Glee 4x06: Glease

domingo, novembro 18, 2012


Um ótimo tributo.

Sou fã de vários musicais – passando por West Side Story, Wicked, Nine, Chicago, Moulin Rouge!, Mamma Mia – e esses são tão divertidos e deliciosos, mas não há duvidas de que, tirando West Side Story, o musical que realmente se firmou como um clássico na vida de todos foi Grease.

Uma delícia assistir Grease, porque todas as cenas e performances nunca ficam velhas, mesmo que já tenha visto mais de 30 vezes. Por isso, a expectativa por esse episódio estava altíssima, e tirando algumas cositas, o resultado foi bastante agradável. Grease já é um marco à parte, com Glee, então... Orgasmático.

O episódio já começou suculento, com Tina reclamando sobre Finn ficar no lugar do Cabelo Seboso no Glee Club. Só faltava ela denunciar a falta de ritmo que o menino tem e aí sim eu ficaria extremamente contente com a japa.

Os dramas em Lima, Ohio, estavam mais do que divertidos. Primeiro, como não teve mimimi de Blaine, o episódio foi legal. Segundo, como não amar Kitty (ou seja, Quinn 2.0) fazendo Marley achar que está ficando gorda, sendo que a única roupa que NÃO servia era o figurino da peça? E a consciência pesou também, já que Marley começou uma dieta achando que ia ficar gorda igual a mãe, mas não importa, todo mundo ia continuar amando ela, mesmo gorda, né gente? Porque... é Marley & Eu.

Mesmo que tenha aparecido do nada esse plot, bulimia era uma coisa que eu já achava que Marley tinha, considerando aquele corpinho dela. E infelizmente, creio que mesmo Blake (ou melhor, Ryder) salvando-a nesse episódio, os dois dedinhos com certeza se tornará plot recorrente.
Pessoalmente, não tenho nenhum problema com Kitty sendo tão malvada. Só espero que não achem uma razão idiota para fazê-la ficar do bem de repente sem nenhum motive aparente. Afinal, Sue pode até já ter seu filho, mas ainda acredito que Kitty é a verdadeira filha de Sue, a cria do satanás que vai tacar fogo nos corredores da escola em breve.

O único problema do plot das duas é que Marley vai começar a irritar todo mundo em breve (mesmo que seja uma mini-irritação) pela sua necessidade de NÃO revidar acerca do bullying que sofre. Santana bem que podia dar a luz da graça no próximo episódio novamente, ensinando a virgem como ser menos boazinha com todo mundo, principalmente com Kitty.

A verdade é que a maior parte dessa temporada está uma delícia. O núcleo de Ohio está bem mais interessante do que o de New York, as escolhas musicais estão ótimas e o mimimi de Blaine diminuiu. (Dessa vez eu assisti o episódio sem pular nenhuma parte, sintam orgulho!).

Grande parte da grandeza dos plots de Ohio vem em forma do delicioso Blake, ou melhor, Ryder, que já é o líder do vocal e ainda é mais rápido do que Finn, já até beijou Marley & Eu. Se fosse o Finn, levaria séculos para que algo do gênero acontecesse. O menino está ON FIRE.

Ele como Danny Zuko e Marley como Sandy Olsen fez todo o sentido, mesmo que os personagens em si são nada menos do que Finn e Rachel 2.0; Os números musicais foram ótimos, principalmente You’re The One That I Want, mas ao colocarem Finn no meio, acabou a sensualidade.

Foi legal ver quase todo o elenco junto novamente, principalmente cantando. Com Unique fora do negócio, a busca pela nova Rizzo com certeza não demoraria tanto, afinal é óbvio que ia dar Santana. Fico é com pena de Tina, que é burra, achando que mesmo AINDA ESTANDO NO COLEGIAL vai receber papéis decentes.

Agora, o que falar sobre o plot de Rachel e professora terrorista? Só o fato de Cassandra ter sido tão boazinha (ela até ofereceu as milhas!) com Rachel e Kurt só mostra que tudo estava errado. E depois de ver isso:


Alguém pode realmente culpar Cassandra pelo que fez? Porque eu simplesmente não consigo. Qualquer pessoa apossaria desse corpo. Rachel que deu mole e perdeu!

E o pior foi a nostalgia de Finnchel no último número, afinal foi o primeiro que eles fizeram como casal em Glee. Gostei do final que os tiveram no episódio 2x04, achei desnecessário bateram na mesma clara. Porém, não tem como não rir de toda a situação, começando com Finn pagando pau para a ex, com aquela conversinha ‘você é minha musa’, só para terminar com ele cortando laços total com Rachel, depois de descobrir que ela estava chorando por causa de Brody.  

A eterna luta entre Finn e Sue com certeza vai render muitos plots suculentos, mas convenhamos que Sue não pode simplesmente sair andando, falando todas aquelas barbaridades para as pessoas o tempo todo e depois se RECUSAR a perdoar as pessoas quando elas falam coisas horríveis para ela. Óbvio que se ela perdoasse não teria graça, mas mesmo assim.

P.S: Mercedes ficou a semana inteira em Ohio, então? Já bombou na faculdade?
P.S: “Me sinto mal por Mercedes, mas se os pais dela querem que ela seja um menino, acho que faz sentido”. SPEARS, Brittany S., nosso unicórnio favorito!

Músicas no episódio:
“Greased Lightning”: Ryder (Blake Jenner), Sam (Chord Overstreet), Jake (Jacob Artist), Joe (Samuel Larsen) e Mike (Harry Shum Jr.)
“Look At Me, I’m Sandra Dee”: Kitty (Becca Tobin)
“Beauty School Drop Out”: Blaine (Darren Criss)
“Look At Me I’m Sandra Dee (Reprise)”: Marley (Melissa Benoist)
“There Are Worse Things I Can Do”: Santana (Naya Rivera), Unique (Alex Newell) e Cassandra (Kate Hudson)
“You’re The One That I Want”: Rachel (Lea Michele), Finn (Cory Monteith), Marley (Melissa Benoist), Ryder (Blake Jenner) e New Directions

Talvez Você Curta

6 comentários

  1. "como não amar Kitty (ou seja, Quinn 2.0) " #OIQ
    Nem em 1000 anos Kitty será um dedo de Quinn. Ela é feia, ela canta mal e tenta imitar Dianna Agron. Por favor, maldades de vilã da malhação ficam ótimas só na malhação. Hum.... acho que Kitty deveria ir para lá inclusive.

    ResponderExcluir
  2. Achava que não gostava dos seus reviews pela discordância de opiniões, mas mesmo falando bem do episódio você faz um texto muito ruim, principalmente pela falta de coerência e de cuidado com as construções. Gostaria que me explicasse cada uma dessas passagens:

    - Orgasmático??? - caso não saiba, é orgásmico
    - todo mundo ia continuar amando ela, mesmo gorda, né gente? Porque... é Marley & Eu????
    - os dois dedinhos com certeza '''se tornará''' plot recorrente??? - concordância pra quê?
    - vai começar irritar??? - preposição pra quê?
    - delicio Blake???
    - mesmo que os personagens em si seja reciclagem????
    - Fico é com pena de Tina, que é burra, achando que mesmo AINDA ESTANDO NO COLEGIAL vai receber papéis decentes??? - percebeu que, tirando Santana, todos ainda estão no colegial? É uma peça de colégio!
    - Qualquer pessoa apossaria desse corpo???

    Entre outras milhões de coisas que não tive paciência de procurar pra não ter que reler esse texto péssimo... Não é orgulho nenhum você assistir sem pular uma série da qual você faz review, é o mínimo que se espera de alguém nessa tarefa e sinceramente me surpreende que como um dos poucos blogs que trata Glee com o carinho que merece, pelo menos nos podcasts e postagens de listas, o seriadores anônimos deixe uma pessoa tão despreparada pra resenhar a série semanalmente. Decepção grande!

    ResponderExcluir
  3. Não que eu tenha que te dar alguma satisfação, mas vamos lá:
    Orgasmático é sim uma palavra. Dê uma olhada nesse link: http://www.dicionarioinformal.com.br/orgasm%C3%A1tico/
    Todos os outros erros que você citou, tirando a parte do Marley & Eu e da Tina, são simples erros ortográficos, que passam batidos quando estou escrevendo. Realmente não reviso o texto depois de já pronto, então algumas concordâncias, erros ortográficos podem sim acontecer, como acontece com qualquer pessoa.

    A questão do Marley & Eu foi simplesmente uma referência ao filme do cachorrinho, que é um filme bem bonito e o Marley, que é o cachorro, mesmo possuindo seus defeitos e limitações, é sempre querido e bonitinho, igual a Marley de Glee.

    Sobre a questão da Tina, foi uma simples falta de interpretação. Pelo fato dela estar no colegial é o que prova que é ÓBVIO que ela que deveria ganhar o papel e não a Santana. Ou seja, até no seu próprio elemento, Tina é trollada pela titia Murphy. Já falei várias vezes nas reviews sobre a questão da asiática não receber o destaque necessário agora que metade da turma foi embora. E titia Murphy simplesmente fica trollando com ela de várias maneiras possíveis.

    Agora, realmente não entendo. Nunca critiquei Glee da maneira que alguns falam que faço. Faço alguns comentários ácidos e meio irônicos sobre o que está acontecendo, mas o que você precisa entender é que não há a necessidade de se ofender com o que eu falo. Não há. Tem que levar as coisas na brincadeira!

    ResponderExcluir
  4. Sim, erros ortográficos acontecem com todo mundo, mas se acontecem uma vez ou mais a cada parágrafo, é sinal de que você precisa sim revisar o texto. Entendi perfeitamente a referência da Marley com o filme do labrador, o que não entendi é você ter dito que as pessoas gostariam dela, mesmo gorda, usando o nome do filme como justificativa. Parece que você não sabia mais o que escrever sobre o assunto e colocou uma piadinha sem sentido pra seguir essa tradição que você chama de "comentários ácidos e irônicos".

    Eu não me ofendo com o que você escreve não, e peço até que não se ofenda com o meu comentário também. É uma simples questão de querer ler uma review bem feita, de quem não tem má vontade com a série, num blog que eu achava que estava preocupado em me oferecer isso, mas pelo visto não.

    ResponderExcluir
  5. Gente chata da p#rra, se não gosta não leia. Simples assim. O autor do texto não tá te fazendo nenhum favor. E mesmo que eu ame Glee de paixão, algumas cenas merecem sim ser puladas, tipo os 392839183 solos do Blaine que ninguém suporta mais.

    ResponderExcluir
  6. Acho que você podia ser um pouco mais cuidadosa com as palavras, mas concordo em partes. O Marco acerta em muitas outras reviews, eu sou fã, só que em Glee ele perde a mão mesmo, tanto que não é a primeira vez que vejo reclamações. O problema de pular cenas é que as vezes ele nem entende o que tá contecendo, como no episódio passado que achou que Mike e Mercedes apareceram do nada sendo que teve toda uma reintrodução deles, isso dá uma raivinha mesmo, mas não acho que ele seja um escritor tão ruim.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe