Switched at Birth 2x11: Mother and Daughter Divided

sexta-feira, junho 14, 2013


Mãe e filha divididas assim como a minha opinião sobre esse episódio.

Num ano onde nem Switched at Birth consegue agradar como antes, nossos pesares só aumentam. Se hoje estou aqui, vivo, para comentar alguma coisa, não foi graças às séries. Pra piorar, a Summer Season está vindo para trazer de volta alguns fantasmas (mais especificamente da ABC Family) de um passado nem um pouco distante e, infelizmente, nós estamos sendo atormentados por eles. SAB até que nem tanto, comparados a outras aí cujo nome prefiro nem citar. Passado meu pequeno discurso traumatizado, vamos ao que interessa.

O retorno de SAB foi, no máximo, agridoce. Talvez seja meu mau humor com as séries em geral que me deixaram um pouco menos ranzinza com ela. Por outro lado, talvez seja esse mesmo mau humor ofuscando e não me deixando ver que foi um retorno ótimo, mas não aposto nisso. O que quero dizer é que meus sentimentos por SAB são ambíguos, pendendo mais para o lado negativo, mas espero decifrar isso até o final da review.

Começamos com Daphne se tornando Kennish agora que Regina está fora, na rehab. Ops, twist. Regina sai mais cedo da clínica e sabemos que isso não iria prestar. Nos dois sentidos. Além de dar merda, foi chato e desnecessário, porque só rendeu nos mimimis ciumentos de Regina com Daphne e Bay com Regina. Já chega, já passamos dessa fase. E chega também de colocarem Bay e Daphne para se bicarem quando, como eu mesmo já disse várias vezes, elas funcionam melhor como amigas. Mas agora tudo parece que vai se resolver com Regina indo dar um tempo na casa de Angelo. Ele mesmo que é bom não apareceu.

O plot de Emmett com Travis foi outra coisa bem bobinha. Não entendi se Travis mentir dizendo às meninas que Melody é ex-namorada de Emmett era para ser engraçado e, como Meldoy bem disse, qual lição deveria ser tirada disso. E também não sei se quero ver Emmett ensinando a Travis como ser um pegador.

Mas nada é tão aterrador quanto o maldito casamento de Toby. Não tinha como sair boa coisa dessa proposta e ficou comprovado com o drama de “cerimônio perfeita”. Clichê e completamente boring. Quem se importa com os valores de Nikki e as nóias de Kathryn?

Eu estava gostando de Bay no parque havaiano conseguindo um emprego e tudo mais, até que começou esse lance de Ty (o namorado compartilhado com The Lying Game) ficando agressivo após a experiência no exército. Não sei se vão abordar isso a fundo e fico preocupado, porque além de não ter muito a ver com a série, tem tudo pra ser insuportável.

Dito isso tudo, acho difícil o saldo ser positivo. É uma pena e espero que ainda seja muito cedo para dizer, mas SAB não é mais aquela coisa leve e divertida que eu tanto amava. Quando alguma luzinha apareceu, no do plot do fechamento de Carlton, eu estava começando a ter esperanças, mas agora elas estão um pouquinho abaladas. Se continuar assim, não acho difícil o lugarzinho de SAB no meu coração ser substituído pela novata The Fosters, cujo Piloto eu vi e gostei bastante (se gostei mesmo ou se fui apenas influenciado pela onda de merda, só o tempo dirá).

P.S.: Off-topic, mas acho justo me desculpar com Orphan Black por generalizar ao me revoltar com as séries. Minha Pretinha foi uma das únicas que me ajudou a passar por esse momento tão difícil <3

Talvez Você Curta

8 comentários

  1. Nem assisto, nem nunca comentei sobre (e nem vai ser hoje). Só vim pedir para consertar a primeira frase: seria "dividida" e não divida, certo? (depois eu apago, rsrsrs)

    ResponderExcluir
  2. Discordo em dois pontos da review:
    - sobre Daphne e Bay estarem de briguinha. Não concordo que elas "funcionam melhores como amigas" até porque elas são irmãs, bem ou mal, e não deveria, mas é normal irmãos brigarem, se acertarem, brigarem de novo. E assim da pra ver melhor o contraste entre Bay, que no final do episódio foi tirar a dúvida que eu tinha desde o começo da série, e Daphne, que é muito mais grudada e amiga da mãe biologica.


    - sobre o fato de Travis não ter feito coisas que apenas casados deveriam fazer. Acho que eles poderiam explorar melhor isso, pois pelo fato dos surdos serem surdos (?), principalmente um surdo problemático como ele, eles não são "pegadores" (claro que não estou dizendo que ser galinha é bom) não tem tantas chances de namorar pela questão da lingua e tal. A sexualidade das pessoas com deficiência é sempre um assunto interessante, apesar dela ser pior pras mulheres do que pros homens e na serie mostrarem que a Daphne já pegou de tudo. Altas risadas com esse plot dumaw.


    Gostei do fato de Bay ter ido pra casa de Angelo, que a Regina também tava lá, pois assim eles poderão ser a familia feliz pra sempre, isso se não vier a meia irma afroamericana/argeliana/portoriquenha da Bay kkk


    No resto eu concordo, foi um episódio fraquinho pra um reinício, aqueles episódios apenas pra dar sequencia na história.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado, já arrumei :)

    ResponderExcluir
  4. Eu tb achei o episodio bem mais ou menos, acho q a trama está meio estagnada, reciclando plots como as briguinhas entre Daphne e Bay, e a rivalidade velada dos Kennish's com a Regina na educação das meninas, e o pior nem um dos plots semeados me empolga, mas torço pra que a serie me surpreenda positivamente pois já mostrou que pode fazer otimos episodios.

    PS: Tb gostei do piloto de The Fosters, vai entrar pra minha watchlist já que eu larguei as dorgas rs

    ResponderExcluir
  5. Sinceramente, não gostei da review. Não com que eu não concorde absolutamente com os pontos negativos que vc citou, porque eu concordo, mas e o resto? Sabe, pareceu só reclamação ao invés de uma review. E não falar do marco da série que foi a Bay reclamar da falta de atenção da Regina por ela desde o episódio um e que nunca tinha sido resolvido?

    ResponderExcluir
  6. Eu até engulo todo o resto, eles precisam criar conflitos para manter a série... mas pra que diabos trouxeram o Ty de volta?

    Qual a necessidade se a gnt sabe que ele não vai ficar na série?

    E o plot dele... Não entendi como agressividade a reação, achei justa, afinal os caras sacanearam e desrespeitaram a Bay. Ele nem bateu no cara... só deu uma empurradinha, rs

    ResponderExcluir
  7. Desnecessária a volta dele mesmo. Mas pelo que eu entendi, isso dele empurrar o cara foi pra começar algum plot do tipo. Ou então foi uma cena ainda mais inútil e avulsa.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe