Fringe 4x17: Everything in Its Right Place

domingo, abril 08, 2012


Às vezes você precisa estar no lugar errado, para chegar a onde você deveria estar.

Preciso dizer, antes de tudo, que sempre fui um massivo fã de Lincon, já adorava o do Lado B, tanto no final da segunda quando começo da terceira, mas quando apareceu o Lincon de nosso lado, realmente gostei dele e esperava que pudéssemos ver mais dele, verdade seja dita acho que consigo me identificar muito mais com ele do que com qualquer outro personagem da série.

Entendo que muitos fãs, ainda mais nessa reta final, não devem, ou deviam, estar gostando tanto de Lee, afinal, a paixonite dele por Olivia de certa forma podia até a chegar ser perigosa para o casal Peter e Olivia, isso sem contar que ele estava até mesmo um pouco avulso, ainda mais agora com toda a vibe “família” que estava tendo ali. Lee estava se sentindo um “outsider”, um pária, sem duvidas é uma sensação terrível essa, se sentir deixado de lado...

Com essa sensação e querendo esvazia ele decide dar uma passeada no outro lado, sem duvidas se esse recurso fosse possível muita gente o usaria, deve ser interessante conhecer uma outra versão de você, talvez ela seja mais incrível, confiante e importante, como a versão que Lee encontrava, e algumas vezes você pode acabar descobrindo que você poderia estar muito pior.

Todo o caso foi incrível, e realmente trouxe mais andamento para a trama da série, B-Nina Sharp foi descoberta, assim como vários Shape-shifters, e outras coisas importantes de Jones, sem duvidas isso vai ajudar muito, ambas Fringe Division a encerrarem essa temporada de maneira memorável! Mas o que esse caso realmente trouxe foi uma nova chance para Lee pertencer a algum lugar, realmente gostei da trama do Shape-shifter, diferente dos últimos episódios realmente fiquei intrigado com essa parte do episódio, ainda mais ele ajudando a Lee no final...

Infelizmente tivemos uma baixa no elenco, e a versão B de Lincon Lee acabou sofrendo as consequências de um ataque sniper, e como sempre: BOlivia + Armas Grandes = CENA FODA, tem como não amar essa mulher? No final gostei bastante de ver Lee dividido e confuso sobre o que deveria fazer, indo falar com BOlivia e seus sentimentos crescentes por ela, realmente quero ver essa relação, acho que ela pode de certa forma deixa-lo menos tímido e mais seguro de si mesmo, é uma relação que anseio ver! E realmente acho que Lee ficaria melhor vivendo no lado B.

Lado B inclusive que vemos começar a se reerguer, com os buracos negros começando a se fechar, parece que ele está voltando ao normal, realmente isso me deixou intrigado, porque ao mesmo tempo em que parece ser algo bom, na verdade parece ser algo ruim, como se tivesse uma pegadinha escondida ali, como se em um pequeno escorregão tudo pudesse explodir e acho que temos que ficar de olho nessa trama.

O nome do episódio veio de uma musica do Radiohead, a musica é bem estranha e confusa, a musica tem uma vibe dadaísta, foi criada aleatoriamente com várias das frases tendo sido tiradas aleatoriamente de um chapéu! Já a frase “Yesterday i woke up sucking a lemon” (Ontem eu acordei chupando um limão) se refere a cara que fazemos quando chupamos um limão, e sem dizer que é impossível não lembrar de Fringe com a frase: “There are Two Colors in My Head” (Tem duas cores em minha cabeça).

O Observador apareceu pouco antes do ataque Sniper:


E o Glyph Code da semana foi:

“DREAM”, ou Sonho, provavelmente se refere a Lincon, e seus sonhos, seja de se tornar alguém na vida de Olive, de ser alguém importante, de querer fazer a diferença... “Algumas vezes até os mais loucos sonhos viram realidade” – Ivy Lynn (Smash).

Talvez Você Curta

9 comentários

  1. Mto legal o episódio, andou bem a história.
    Legal que provavelmente ele fica com alguma Olívia pelo menos.rs
    Não vai demorar pra ele perceber que a diferença na vida dos dois Lee's foi a presença da BOlívia.

    ResponderExcluir
  2. Foi um dos melhores episódios desta temporada: teve ação no lado B ( adoro!), revelações e muiita emoção! Também gosto do(s) agente(s) Lee, A e B. Parabéns ao ator, que soube transmitir toda a angústia e solidão do personagem, que se sentia "sobrando" na equipe do seu universo e era visto como herói no lado B. Além disso, houve o retorno ao assunto, ainda mal resolvido, do agente, digo, coronel Broyles-metamorfo. Creio que seja uma questão de tempo para ele ser descoberto. Quanto ao Glyph Code, penso que todos nós gostaríamos de uma segunda chance, de termos nossos desejos satisfeitos : um amor correspondido, o retorno de um ente querido que se foi e sermos importantes e necessários para alguém. Realmente, Fringe arrasou!

    ResponderExcluir
  3. Sinceramente, sei que a Olivia loira é a protagonista, mas eu criei uma antipatia com ela e aquela constante cara de choro, mesmo quando ta rindo. Já BOlivia é o máximo, já chega jogando charme "Po, veio e nem trouxe um cafezinho", mesmo no meio da investigação ainda acha tempo pra zoar o parceiro Tyrone, ou seja, é linda, engraçada, chamosa, alto-astral, foda no tiro e DIVAA!! Quando eu vi ela pegando a arma maior eu lembrei na hora que ela e uma atirado de elite.

    Eu tinha lido uma comparação, do Lee do lado B como Superman, forte e confiante, já o Lee do lado A meio Clark Kent, mais tímido e confuso (e com óculos).rs Pena o BLee ter morrido, mas ainda teremos o Lee-A para nos confortar.

    PS: O que foi Gene - A Vaca, de roupinha do FBI?! huahuauha.. até boné tinha! hehe

    ResponderExcluir
  4. Gene tava linda, divando lindamente com roupinha do FBI, quase coloquei ela de capa da Review só pelo Shock Value <3

    ResponderExcluir
  5. esta reta final está impressionante, roteiro impecável, fotografia incrível,
    mais oque mais me impressiona é a atuação de Anna Torv eu me peguei com saudades da atriz, pois ela conseguiu diferenciar muito bem as duas personalidade que para mim a ruiva era outra pessoa

    ResponderExcluir
  6. Quando Astrid-B entrou na sala do Coronel Broyles, achei que ela iria dar um tiro nele ou levar um tiro, pois pensei que tinha descobrido que ele era um metamorfo. Po, se eles acharam um mapa com a localização de todos os metamorfos, pq não olharam pra Fringe Division? Seria o primeiro lugar que eu olharia.

    ResponderExcluir
  7. Pra mim a vida dos Lee só se diferenciavam em 1 coisa: Bolivia.

    No lado B, Bolivia e BLee eram muito amigos, passaram muita
    coisa juntos (tantas fotos) o que desenvolveu a auto-confiança
    dele, mas ser o BFF dificultou o lado romantico.

    O ALee tem a chance de completar essa relação, ganhando mais
    auto-confiança com a parceira e, ao mesmo tempo, sendo alguém
    diferente que a Bolivia vai aprender a conhecer, re-descobrir,
    com quem não está tão familiarizada. Daí as chances de um possivel
    romance, acho eu.

    ResponderExcluir
  8. Sim, acho que foi comentado na outra temporada que o BLee e a BOlivia se conheciam desde a Faculdade, inclusive as fotos deles eram bem antigas e tals.
    Também acho que ambos vão meio completar o que faltava no outro, e na relação que tinha com as copias de seus universos, enfim, to shippando lindamente <3

    ResponderExcluir
  9. KAOPSKAOPKSOPAKSOPAKSOPAKS RIALTO COM A FRASE DE SMASH NO FINAL, PQP

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe