The Mentalist 6x01: The Desert Rose

sexta-feira, outubro 04, 2013

Red John voltou à ativa, cumprindo a ameaça.

Há boatos – não tão boatos assim – de que nessa temporada descobriremos quem é o assassino da carinha feliz. Seria motivo para ficar triste e esperar que seja o último ano de The Mentalist? Afinal, convenhamos, não há muito sentido em continuar com o maior mistério solucionado.

Certo, deixando a angústia de lado, vale dizer que a série retornou conservando uma característica típica: Patrick diferente da temporada anterior. E o início do capítulo já merece destaque, com a jogada que fez parecer que a cena continuava a última da season finale, sendo que na verdade Jane estava revendo o vídeo de Lorelei – dois meses depois - e remoendo a ameaça de RJ. (E ponto para o recap da lista de suspeitos!).

Também parecia que o caso da semana seria o da moça estrangulada, mas a solução foi bem rápida e drástica. Sim, Patrick desvendou o caso fazendo uso de suas técnicas nada ortodoxas e, dessa vez, deu merda. Cody Benbow (Mitch Ryan), assassino, celebridade e namorado da vítima, não gostou nada de ser descoberto (e trapaceado pelo charlatão) e acertou um policial. A resposta vingativa foi rápida e Cody levou todas as balas do mundo. Fim da história.

Isto é, em partes. O desfecho nada de acordo com os planos fez com que o chefão Bertram, que lembrem-se, está na lista de suspeitos de serem RJ, deixasse Teresa com duas opções: ser suspensa junto com Jane ou resolver casos longe da sede da CBI até que a poeira baixasse. A moça escolheu a segunda, com a pulga atrás da orelha. Seria Gale o famoso assassino? Aquela era uma tática para tirar os dois de cena propositalmente?

Antes fosse o único dilema a solucionar. Em Salton Sea, Lisbon e Jane encontraram um esqueleto a ser identificado e um crime a ser resolvido. Além disso, encontraram outro possível Red John na cena – o quase nada suspeito Brett Partridge.

Descobrir a identidade da ossada foi fácil. Brooke Yardley (Alex Daniels) havia deixado pistas antes de morrer. Os principais suspeitos eram a esposa, que nutria um tipo de amor estranho e crítico por Brooke e o filho, Gavin, que tinha uma relação ótima (sqn) com a madrasta. Entre tapas e tapas com o enteado, Madison apontou outro suspeito: Arek Green (Guri Weinberg), supostamente a última pessoa vista com Yardley.

A investigação correu na mesma velha fórmula, com Teresa colocando os subordinados (Van Pelt, Rigsby e Cho) para trabalhar enquanto Patrick avaliava a situação à própria maneira, com tiradas que ninguém sabia aonde levariam.

Nesse meio tempo, vale destacar o lance mais cômico de The Desert Rose: a preocupação de Teresa com a lista de Patrick a levou a abrir o jogo com Van Pelt, para rastrear os suspeitos. E aí, mostrando como se origina uma boa fofoca, a informação vazou para a equipe toda. Foi fácil perceber nas cenas sutis entre Grace e Wayne e Wayne e Cho. Mas ver, ao fim do episódio, Patrick sacando rapidamente que todos estavam a par da história foi hilário. Especialmente o motivo de Rigsby – Cho não podia ser o único do time a não saber.

Nem tudo foi riso, no entanto. Logo que Patrick notou que Van Pelt sabia, rolou a primeira DR oficial da temporada e Teresa mostrou as garras (gostei de ver!). E foi possível ver outra mudança no protagonista, que só faltou rastejar atrás da chefona para se desculpar. É, não está fácil para os dois!
Então, o caso Yardley acabou sendo solucionado sem Lisbon. Patrick ficara o tempo todo no restaurante da região, socializando com a garçonete metida a médium – Sonya (Josie Davis) – e ensinando Mac (Hugo Armstrong) a fazer ovos mexidos. Não podia ser à toa, né? Recorrendo à técnica já gasta de juntar os suspeitos, incluindo Arek, a esposa e o filho de Brooke, Jane fez Sonya abrir a boca e entregar que Hector, namorado dela, e Mac haviam assassinado o ricaço. Nada de muito especial, só mais um caso da semana corriqueiro e bem ao estilo da série.

O episódio ficou excelente mesmo com a tensão final. Teresa, ingênua, foi sozinha checar uma ocorrência na qual havia a presença de um dos suspeitos da lista. Parte do problema foi resolvida ali, já que Brett estava lá à beira da morte e logo, livre de suspeita. Mas, enquanto Patrick tentava fazer as pazes com Lisbon, a moça virava refém do assassino em série.

Pausa para respirar fundo e descrever como foi genial ver Teresa com o smiley sangrento desenhado sobre o próprio rosto e Jane, do outro lado da linha, ficar sem cor ao ouvir a voz do arqui-inimigo em vez da dela. Nesse momento, ficou claro: a sexta temporada não será nada morna como a anterior.

Façam suas apostas!


Talvez Você Curta

0 comentários

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe