The Voice 4x04: Bilnd Auditions Part 4

quarta-feira, abril 03, 2013

  
"I get loud, I get proud... and it gets worse!" Nossa dose semanal de country e canastrice!

Se mais cedo eu dediquei a review à música latina, agora não poderia fazer diferente e homenagear o esse ritmo que tem estado tão em alta nessa temporada, o country. Parece que Blake Shelton realmente decidiu vestir a camisa. Depois de três temporadas e com pinta de campeão, é hora de ajudar um conterrâneo a colocar a mão na taça. E pelo visto, esse ano, ninguém que suba ao palco de bota ou cante com sotaque passará despercebido aos ouvidos do treinador, que está montando um sólido time de vozes country e não medirá esforços para levar um de seus pupilos até o título.

A onda contagiante ficou mais evidente ainda esta semana, em que tivemos uma pequena rixa entre Blake e Adam, para ver se o músico R&B conseguia roubar uma voz country de seu oponente. E acredite "Never underestimate a 6-foot tall white boy from L.A. or 5-foot-3 colombian girl" pois ambos já garantiram os seus respectivos artistas country e prometem uma briga boa para o presunçoso e canastrão bicampeão. E o divertido de se ver, foi como Blake foi se criando no decorrer dessas temporadas, da figura menos conhecida no programa até o treinador mais amado pelo público e mais disputado pelos artistas. A cada piada e a cada dancinha nova que o cantor faz, só conquista mais e mais os nossos corações, isso sem contar as vezes que ele puxa o seu AMA, é de um nível de canalhice tão grande que ficamos sem palavras. 



Sem mais delongas vamos as grandes vozes da noite, que já começou num bom um bom nível com a bela voz de Audrey Karrasch. A modelo entregou uma execução correta de "Price Tag", virando duas cadeiras e conseguindo o que mais queria... Uma vaga no #TEAMUSHER. Preciso ser bem honesto aqui, não achei a moça lá essa coisas não, ela realmente tem uma voz boa, mas a apresentação foi bem regular e na zona de conforto, não vi nada de mais, porém tendo em vista que o conjunto de Usher continua bem fraco, a cantora se configura como uma das melhores de seu time. Então, é só correr para o abraço.



Seguindo tivemos a apresentação de Brandon Roush, que assim... Já pode falar?! Já é um dos meus favoritos dessa quarta temporada. Além de uma voz incrível, e de ajudar criancinhas autistas, o cara é muito cool. Aí como se não bastasse tudo isso me sobe ao palco e canta Beattles, como não amar? Devido a ótima voz do cantor realmente achei estranho Adam não ter virado a sua cadeira, o que foi ótimo, pois assim ele tem a chance de ser um diferencial no #TEAMSHAKIRA que não possui muitas pessoas no mesmo perfil.



A quarta noite de apresentações do The Voice deu sequência, e fomos presenteados com o melhor dela. Sério, a voz do veterano Patrick Dodd é simplesmente um "colírio para os ouvidos". Toda a aspereza da voz dele, toda a emoção que ele coloca na performance, todo o "urgh" e "raw" (saudades X-tina), é simplesmente incrível. Isso que nem precisava, por só de dizer que vinha de Memphis já deixava todos os conterrâneos de Nashville no chinelo. Mas como se não bastasse o cantor ainda nos entregou uma impecável apresentação de "Walking in Memphis", que devo confessar... Realmente me emocionou.



No "combo dos que não vão", tivemos Trevor Davis garantindo uma vaga no #TEAMBLAKE só para enfrentar Christian Porter nas "battles", diretamente para o matadouro. Shakira fez a louca e arrematou um candidato ao #TEAMUSHER tendo agora o que eu considero o cantor mais fraco de seu time, C. Perkins. E na mesma onda, Adam arrematou uma "Shakira Fan", adquirindo mais uma potente voz feminina para o seu time. Não entendi, não é o perfil dele virar sozinho... Mas já devia estar naquele restinho do ou vai ou raxa.


Entre os que não conseguiram uma cadeira virada,  tivemos a "street singer" Betsy Barta entregando uma performance bem morna da música da Adele e não conseguindo convencer nenhum "coache". Ainda bem que Adam foi consolar ela, porque eu já estava nervoso aqui... "Essa menina vai chorar, essa menina vai chorar!"  



Quem merecia muito ter entrado nesse combo também foi o projeto gordo de Ne-Yo, Orlando Dixon. Desculpa gente, mas cá entre nós, ele é bem ruim viu! Para quem já fez Berklee College of Music, faltou tomar umas lições básicas como fazer um falsete decente, ou explorar melhor a voz. A execução foi bem morna, e para conseguir entrar no programa, só mesmo garantindo um espaço no #TEAMUSHER.



E o pimp spot da noite, nos leva diretamente à bola que foi levantada no inicio da review. Mais uma forte cantora country se apresentou, mais uma vaga no #TEAMBLAKE que foi fechada. Com uma apresentação bem comovente de "Safe & Sound", a cantora comoveu os jurados e a todos que assistiam. Não sei vocês, mas acho que colocou Taylor Swift no chinelo... O que não é muito difícil. Bem que Adam tentou roubar outro artista country mas dessa vez não deu, Savannah Berry foi diretamente para o #TEAMBLAKE e promete humilhar Danielle Bradbery nas "battles", assim espero. 


 

Foi um ótimo quarto dia de programa, e pelo visto a tendência se confirma: o nível nos programas de terça-feira tem sido bem superior ao de duas horas da segunda. E com as apresentações da semana findas ficamos com o seguinte panorama:

#TEAMADAM: Apesar de ter caído um pouco o nível com as aquisições de Warren Stone, Kamakana e VAgina Alvarez, o time continua na liderança, e vozes fortes como as de Karina Iglesias e Patrick Dodd, se juntam ao ótimo grupo montado pelo cantor na semana passada com Judith Hill, Sarah Simmons e Midas Whale.

#TEAMBLAKE: Blake vai a cada programa que passa, delineando mais o perfil de seu time e personificando suas "battles", trazendo Holly Tucker e Savannah Berry como adições femininas country. Trevor Davis se junta à elas e passa a integrar e time previamente selecionado pelo cantor com Christian Potter, Danielle Bradberry e The Morgan Twins. Agora ao que tudo indica, quem veio para fazer o diferencial mesmo foi o The Swon Brothers, que promete encabeçar essa maluca arena montada por Blake. Uma coisa, só eu que fiquei na curiosidade de ver as duplas se enfrentando? Não sei não, mas acho que é entretenimento de primeira.

#TEAMSHAKIRA: No momento eu poderia dizer que é o time mais perdido nessas "blind auditions", e não sei em que posição colocar o mesmo, pois apesar da aquisição de nomes fortes como J'Sun e Monique Abbadie, a cantora agora conta com coisas como Garrett Gardner e  C. Perkins, que estão em um nível bem abaixo que qualquer outro nome que a cantora tenha pego até agora. Quem se soma a eles também é o ótimo Brandon Roush, e se juntam aos já selecionados Cathia, Tawnya Reynolds, Mark Andrew e Kris Thomas.

#TEAMUSHER: Esse aqui dispensa comentários. Não sei se Usher está pegando tempo para sentir a vibe do programa ou se tem apenas péssimo gosto musical mesmo, porque as coisas que estão no seu time não entrariam nem no FAMA da Angélica. Entre elas estão Taylor Beckham, Chelsea M., Michelle Chamuel,  Orlando Dixon, e a um pouquinho melhor Audrey Karrasch. O grupo se junta ao já fraco time montado pelo cantor na semana passada com Josiah Hawley, Jess Kellner e claro, o péssimo VEDO.

No mais é isso, nos vemos semana que vem, não deixem de conferir a review do The Voice UK logo no pulo. Ah, e se você perdeu a review do terceiro episódio também é só conferir aqui.

Talvez Você Curta

7 comentários

  1. Orra como voce consegue fazer essas reviews tão rapido? Já sei na verdade voce é o Flash e está tirando uma folga da liga da justiça, né kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Nem gosto muito de Country, porém já tenho a minha favorita, pelo menos no quesito melhor audição. Repetindo, MINHA favorita: Savannah Berry. Há aquela Sarah Simmons da terça que cantou One of Us que também achei muito boa, e a superestimada, pelo menos na minha opinião, Judith Hill, acho que é esse o nome dela

    ResponderExcluir
  3. Como um fã assíduo de Taylor Swift, não vou afirmar que a review foi boa de pirraça (KKKKKKK), mas falar que essazinha deixa a Taylor no chinelo é demais para minha cabeça

    ResponderExcluir
  4. Sem dizer que o Blake só virou a cadeira depois que ela teve que fazer aquela gritaria toda, detalhe que a música não exige grito algum, ela é toda serena e é como se fosse uma canção de ninar, mas Savannah Berry percebeu que só iria impressionar com aqueles gritos

    ResponderExcluir
  5. Okay como não amar aquele cowboy? Até adotar a menina ele queria.....

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe