Rizzoli and Isles 3x12-13: Love the Way You Lie/ Virtual Love

terça-feira, dezembro 18, 2012


Rizzoli e Coxinha o ano todo por favor!


3x12: Love the Way You Lie

Como é bom ter um gostinho de Rizzoli and Isles sem ter que passar pela barra de vida que é a Summer Season, Jane e Maura fazem a minha semana mais brilhante e com esse episódio não foi diferente. Supostos suicídios, casos antigos e corações partidos marcaram “Love The Way You Lie” e fez desse um dos meus episódios favoritos.

A grande sacada desse episódio foi sem dúvida a conexão entre os casos em investigação e o caso da menina assassinada no dormitório da faculdade, apesar de estar na cara desde o começo que os casos estavam ligados, afinal vamos combinar que R&I é o cúmulo do clichê quando se trata dos casos da semana. Mas todo o mistério que se formou com o suposto suicídio do escritor que se transformou em assassinato, depois levou a outro possível suicídio, que reunia as respostas em um manuscrito desaparecido e tudo isso ligado a um antigo caso do Frost, foi realmente muito legal. Esse foco maior que eles deram para o Frost foi muito interessante também, pegaram um caso que ele obviamente podia se identificar, um negro sendo acusado numa escola predominantemente de brancos e mostrou um pouco da personalidade do policial que, na maioria das vezes, está ali só para fazer número. Não é que eu não goste do Frost, mas acho-o tão irrelevante na série que não me importaria se ele saísse para dar uma mudada na dinâmica.

Outro destaque nessa semana foi Ângela e seu caso com o Tenente, eu absolutamente amo a mãe da Jane que é, em minha opinião, uma das melhores personagens da série, sempre morro de rir das trapalhadas dela e acho que ela merece todo o destaque que conseguiu ao longo dos anos. Dito isso, fiquei com muita pena de vê-la com o coração partido, está claro que a mamãe Rizzoli está apaixonada pelo Tenente, mas ele ainda não está pronto para um relacionamento. Torço muito para os dois porque eles formam um casal muito fofo, mas principalmente porque preciso de mais cenas com a Jane tenho calafrios por saber da vida sexual da mãe, morri demais com a conversa na sala da Maura.

Os momentos entre as duas continuam sendo a melhor parte da série e serei eterna shipper de Rizzoli e Coxinha.

3x13: Virtual Love


Quando a realidade virtual se torna perigosa. Essa semana Rizooli and Isles nos trouxe um tema muito atual e importante: os perigos de misturar realidade virtual com a vida real. Quando não se consegue mais separar os dois as coisas podem ficar complicadas e nesse caso pessoas acabaram sendo mortas.

Tenho que admitir que o caso da semana foi bem criativo e conseguiu me prender do começo ao fim e criar uma atmosfera de tensão  ao mesmo tempo que me divertia com alguns desdobramentos inesperados. Pela cena inicial já sabíamos que esse seria um caso inusitado, afinal não é todo dia que um homem é morto por uma lança, mas o mais interessante foi descobrir a vida secreta da vítima como parte de uma comunidade virtual que se dedicava a um jogo de computador baseado na sociedade Viking. Mas os problemas aconteceram quando a realidade virtual se misturou com a vida real e o dono da cervejaria acabou morto em seu próprio laboratório pela assistente maluca que levou o jogo virtual longe demais. Meu único problema com R&I é que os assassinos geralmente são óbvios demais, desde o começo já dava para sacar que a assistente era a assassina mais provável, tudo bem o motivo foi surpreendente, mas acho que esse é um aspecto em que a série precisa melhorar bastante.

Essa semana tivemos a visita de Rondo, nosso sem teto favorito e de seus adolescentes rejeitados, gosto muito quando Rondo faz suas aparições e as crianças foram um bom acréscimo ao episódio, principalmente a menina que, apesar de ser uma aprendiz de ladra, teve uma interação tão legal com a Maura e a Jane que me fez querer tê-la como parte do elenco da série. Imaginem uma mini-Maura andando pelos corredores da delegacia e aprendendo a ser cada dia mais nerd com a sua mentora? Seria apenas sensacional.

Mamãe Rizzoli estava disposta a mostrar para o Tenente que não vai ficar sentada chorando por ele a vida toda e começou a flertar com o detetive de roubo de carros, mas como aquilo era só para fazer ciúmes no Tenente e não iria levar a lugar nenhum, Ângela acabou recebendo um puxão de orelha da filha e nós ganhamos um momento família totalmente fofo e que eu sempre amo.

De um modo geral foi um bom episódio, mas eu estou esperando algo mais impactante nesses episódios finais de Rizzoli and Isles.

PS. Você sabia que uma mulher comum ingere 7 Kg de batom durante uma vida inteira? Maura é cultura. 


Talvez Você Curta

2 comentários

  1. adoro rizzoli and isles, me diverto durante todo episódio, mas tenho uma dúvida que vem desde o primeiro episódio: porque os rizzolis (todos) ficam mais na casa da maura do que na deles? é sério, pelo jeito, até a correspondência da Jane é entregue lá....tadinha da maura envolta nessa panela italiana que é a familia da amiga....

    ResponderExcluir
  2. Né menina???????/ Penso a mesma coisa, a Jane e familia se mudaram pra casa da maura coitada. ahauhauhaua

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe