Grey’s Anatomy 10x09: Sorry Seems To Be The Hardest Word

sábado, novembro 16, 2013


Mais do que uma mulher, Callie Torres é uma verdadeira fortaleza.


Depois de descarregar todo o meu ódio contra esta irregular temporada, fui surpreendido por um excelente episódio, que do nada conseguiu apresentar uma boa história e aumentar ainda mais o meu amor por Callie. Infelizmente, “Sorry Seems To Be The Hardest Word” é um oasis num deserto de criatividade e não tem o poder de mudar o rumo da temporada, porém mesmo sendo algo pontual foi eficaz em seu objetivo, nos emocionando e conseguindo o posto de melhor episódio da temporada. Como já havia funcionado no passado, Shonda Rhimes deixou praticamente todos os arcos trabalhados recentemente em stand by para apresentar um episódio todo centro na Doutora Torres numa história que aconteceu aproximadamente ao longo de 4 meses. O foco total na personagem funcionou muito bem, dando o tempo necessário de tela que para que ela nos emocionasse, porém isto apenas ocorreu porque Callie é uma personagem muito boa e todo o talento e carisma de Sarah Ramirez são capazes de manter o telespectador vidrado com a trama. Como o mesmo já funcionou muito bem com Derek e Meredith, diria que os dois, Callie e Cristina são os únicos capazes de segurar um episódio inteiro por conta própria e acho que a tentativa com qualquer um dos outros médicos, até mesmo Karev, teria saído pela culatra.

Diferente do que ocorre hoje, Callie foi inserida em Grey’s Anatomy num momento em que existiam muitos personagens carismáticos na série, tanto que ela demorou para conquistar o público, já que competia atenção com Addison, Izzie, George, e Burke, citando apenas aqueles que não estão mais entre nós. Aos poucos, a personagem foi cavando seu próprio espaço e após descobrir o seu interesse por mulheres cresceu muito, ganhando grande destaque e conquistando muitos fãs. O amor pela Dra. Torres é tão grande que todo mundo ama odiar Arizona, que sempre foi chata mas que acabou conquistando um grande número de haters após ter pisado tanto na bola com Callie. Depois deste episódio, acredito que a personagem vai ser amada mais ainda, uma vez que mostrou mais uma vez o quanto consegue ser forte nos momentos difíceis ao mesmo tempo em que se sensibiliza com a perda do paciente.

Não sei se Shonda Rhimes se inspirou com o ótimo momento vivido por The Good Wife, mas, de qualquer forma, ela conseguiu entregar um excelente episódio de série jurídica, conseguindo nos fazer torcer como nunca para um réu e atingindo algo diferenciado para os padrões de uma série médica. Os roteiristas acertaram em cheio na medida em que foram capazes de nos fazer questionar se realmente Callie não havia cometido nenhum erro. Além disso, mesmo torcendo desesperadamente para a médica, não foi possível não se sensibilizar com a situação do paciente e lamentar a grande falta de sorte que ele teve. Gosto muito de como a série sempre recorre à Meredith quando precisa de alguém para dar voz dar voz à razão, deixando qualquer tipo de moralismo ou heroísmo de lado.

Por mais que tenha sido muito bom, “Sorry Seems To Be The Hardest Word” tem alguns pontos fracos a serem comentados. Em primeiro lugar, o episódio ficou um pouco deslocado no contexto atual da série, parece até que os outros personagens e todas as suas questão gentilmente deram uma trégua para que Callie brilhasse sozinha desta vez. A própria cronologia me pareceu estranha e, se alguém for chato o suficiente para procurar, provavelmente irá encontrar alguns furos e erros de continuidade na trama. O outro ponto foi a inserção da gravidez planejada por Arizona e Callie, que acabou sendo uma saída fácil e pobre para dar mais dramaticidade ao episódio. Tudo acabou parecendo muito artificial e não faz o menor sentido inserir uma trama tão grande para as personagens neste momento. Absolutamente tudo que vimos das duas em um bom tempo muda de perspectiva, já que uma informação tão relevante não existia no universo da série e foi inserida de repente apenas para satisfazer as necessidades do episódio em si.

Por fim, Grey’s Anatomy reafirmou a força de Callie (e a fraqueza de Arizona também), que é capaz de enfrentar qualquer tipo de situação de cabeça erguida, sem deixar de se sensibilizar com aqueles que estão a sua volta e tendo consciência de seus atos e suas responsabilidades. Sabemos que o paciente perdeu as pernas por um erro besta cometido na sala do apartamento de Callie e não na sala de cirurgia, mas a personagem foi capaz de brilhar, entendendo que não pode ser responsabilizada e vilanizada por algo tão pequeno e cotidiano porém que teve consequências tão grandes. A trama ainda contribuiu para que a nossa Princesa Guerreira resolvesse enfrentar mais uma guerra, tentando mais uma vez fazer a sua relação com Arizona vingar, deixando os erros e deslizes para trás. O retorno do pai de Callie foi essencial neste sentido, sendo o responsável por fazer a personagem perceber o tamanho da traição de Arizona comparada a tudo que as duas vem construindo. Concordando ou não com a decisão, temos que dar o braço a torcer e afirmar que ela foi muito bem trabalhada e embasada pelo roteiro.


Bem que semana que vem poderíamos ter mais um episódio só com Callie sendo acusada de alguma coisa e se irritando ao comprar meias-calças, mas sabemos que Greys voltará ao seu normal atual e infelizmente isto não é uma boa notícia. De qualquer forma, Shonda e seu time provaram mais uma vez que ainda são capazes de entregar um resultado satisfatório, o que pode nos dar uma esperança com o futuro da série.

Talvez Você Curta

4 comentários

  1. Episódio muito bom. Só reforça o amor por Callie e o ódio por Arizona. Shonda não gosta de matar gente? Arizona é uma ótima candidata. Já era chata antes de ficar perneta e ficou pior ainda. Não faz nenhuma falta no enredo.


    Concordo com vc quando diz que só Meredith, Derek, Cristina e Callie conseguem segurar um episódio focado apenas neles.


    Ps. Só eu shippo o casal Callie e Owen? Acho eles tão parecidos. Dariam super bem, já até foram casal no episódio do futuro alternativo.

    ResponderExcluir
  2. discordo completamente de voce sobre a parte juridica! nao sou advogado, mas gritei OBJECTION varias vezes quando o adv do boy sem perna falava. Parte juridica fraca, muito fraca. mas ok, eh uma serie medica.
    achei a montagem do episodio confusa, presente, passado, 4 messes atras, 2 meses atras! ainda nao sei se o pai da Callie esta com a Callie agora, ou se chegou 4 meses atras... tudo muito confuso e mal montado.
    serio mesmo que shondanás espera que eu aceite que as duas tentaram engravidar, processo que nao acontece de um dia pro outro, assim.... eu gosto da arizona. acho uma personagem legal, apesar de errar bastante. eh ok pra mim rende boas historias, mas se essa gravidez foi uma forma de "justificar a traicao", ou "amenizar".... nao deu certo.

    achei um pessimo episodio. pior da temporada... SEEEEEEEEEEEEEEEEEEE nao fosse por sara ramirez... a mulher estava perfeita, pra variar, e segurou o episodio inteiro.
    no mais boa review! abraço e ate a proxima.

    ResponderExcluir
  3. Episódio maravilhoso.
    ...
    E vem aí: WE WERE ON A BREAK II - Lesbian Edition.
    <33333

    ResponderExcluir
  4. Na temporada passada eu achei que ia rolar Callie e Owen, mas acho que esta não é a intenção dos produtores não. Talvez isso possa acontecer depois que Sandra Oh sair da série.

    ResponderExcluir

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe