The Carrie Diaries: Season One

domingo, abril 21, 2013





#SaveTheCarrieDiaries

Como definir “The Carrie Diaries”? A série que é um prequel de “Sex And The City” veio com uma missão de conseguir ter uma identidade e conquistar publico em um canal (CW) que não é dos mais populares. Foi uma grata surpresa conhecer “The carrie diaries” na mid-season, pois a fall season foi decepcionante e eu não fiquei com nada de novo na grade já na mid season tive o prazer de conhecer “TCD”.

 
Carrie é uma garota inteligente que sabe o que quer e fica claro no inicio da serie a personalidade forte de nossa protagonista. Ela é fofa tem suas duvidas, medos e paixões. Durante a primeira temporada ela se apaixonou, namorou, terminou e namorou novamente com o mesmo cara que foi o primeiro amor de Carrie. Sebastian tem o perfil fofo e um pouco problemático mas que realmente era apaixonado por Carrie e vimos a evolução do casal ate a season finale. Eles lidaram com primeiras vezes e inseguranças normais para a época e normais hoje em dia. O mais legal durante toda a trajetoria inicial da personagem é ver a evolução dela, que começou mentindo para Larissa e que no final já estava trabalhando em uma revista e quase se mudando para Manhattan. Ela teve suas primeiras vezes que foram claras referencias a “SATC”.

Mas a série também tinha otimos coadjuvantes, os amigos de Carrie eram otimos personagens pricipalmente Mouse, inteligente e que de certa maneira evoluiu durante a season 1 teve conflitos e sempre esteve ao lado de Carrie. Maggs era uma personagem confusa ela tinha uma personalidade forte mas uma atitude muitas vezes errada pois, era insegura e com baixa autoestima e que no final fez coisas que ela com certeza se arrependerá, mas claro só saberemos se a série for renovada. Outro amigo de Carrie que gostava muito era Walt que vivia um conflito que hoje é comum mas para a época era totalmente diferente e nada comum para quem vivia aquela situação sendo dificil se aceitar e de contar para alguém próximo, o modo como a serie tratou este assunto foi muito honesto e coube no momento.

Da parte familiar tivemos histórias envolvendo a irmã “rebelde” de Carrie, Dorrit e o pai, Tom. A serie começa com a família lidando com a morte da mãe de Carrie. A mais afetada com certeza foi Dorrit por ser uma pessoa fechada e de dificil conversasão ela sofria calada e quando expressava era sendo rude com Carrie e Tom que só queriam ajuda la a passar por tudo aquilo que foi dificil para todos. O legal é notar como foi bonitinho o desenvolvimento de Dorrit não deixando de lado a personalidade dela e dando para ela um romance que a fez meio que superar a perda da mãe. Já Tom tinha o objetivo durante a season de mostrar que superou começando um novo relacionamento o que eu achei bem divertido e deixou o personagem mais divertido.

Os produtores da série fizeram um otimo trabalho com cenarios e trilha sonora que realmente me faziam crer que estavamos nos Anos 80. Os figurinos todos otimos. Vale ressaltar também o elenco que estava todo otimo, pricipalmente a protagonista, AnnaSophia é otima e supercarismatica, captou muito bem o jeito da Carrie adulta e deu um novo ar para sua Carrie.

Não posso deixar de comentar a personagem mais divertida da série: Larissa que rendeu momentos otimos como os da boite onde descobrem sobre Carrie e em como ela ajudou Carrie a sair do casulo e correr atrás do que queria.Agora só nos resta #rezar para que renovem essa serie que foi uma delicia de se acompanhar e trouxe aquele clima de serie teen que estava fazendo falta e que também me lembrou uma já cancelada Jane By design.

#SaveTheCarrieDiaries #SaveTheWorld.

Talvez Você Curta

1 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe