Hawaii Five-0 3x10: Huaka'i Kula

sábado, dezembro 15, 2012




Aquele momento em que parece que nada pode dar errado...


Huaka’i Kula poderia ser resumido em três palavras: Emily Alyn Lind. A incrível atriz mirim que interpreta a Amanda Clarke de Revenge (na infância) fez participação no episódio e deu um show que muito adulto não consegue!

Mas, antes que me adiante, vamos ao enredo da semana. Era pra ser tudo diversão, com uma trupe de escoteiras infantes acampando e tendo a dupla McDanno como acompanhante. E era pra ser divertido MESMO, com Steve contando histórias horripilantes sobre torturas que ele cometeu – pro arrependimento de Danny, que não se sabe *cof* porque levou o partner pra expedição. O ponto alto do passeio seria o workshop de “como manipular facas” com Steve McGarrett, mas Lucy (Emily Lind) encontrou um homem ferido na floresta e, junto com Steve, tentou ajuda-lo. Pronto. O que era pra ser um evento sem contratempos se tornou uma ocorrência policial.

O episódio transcorreu se apoiando nessas duas esferas: tensão e comédia, o que já é bem característico de H50. E como Kono e Chin não podiam ficar de fora, antes que fossem participar da captura do(s) criminoso(s), tiveram seu próprio momento de apreensão, com a enrascada em que Kalakaua parece estar se metendo. Acontece que o irmão de Adam, Michael Noshimuri (Daniel Henney), chegou ao Havaí demonstrando ser bem sinistro – e estar pouco disposto a contribuir para a legitimação dos negócios da família. Mais do que isso: o fato de o irmão estar namorando uma policial não parece agradar muito ao Yakuza. Destaco também a participação de Henney, tão boa quanto a de Emily.

Mas, como nem tudo poderia ser tão trágico, vale apontar também a ternura entre o casal Kono e Adam – que ficam ótimos juntos – e o senso paternal de Chin, ao saber que o FBI estava investigando os Noshimuri, o que poderia colocar Kono na reta.

Voltando para o acampamento, as cenas mais eletrizantes e engraçadas. De um lado, Danny tentando livrar a turminha do contêiner em que foram trancafiados ou, pelo menos, garantir a sobrevivência de todos. Para isso, revelou que não só tinha deixado o grupo de escoteiros quando pequeno, mas também fazia parte dos espertinhos que levava doces escondido. A moral diante de Gracie = zero. 

Gracie teve seu momento de “filha de um policial fodão” saindo pelo túnel que a galera ajudou a escavar e liberando-os do contêiner. Devo dizer que, apesar dos esforços de destacarem a atuação da garota, quem mandou bem mesmo foi Lucy. Sendo refém de Ron Alberts (Tom Arnold), a loirinha se mostrou uma potencial discípula de McGarrett. Aliás, outra criança que também se destacou foi a pequena asiática Riley (Analei Tsong). Com ar de pivete geek, a menina salvou a pátria consertando um dos celulares destruídos por Ron, o que permitiu que Chin e Kono fossem contatados e a Five-0 Task Force entrasse em ação. Fiquei me perguntando se Riley era parente de Max. O jeito de falar muito lembrou o legista, compensando sua ausência no episódio.

Outra participação bacana foi a de Lesley Boone, como a instrutora Madeline. Sendo mais uma a acabar com a moral de Danny, a moça foi crucial na ajuda para o resgate de Steve e Lucy.

O caso da vez foi bem ousado: uma estratégia que deu errado de uma quadrilha que roubava diamantes e derrubava os aviões transportadores de propósito, conseguindo escapar sem serem descobertos. Como Ron, bastante instável psicologicamente, se machucou e perdeu os diamantes, a tarefa se tornou mais arriscada. Sobre isso, um ponto fraco a levantar: uma das vítimas aleatórias, o rapaz que estava em expedição na floresta, foi muito providencial. Com dois caras perigosos ali, ele não cruzou o caminho de Hines e não morreu ao ser baleado e cair? Ainda pôde ajudar Danny e Madeline a seguirem a pista de Ron?

No mais, pura emoção. A bravura de Lucy, se escondendo até que Chin a encontrasse e a chegada providencial de Danny para salvar Steve quando o comandante estava quase levando chumbo na testa: muito amor!

Já no desfecho, uma deixa sobre a tensão que virá nas próximas semanas: Michael deixando a arma na cabeceira da cama em que Adam e Kono dormiam e encarando o casal com ar sinistro. Quanto Kono estará ferrada?

E para fechar deixando os telespectadores com suspiros, o acampamento residencial improvisado por Danny para compensar Gracie pelo ocorrido foi um doce. Só faltou Rachel causando em algum momento do episódio. Um detalhe que poderia não ter ficado de fora. 

Em resumo: um bom episódio. Emily Alyn Lind.  Ponto final.

A hui hou o/

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe