Arrow 1x03x04: Lone Gunmen/An Innocent Man

terça-feira, novembro 06, 2012



Surpresas, surpresas, surpresas.


Arrow não para de crescer. Mesmo que a audiência venha caindo semana após semana, uma coisa é fato: a série possui um alto nível de consistência. Logo no segundo episódio deu para perceber isso. O normal é que as séries entreguem um bom piloto e quando chegam ao segundo episódio, fode com toda a história, mas está na cara que Arrow sabe muito bem aonde está indo.

Os dois episódios, além de servirem como sequência um do outro, trouxe novamente o Arqueiro com sua vingança básica de café da manhã. O melhor de tudo foi a aparição de Deadshot, que ao mesmo tempo foi uma novidade agradável logo no começo da série, mas por outro, finalmente mostra que o Arqueiro não é lá aquela delícia toda sendo que Deadshot já se mostra uma verdadeira ameaça, principalmente porque ele é simplesmente um vilão que nunca erra seus alvos.

Na mansão dos Luthors Queens, o drama teen começou. Adoro que Mama Queen quer matar o filho, ou pelo menos sequestrá-lo, mas não consegue controlar a própria filha. Um dos problemas, desde o início, seria o drama teen da série, sendo que Arrow já se provou ser uma produção adulta. Até agora, tudo está bastante aceitável. Foi divertido Thea dedurando Laurel e Tommy na primeira oportunidade, o que prova que, quando ela está bêbada, ela vira uma pessoa extremamente perceptiva.

Por mais que tenha sido rápido, a adição de Diggle como parceiro do Arqueiro veio na melhor oportunidade. Ele simplesmente não consegue lidar com todas as incógnitas que cada matança traz, como foi o caso do terceiro episódio. Sem contar que Diggle é um militar, ou seja, é bem mais fácil lidar com ele do que qualquer outra pessoa. Leia-se: Tommy.

O amigo safado de Oliver, mesmo mostrando ser bom na luta, não é de confiança. Não sabemos o tanto que ele sabe, se ele realmente estava desacordado quando foram sequestrados no primeiro episódio e até onde ele iria para conseguir ficar com Laurel, que, sem dúvidas, vai começar a cair de amores pelo ex namorado em breve.

A questão é que o irmão de Diggle morreu e foi mais ou menos por causa disso que ele finalmente aceitou, no quarto episódio, a se tornar parceiro de Oliver. Poxa, se a polícia não irá resolver as situações e como Ollie também vai continuar sendo o cara da fantasia por um bom tempo, qual é o problema de se juntar, também? É provável que em breve Diggle seja posto em perigo, principalmente por trabalhar com o Arqueiro e muita gente – leia-se: a máfia russa – irá fazer de tudo para descobrir quais são seus aliados.

No quarto episódio, finalmente a moral de Laurel foi colocada em prova. Por mais que tenha sido legal ela finalmente discutindo com o pai sobre a questão da lei as vezes ser uma furada, convenhamos que ela é uma advogada e é desse jeito que os advogados conseguem fazer as coisas. Vamos apenas esperar para que ela não fique indo e voltando, entre o método do Arqueiro e entre o método do pai. Por mais que seja divertido vê-la discutindo com o pai sobr sobre isso, não é algo que será atrativo em uma base semanal.

Por meio dos flashbacks, descobrimos que Ollie teve que matar uma galinha para sobreviver. Convenhamos que não é a mesma coisa do que matar uma pessoa, mas a série já deixou bem claro que o nosso herói não se sente, de forma alguma, amargurado e sentido pelo que faz. Esse é o único jeito de ter certeza que a cidade voltará aos seus dias de glória.

Em outro bom momento, descobrimos que o novo papai de Oliver não sabe nada sobre seja lá o que for que Mama Queen esteja fazendo. Já sabíamos que ela fez parte da conspiração que afundou o barco do marido, e por isso a descoberta do que estava dentro daquele hangar não foi tão chocante quanto o restante dos minutos finais do episódio. Todo mundo (ela e o novo vilão) sabem sobre a lista, mas as especulações podem ser diversas, afinal, com certeza não deve ser muito complicado deduzir quais empresários e afins da cidade tem ligação com a máfia e outras entidades.

Tenho que fazer uma ressalva sobre a cena do motim: Começou muito bem, com muitos presos aparecendo e uma atmosfera densa, mas em pouco tempo, tudo estava contido, sem contar que a grande ‘luta’ aconteceu com UM homem. Convenhamos que se um monte de detento visse uma mulher e um cara fantasiado, seriam as primeiras vitimas, mas a cena foi tão broxante que a irritação por Laurel reclamar sobre o Arqueiro quase ter matado o cara foi às alturas.

O choque mesmo foi o final do episódio, mas Ollie também deu muita bandeira, trocando de roupa na maior cara dura em frente às câmeras. Por mais que seja óbvio que Diggle deve usar a roupa do arqueiro enquanto Ollie estiver na prisão, para inocentá-lo, os roteiristas fizeram uma jogada perigosa, ‘expondo’ Oliver para o mundo logo no começo da série. Óbvio que esse momento ia chegar e claro que ele será inocentado, mas esperava que fosse um pouco mais adiante na trama.

P.S: Laurel chutando todas as bundas possíveis no quartinho da boate sem perder a pose foi fenomenal.

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe