Hawaii Five-0 3x20: Olelo Pa'a

domingo, abril 21, 2013



Um flashback surpreendente.
Em plena época de discussão sobre uma possível guerra entre as Coreias do Norte e do Sul, com EUA e o mundo todo metendo o bedelho na tensão asiática, H50 nos trouxe um episódio que já começou tão tenso quanto, com Steve e Catherine na fronteira da Coreia do Norte, com as vestes militares, fazendo uma troca com o exército coreano de dois prisioneiros por um caixão. 

O pensamento inicial foi: “Wo Fat”? O oficial coreano disse para Steve que as negociações haviam levado mais de 2 anos e lançou a pergunta: o que a pessoa no caixão significava para McGarrett. O protagonista não respondeu, mas os flashbacks que se seguiram explicaram bastante. 

Um dos pontos altos do episódio foi o retorno de Joe White. Para explicar o cadáver tão almejado por McGarrett, a máquina do tempo nos levou à época em que ele estava em treinamento com os demais soldados, sob o comando de Joe. As cenas também explicaram o jeito durão do líder da Five-0 Task Force. Steve seguiu o mestre, simplesmente.

A intensidade da relação de Steve com o ex-parceiro militar, Freddie Hart (Alan Ritchson), veio com a descoberta de que o cadáver entregue pelos norte-coreanos não era de fato do soldado. O flashback nos mostrou que Freddie quase desistira do treinamento árduo de Joe, mas fora impedido pelo colega de abrigo (McGarrett), que o incentivara a seguir em frente. É, e a gente pensando que Danno era o primeiro da vida de Steve. 

Aliás, falando em Danny, sua participação no episódio foi quase nula. O mesmo vale para Kono e Chin. Mas, apesar de terem focado mais uma vez na relação de Steve e Cath (até fez sentido a moça estar lá, afinal, é tenente da Marinha e tem que trabalhar de vez em quando), não deixaram faltar as mostras de preocupação da equipe Five-0  – e especialmente de Danno, que levou muitas telespectadoras à loucura ao perguntar sobre Steve para Catherine com a frase “Como vai meu garoto?”.

E todos ficaram muito apreensivos com a missão inevitável de McGarrett e Rollins: a de tentar recuperar o verdadeiro cadáver de Freddie. Isso envolveu Joe, um contato dele e Steve na Coreia – um tio simpático que bebia um drink feito com sangue de cobra – e armamento pesado, além da chance do casal não voltar para casa.

Houve muita ação no episódio, bang bang, cenas eletrizantes, etc. Mas, como é típico de H50, os roteiristas forçaram bastante a amizade ao fazerem com que Steve e Catherine sozinhos derrubassem tantos coreanos e saíssem quase ilesos. Os asiáticos têm doutrina bem rígida, dominam técnicas de tortura e não cedem a ameaças do tipo “abra o bico ou meto bala na sua cabeça”. No mínimo, Steve deveria ter torturado muito o cara que o levou até a ossada de Freddie antes que o coreba falasse qualquer coisa. As infâmias foram muitas nesse sentido, porém, não dá para levar tudo a ferro e a fogo com a série. 

E afinal, essa forçada de barra foi muito bem compensada pela conexão sagaz de eventos que conseguiram fazer. Nos primeiros minutos do episódio, parecia que Wo Fat voltaria a entrar em cena. No entanto, não só Joe retornou, como os irmãos Grimm Hesse foram lembrados. E mais explicações foram dadas com isso. Acontece que a missão de Steve e Freddie na Coreia, para interceptar o tráfico e prender Anton Hesse foi o que causou a morte de Freddie em campo.  Mas, não foi só isso. Quando Steve levava Anton sob custódia, ainda abalado com a morte do colega militar, veio a cena que já conhecemos do episódio piloto: o telefonema dos outros irmãos Hesse, que estavam com o pai de Steve. Era a ocasião em que Jack McGarrett foi assassinado.

Somada à emoção de saber que Steve perdera duas pessoas queridas no mesmo dia, quando até então só conhecíamos parte da história, houve a cena do funeral de Freddie. A cerimônia foi feita nos moldes militares, o que causou mais impacto. E foi lindo ver a família de Freddie demonstrando gratidão à McGarrett, além de vê-lo cumprir a promessa que fizera ao amigo, de entregar uma corrente para a filha que o soldado Hart nunca conheceu e dar a ela o recado que o pai enviara antes de morrer. O toque final foi o olhar de Steve para Danno, Kono e Chin.

Lembrar do início da série pode ser o gancho perfeito para retomar a trama central, que vem cambaleando desde então e correndo o risco de se perder. Se seguirem nesse caminho, o final da temporada pode ser com a história nos trilhos de novo.

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe