(fdp) 1x03: Entre a Chuteira e a Sapatilha

sexta-feira, setembro 14, 2012

Homem Gosta de Homem...

Segundo a tese de Sérgio Balado. Em seu terceiro episódio (fdp) brinca com um texto ágil e repleto de trocadilhos na tentativa de explorar um tema comum, porém que ainda reflete preconceitos e receios da sociedade. A sexualidade de dois personagens é colocada em negrito apresentando em diferentes modos a visão do árbitro Juarez. As especulações sobre homossexualidade nos bastidores do futebol rende sempre a grandes debates. Não da forma como imaginei que fosse explorado, a série ainda assim consegue matar a curiosidade em cima do tema.

Logo de início o roteiro brinda com uma sugestiva e inteligente (após a conclusão da história) cena entre pai e filho. O pequeno Vini que aos olhos de Juarez promete ser o nome a dar continuidade a sua história dentro de campo se entrega a ginástica olímpica ao pedir um par de sapatilhas como presente de aniversário. A confusão foi evidentemente explorada pela figura do pai que de um maneira mais sensata por parte do roteiro da série busca compreender a decisão do filho evitando partir para o radicalismo.

Juarez buscou persuadir a escolha de Vini oferecendo diversos outros esportes em que o garoto pudesse seguir carreira. O interessante nessa escolha feita pelos produtores foi justamente brincar com a imaginação do personagem e consequentemente com a do público que acreditou realmente que Vini estivesse levando a sério sua escolha, assim como parte destes telespectadores duvidaram quanto a sexualidade do jovem. Com isso aprendi que (fdp) não é uma série em que devo levar a sério.

O jogo da semana teve como cenário Montevidéu (Uruguai), onde o trio de arbitragem apita a disputa entre Punta Del Este (time da casa) e Siete Cruces do México. Não se limitando ao futebol brasileiro, a trama optou por usar um jogo de fora como protagonista de um alarde dentro de campo. Um gol impedido contra o time do Uruguai enfurece aos torcedores que invadem o campo em busca do trio de arbitros, tendo claro, Juarez como principal alvo.

Neste momento Serjão é quem ganha destaque com todo seu tamanho e sua atitude. A amizade dele com Juarez liberou tanta confiança a ponto de Balado confundir por um instante os sentimentos entre ambos. A sexualidade de seu amigo que se assumiu gay em paralelo com a dúvida sobre a sexualidade de seu filho, faz com que Juarez se opõe a encontrar a melhor maneira de lidar com as situações. Enquanto respeita a opção de sexual de Serjão, Juarez faz questão de se garantir como o "comedor" da mulherada. Maneira mais sensata e natural de retratar ao mundo real.

Quanto a sua maior preocupação, o personagem principal da trama agradece ao alívio nos momentos finais do episódio. Vini que decidiu entrar para a ginástica olímpica apenas na tentativa de conquistar uma colega de equipe alivia ao seu pai que cheio de orgulho usa de gírias para comemorar a recuperação do susto. A brincadeira proposta pela trama transmitiu a mensagem para o público da série ao tempo em que deixou claro a visão e as atitudes de Juarez sobre o assunto. A intenção nunca foi fazer com o que o personagem defenda a causa ou lute contra ela, mas sim mostrar a falta de conhecimento e de informação que atingi a grande maioria da população mundial.

Paralelo a tudo isso acompanhamos a relação de Manuela com Rui que avança mais alguns degraus. De fato ficou nitidamente claro desde o início as intenções do advogado que se aproveita da fragilidade da bióloga para criar toda uma campanha rumo a conquista de um bom sexo. Enquanto ela se ilude mais a cada episódio, ele se mostra inteligente ao ponto de não só ganhar vantagem sobre o caso judiciário da família, como tira vantagem se assumindo como o velho conhecido "malandro", vestido de terno e gravato.

Observações Finais:
  •     Alguém além de mim sentiu falta da Dona Rosali?
  •     Peço desculpas pelo atrasa desta review. Por ter perdido a transmissão no domingo, tive dificuldades em encontrar release do episódio.
@cavalcanteartur

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe