30 Rock 6x16/17: Nothing Left to Lose/Meet the Woggels

terça-feira, abril 24, 2012



Repetições e mais repetições.


30 Rock pode estar fazendo uma temporada boa, se julgarmos pela quantidade de piadas que está jogando na nossa cara, mas depois de seis anos, a mesma fórmula começa a cansar. Não seria tão cansativo, óbvio, se tentasse dar uma mudada nas relações dentro da série e melhorar alguns plots, mas aparentemente, 30 Rock está acomodada demais para fazer isso.

O décimo sexto episódio deve ter sido o mais bizarro até agora. Provavelmente a coisa mais estranha foi o plot do Tracy achando que Liz é o seu papa por causa do cheiro da roteirista. O personagem é burro, mas não tanto a ponto de melhorar sua produtividade por causa de um creme de cabelo. Uma parte boa envolvendo esse plot foi a sempre divertida aparição do Dr. Spaceman, que traz um novo conceito para 'péssimo médico', de forma totalmente hilária.

O restante do episódio foi desenvolvido de maneira bem normal, como sempre. Jack, novamente, tentando arrumar alguma coisa (no caso, fazer Peter conseguir o mojo de volta) e sucedendo no final, como sempre. A questão é que, Jack nunca se importou com ninguém além de si mesmo e talvez Liz, então não faz nenhum sentido ele se apegar a Pete para resolver algo totalmente desinteressante.

O último plot do episódio foi bem engraçado. Ver Jenna vestida de Smurfette foi bem bonitinho e seria até meio trágico se Lutz realmente estivesse falando com ele mesmo no espelho. A única coisa que não me agradou foi essa tentativa desesperada de mudar a personagem. Falar que ela é a pior pessoa que conhece? Quem achava o contrário? Não precisava ser algo dito, principalmente por Jenna, que aceita muito bem como é. Colocar a personagem dizendo coisas do gênero é sinal de desespero.

No entanto, tirando os problemas que já apontei, o décimo sexto episódio foi até legal. O outro episódio, foi bem melhorzinho. De uma forma estranha também, como sempre. Jenna esteve de volta ao seu estado normal, egocêntrica e over the top, o que me fez bastante feliz. Tudo que ela queria era Yokozar uma banda, afinal.

O drama foi bem exposto por Liz, que serviu praticamente como uma conselheira durante o episódio inteiro (eu considero a personagem a mais instável de todos, então o fato dela ser uma conselheira mostra o tanto que o resto do elenco é louco), falando que Jenna devia procurar Paul. Pena que não conseguiu o que queria, mas acho que em breve veremos Jenna macho de volta em 30 Rock.

Achei bem válido também o plot do Tracy, ficando bravo ao descobrir que o filho dele é um nerd. O pior mesmo foi o filho, querendo largar a faculdade, quando o pai finalmente dá atenção. É, provavelmente, a coisa mais normal que deve acontecer na casa dos Jordans. Para a realidade do personagem, foi algo estranhíssimo alguém, além de Angie (afinal, ela é a Queen of Jordan), possuir vocação para algo além de fazer nada.

Colleen também esteve de volta e foi ótimo. Adoro quando a mãe racista e extremamente ácida de Jack aparece. O que mais me agrada é a dinâmica entre os dois, nunca falam nada, mas sempre sabem exatamente o que dizer depois. Realmente não trouxe nada de importante para a trama e provavelmente não veremos a megera morta por um bom tempo, que era a ideia principal de todo o plot – a talvez morte da mãe . Afinal, se ela conseguiu sobreviver na Flórida durante todo esse tempo, com certeza será imortal só por esse motivo.

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe