The Mob Doctor 1x12x13 (Series Finale): Ressurection/Life and Death

sexta-feira, janeiro 11, 2013


Saída elegante.

A jornada de The Mob Doctor chegou ao fim. Eu não acho que alguém esteja triste com isso. Eu não estou, mas também não me sinto arrependido de ter acompanhado. Acabando agora, a série pelo menos vai ficar guardada na minha memória como algo relativamente bom. Depois desses dois últimos episódios, até arrisco dizer que talvez eu aguentasse mais um pouco.

A temporada, apesar de 13 episódios, me pareceu imensa, não porque muita coisa aconteceu, mas porque o desenvolvimento foi lento em alguns pontos e até um pouco cansativo. Com o fim se aproximando, no entanto, foram jogando coisas até legaizinhas e, apesar de um final bastante previsível, não foi um total desperdício.

Além do paciente que ressuscitou, teve ainda o caso de um transexual com câncer de próstata, que serviu para aprofundar Al Trapani na história. Foi isso que encadeou os acontecimentos finais. Trapani arma para Constantine, que eventualmente resolve ir até a casa de Grace e dizer “Olá, filhinha!” (Alguém duvidou que ele fosse o pai dela? Dificilmente). É claro que isso não iria prestar, e os matadores chegam atirando com tudo, deixando Constantine e Daniella hospitalizados.

Grace vai tirar satisfações com Daniella (que está morrendo!) por ter mentido e tem todo aquele blábláblá de “você mentiu sobre quem era meu pai”. Achei bastante absurdo e Grace merecia uns tabefes na cara só por causa disso. E depois ainda se arrepende quando a mãe morre sem ela ter tido a chance de se desculpar.

A vida dupla foi exposta, graças às insinuações do Dr. Megaevil, que praticamente esfrega na cara já desconfiada de Dr. White que Grace trabalhava para a máfia. White dá uma bronca merecida em Grace. Eu esperava pelo veneno de Olivia, mas isso ficou em falta, já que ela e Grace se tornaram amiguinhas de repente.

Enganada e usada por Constantine, Grace consegue um acordo de paz com o Cartel. Isso com a ajuda do irmão (Não Nate, mas Luke, que surge avulsamente no episódio passado). Depois, quando vai contar para o papai sobre seu grande feito (#OrgulhoDoPapai), eis que Tino samba bonito na cara dela, revelando que o acordo era falso e que ele não pretendia ficar em paz. O clima depois disso fica ainda mais tenso e adorável (Adorável para nós): A Doutora da Máfia finalmente veio à tona.

Grace abandona Nate, se desculpa com Ro, MATA CONSTANTINE, deixa Brett com cara de tacho enquanto ele distrai o policial, permitindo a escapada dela, e sai desfilando toda linda do hospital. Entra num carro com Franco e o quê, o quê, o quê? Toma a decisão sensata que ela deveria ter tomado logo no piloto: foge para o México. É claro que naquela época ela não precisaria ir tão longe, mas do jeito as coisas ficaram, era isso, cadeia ou morte. Confesso que eu torcia pela última opção.

E assim The Mob Doctor se encerra. A estreia foi superestimada por muitos, por causa do roteiro e da venda como nova House, e também decepcionou muitos justamente por isso. Eu, que mantive minhas expectativas calminhas, não me ofendi e consegui chegar até aqui sem muita reclamação e vou aguardar veemente o retorno de Jordana à TV, de tão apaixonado que fiquei.

Bom, galera, é isso. Foi legal cobrir a série aqui e estamos aí com Nashville e outras que ainda virão, assim espero. Até a próxima ^^

Talvez Você Curta

1 comentários

  1. Eu fiz uma rápida maratona pra terminar a série esta semana. Gostei muito do vi. Não era perfeita, mas considero um drama muito mais interessante que vários outros que estrearam este ano. A Jordana é uma atriz que muito me agrada e a dinâmica entre a personagem dela e o Constantine rendeu bons momentos. Fiquei satisfeito porque o final foi "redondo", principalmente se levarmos em conta que a a série foi cancelada. Quem dera todas conseguissem esse feito - normalmente terminam com vários arcos sem fechamento. R.I.P. TMD.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe