The Good Wife 4x06: The Art of War

sexta-feira, novembro 23, 2012


Quando vencer não é o principal.

The Good Wife vem fazendo uma temporada bastante morna e que, com seis episódios, empolga muito pouco. Esse episódio não é diferente e embora tenha alguns bons momentos, entrará para o hall de esquecimento, sem dúvidas. Sei que é uma reclamação recorrente, mas estamos falando de um dos melhores procedurals legais da TV que virou uma pasmaceira sem igual. Dói ver TGW transformada numa série banal e dispensável, em que os personagens só repetem jargões de tribunal e têm diálogos sem qualquer importância.
Apesar de tudo isso, ainda achei o caso da semana diferente pela mistura com o universo militar e todas aquelas regras malucas que protegem instituições e pessoas. Alicia estava muito bem no julgamento, mas o destaque fica mesmo com as falas pontuais do juiz Abernathy e com a participação de Brian Dennehy, como advogado de defesa do “suposto” estuprador. No final ele vence, mas não cumprimenta o acusado e isso já diz tudo.
Amanda Peet estava um tanto apagada, mas credito isso ao fator “capitão estuprada” e ao drama pessoal da personagem. Para ela, só aquela chance de estar na corte já foi uma vitória, porque Alicia conseguiu avançar a níveis quase impossíveis. O caso mostra bem a situação da mulher que segue carreira militar e o imenso preconceito que ainda existe contra o gênero. Além das dificuldades de rotina, elas ainda sofrem pressão para não denunciar e não correr atrás dos próprios direitos quando são vítimas de alguma violência.
Não foi lá uma surpresa muito grande a notícia de que Maddie articulou tudo para concorrer contra Peter, mesmo com a maioria (eu inclusa) acreditando que ela via em Alicia uma candidata potencial. De qualquer forma, precisavam mesmo de um opositor de verdade para Peter, porque até aqui ele luta contra “monstros imaginários”.
Ainda nesse meio, vemos Eli tentando armar contra jornalistas e Jackie sendo Jackie, agindo como uma velha maluca com todos os enfermeiros. Alicia tinha razão em sua sugestão, porque homens podem impor mais respeito, na maioria das ocasiões.
No escritório a mesma ladainha. Escândalo de Eli por causa de um escritório que sequer está em uso e Diane descobrindo que Hayden quer um empreguinho na Lockhart/Gardner. Tudo muito manso e sem qualquer destaque. Reparem que Will só aparece para ser expulso de uma reunião.
Como a firma ainda cuida dos negócios de Nick, Alicia e Cary podem estar navegando em águas perigosas. O cara vai saber que eles não fizeram o serviço completo e o fizeram perder negócios em Chicago. Isso é óbvio, assim como a violência que está por vir. A única que sabe disso é Kalinda, mas ela também continua impotente diante do marido. Triste ver a personagem presa numa trama que a descaracteriza dessa maneira.

Talvez Você Curta

0 comentários

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe