American Horror Story 2x02: Tricks and Treats

quinta-feira, outubro 25, 2012

 

Me taca na parede e me chama de Linda Blair!

ZACHZINHO CHEGOU! Acredite ou não eu realmente poderia fazer toda a review do episódio falando de Zachary Quinto e como ele é um dos seres mais perfeitos do mundo. Se alguém já lia as minhas reviews ano passado sabe o quanto eu sou totalmente fanboy do moço, mas caso você não tenha lido, ou não se lembre esta review vai servir expressamente para de informar e lembrar deste importante fato da minha vida pessoal!

Dessa vez ele não é uma bee afetada todo trabalhado no ar bitch suburbana, mas sim um respeitável psicólogo, o Dr. Oliver Threadson (Ollie para íntimos), que veio ao Hospício – sim, ainda tenho mínima noção de ideia de qual é o nome do lugar – para cuidar de Tate Kit. E não estava louco ao me perguntar se o moço tinha caído em um buraco na première e sumido, ele realmente não tinha aparecido (mesmo o nome dele sendo o primeiro da abertura!), e o melhor é que já chega querendo botar ordem no lugar, afinal, estamos em 1964!

E junto de Zachzinho tivemos o demônio em pessoa! Inicialmente estava lá, achando que seria apenas um garoto com problemas mentais, esquizofrênico ou depressivo, mas ai começou as viradinhas de cabeça, a falar línguas estranhas, ficar branco – e só faltou uma sopinha de ervilha para dar um toque especial a coisa toda – a única coisa que pude fazer foi dar um high five mental em Ryan Murphy e dizer parabéns! A cada palavra incompreensível dita na voz do Batman pelo Jovem Dexter podia-se perceber que Ryanzinho é um gênio incompreendido. Para isso basta ver que ele decidiu que vai começar a insistir que o Bloody Face é na verdade o Cientista Maluco, para lá no penúltimo episódio revelar que era mesmo o Tate ou Sister Jude!

As cenas de exorcismo do garoto foram lindas, e mais ainda ele revelando os podres dos personagens, e assim descobrimos que Suster Jude era na verdade uma cantora de cabaré, que saia dando para todo mundo, isso há uns dois anos atrás (porque ela já estava velha), e mesmo assim já se tornou uma das freiras mais motherfucker do convento-Hospício! Com moral para desafiar dois Doutores, sendo que um deles é um médico megaevil que sai por chocando o povo (literalmente) e é o mais cotado, no momento, para ser o vilão megaevil: Cara Sangrenta!

Falando neste personagem incompreendido, a cena inicial com Bloody Face, Adam Levine e Bitch avulsa foi muito bem feita, admito que me senti vingado por #FuracãoKatrina da 2ª temporada do The Voice e o que o Adam fez com ela, inclusive queria que ele tivesse sofrido mais, podiam ter arrancado um coração ali, as tripas... Seria lindo! O que não gostei foi que Bloody Face matou a pobrezinha da DuVall! Queria tanto que ela ficasse aparecendo esporadicamente durante a temporada e no final ter um papel super significante em tudo... Infelizmente isso não vai acontecer... Ou talvez aconteça, não a mostrou sendo morta ou que alguém descobrindo que ela morreu.

Meu maior choque talvez foi que este foi o episódio de Halloween! Acho que deu alguma confusão no calendário de alguém, pois tenho bastante certeza de que o episódio deveria ter ido ao dia 31 de Outubro, próxima quarta, dia do Halloween... Shame on Ryanzinho, que ano passado fez dois episódios-evento para essa suculenta festa adocicada, e esse ano sequer chegou a mencionar data tão especial!

A trama mais chatinha, porém, foi a de Lana com Kit e Grace, todo aquela lenga-lenga de Ele é um assassino louco não vou mostrar para ele onde é a saída foi um saco. E Porque Lana precisa de outra pessoa para ir com ela? A Freira ia e vinha sozinha dali, sem duvidas ela deve ter a mesma capacidade mental de arrastar o carrinho de roupa suja e tirar o colchão da parede e escapar do lugar... A menos que ela note que não há para o que voltar, algo no estilo “Cubo”, mas duvido que estas grandes indagações quanto a natureza solitária da humanidade ocorra em uma pessoa presa em um hospício recebendo tratamento de choque.

E no final, choquei que Freira Boazinha virou satã encarnado sendo pussuida pelo ritmo ragatanga demônio do garoto e deve sair por ai sensualizando loucamente para os pacientes enquanto come de forma veroz o coração do povo, afinal, comer coração de cavalo é muito Game Of Thrones, e Khaleesi não aprova sair comendo coraçõezinhos de animais inocentes sem ter algo a provar! Mas coração Humano PODE! Maryann de True Blood tem uma receita de suflê DE-LI-CI-OSA!

No fim, gostei bastante de assistir este episódio de AHS, assistir com um tempo chuvoso, muitos relâmpagos e comendo torradinhas com geleia de morango da um toque todo especial, ainda mais nas cenas em que Adam Levine é esfaqueado loucamente... E sim, admito: eu deixei essa cena no replay. Umas cinco vezes.

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe