Homeland 2x07/08: The Clearing/ I'll Fly Away

domingo, novembro 25, 2012



Homeland poderia facilmente ser uma série preocupada apenas com seus mistérios principais e apresentar personagens superficiais com os quais jamais nos importaríamos. É comum ver isso acontecer em tramas envolvendo conspirações, onde os plot twists e os eventos impactantes são mais relevantes que qualquer outra coisa.


Por essa razão, mesmo depois de mais de uma temporada e meia, ainda é fascinante ver como a série praticamente para sua trama principal para explorar a exaustão de Brody diante de toda pressão de viver sua identidade dupla.

Há vários eventos em The Clearing que levam a implosão de Brody no episódio seguinte: a conversa com Roya, sempre elusiva, alimentando a insegurança do sargento; a pressão da festa de arrecadação de fundos, tendo ele que suportar as invasivas perguntas daqueles que não entendem o que ele passou e a admiração, da qual ele se sente indigno, do seu anfitrião e também os problemas da sua filha.

Diante de tudo isso, os únicos momentos em que Brody aparece verdadeiramente em paz, mesmo que por poucos momentos, são quando ele esta nadando sozinho, isolado no silencio subaquático e livre de todos os olhares que o cercam, e quando decide levar a filha a delegacia, por saber que é a coisa certa a se fazer e, na presente situação dele, onde tudo parece tão errado, ajudar Dana a fazer o certo já é tranqüilizante o suficiente.

Após tudo isso, a reação natural é o descontrole de I’ll Fly Away. Era isso ou se tornar Aileen — que no sétimo episódio representava a alternativa de Brody, a pessoa que sucumbiu às pressões de uma vida similar a dele —, terminando morto em uma cadeia de segurança máxima.

Brody se descontrola com esposa, diz que não vai mais ajudar Abu Nazir e não se importa mais se será preso ou não. Em todo o processo Damien Lewis continua sendo incrível ao encarnar os vários estados pelo qual seu personagem já passou nessa temporada e nesse episódio. Ele é assustador quando grita com Jessica, demonstra fragilidade quando anda encolhido pelo parque, parecendo desejar sumir dos olhos do mundo e consegue passar resignação diante do aparentemente inevitável fim que lhe aguarda quando conversa com Carrie no motel.

É difícil imaginar que a vida de Brody possa melhorar muito, é provável que ele sempre oscile entre o autocontrole e o desejo de largar tudo visto nesse episódio. Imagino se ele possa ter crises semelhantes a cada revés que surgir na sua vida, como o provável próximo: o fim do casamento. É bom ver esse tipo de desenvolvimento às vezes, mas sempre, se torna repetitivo.

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe