escritório, enquanto Joan de “figura sexual” do escritório se torna uma figura materna. Quanto ao Roger, começou a série já tendo uma parada na bebida, sarcasticamente sabemos, mas havia mais de um olhar intrigante aqui de que forma alguém como Don poderia tornar-se alguém como Roger.


A 2ª temporada terminou com a Sterling & Cooper sendo vendida e a 3ª Temporada com o plano incrível de Don, que resultou em uma empresa completamente nova que está sendo formada. A 4ª Temporada parecia estar caminhando para outro divisor de potencial e de uma conclusão, como SCDP perdeu o Lucky Strike como um cliente, colocou toda a empresa em risco. Isso criou certa tensão e um drama excelente, como vimos a nova empresa fazendo todo o possível para se manter à tona - e penúltimo episódio, "Blowing Smoke", foi outro destaque, como vimos Don mais uma vez, tirando um coelho da cartola, com seu editorial ousado contra o tabaco, que foi usado como um para-raios para tentar salvar a empresa. 

Ok, o final em si não entregou os eventos explosivos que poderiam ter sido esperança – mas, em retrospecto, acho que era o caminho certo a seguir. Tendo SCDP conseguindo se manter viva, mas não quer epicamente fechar ou voar, senti como um bom caminho a percorrer, após as enormes mudanças nos últimos dois finales nos trouxe. 

E quanto a Don, eu fiquei, simultaneamente, chocado e fascinado por suas ações. Fomos lembrados durante toda a temporada do fato de que Dick Whitman havia criado o personagem de Don Draper, apenas para vê-lo quase desmoronar.


Talvez ele melhorou alguns aspectos de si mesmo ao longo do caminho, mas ele era agora um cara perfeito? Dificilmente. 

O fim sinalizou que mais uma vez, Dick Whitman foi elaborar o que podemos chamar de Don Draper 2.0 – um cara com uma mulher que parece ser o ajuste certo para quem ele é, e os filhos que ele tem. É, naturalmente, uma espécie de triste, por sua vez, de eventos em sua própria maneira, mas ele se sente completamente em casa nesta série e crível, e por sua vez, lamentável de eventos. 

E, finalmente, em duas semanas teremos o retorno de Mad Men para alegria dos seriadores que amam a série, lembrando que acompanherei a série e fazendo as reviews, espero que gostem.


Fiquem agora com dois promos da 5ª temporada:





Talvez Você Curta

9 comentários

  1. Alguém sabe me dizer quando vai começar a nova temporada de Mad Men? Estou super ansiosa pra ver, quero saber como estão todos os funcionários da Sterling Cooper.

    ResponderExcluir
  2. Não concordo, para mim, a quarta temporada foi a melhor da série. A diferença é que seu ápice foi no meio da temporada e não no final. Inclusive Suitcase é o melhor episódio da série e um dos melhores que já vi na vida.

    ResponderExcluir
  3. diogo foi realmente oq falei... leia o segundo paragrafo depois da foto da Joan e os dois depois da foto de Don e Peggy... não seria tolo em insultar essa temporada que foi um marco na TV, mas a frase que dá início foi apenas um comentário que a temporada foi sensacional mais teve seus momentos fracos como qualquer outra série.

    ResponderExcluir
  4. Chega logo 25/03!

    Mad Men fez muita falta!!

    ResponderExcluir
  5. Achei uma forte semelhança entre esse texto de vocês (a começar pela frase inicial no post de vocês e o título do post no link) com esse post aqui:

    http://themodernguilt.wordpress.com/2010/10/25/yes-theyre-bigger-a-nao-tao-sensacional-mas-ainda-assim-sensacional-season-4-de-mad-men/

    E a pegunta que não quer calar é: qualquer semelhança é mera coincidência?

    De qualquer forma, eu gosto dos dois blogs e não quero causar intrigas

    ResponderExcluir
  6. Quando fiz a review e fui procurar imagens encontrei essa review e achei bem interessante o título e o usei (até porque estava sem ideia do que usar como chamada da review), quanto ao texto não tive tempo de ler e vou até dar uma olhada mais tarde e respondo sobre isso... mas o texto é de minha autoria...

    ResponderExcluir
  7. Olha, dei uma olhada no texto lá (que é muito bom, diga-se de passagem), mas não consegui achar muitas semelhanças entre os textos, mas é claro, impossível se falar da quarta temporada de Mad Men sem se falar dos acontecimentos na vida de Don, do episódio "The Suitcase" e alguns acontecimentos marcantes que se não fossem mencionados não seria uma review descente. Espero que eu tenha tirado a dúvida, e qualquer dúvida a mais só perguntar.

    ResponderExcluir
  8. Tmbm não achei grandes semelhanças assim nos dois textos, como disse o Sherlock em seu comentário. Achei até que cada um tem a sua identidade, apesar de falarem do mesmo assunto. A não ser pelo título (que o Jefferson já esclareceu), que eu acho ótimo que nós dois tenhamos concordado que essa Season 4 foi sensacional, mas não tão sensacional assim, rs.

    Mas tudo isso foi bom porque acabei lendo novamente a minha review (e corrigindo sempre alguma coisa que acaba escapando, ops!), assim como acabei lendo a review da temporada aqui dos Seriadores, que eu adoro não é de hoje e que sempre me deixam com vergonha das minhas, rs.(mas valeu pelo elogio, Jefferson)

    E foi bom também para relembrar o que aconteceu na temporada passada, como aquecimento para a Sesson 5 que começa logo mais. O que eu recomendo para quem estiver querendo se preparar para a nova temporada.

    Por isso, sem mágoas, é claro. Aliás, adoraria ser BFF dos Seriadores! (rs)


    ps: o que são os S.A casts de vcs? As vezes não consigo me controlar de tanto rir, sério!

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe