The Blacklist 1x07/1x08: Frederick Barnes/General Ludd

sábado, novembro 16, 2013




1x07: Frederick Barnes

A lembrança imediata de Fringe é inevitável para qualquer um que tenha assistido a série. Cientistas brilhantes levados a atos extremos pela incapacidade de aceitar a perda de alguém - ou pela iminencia da perda, como no caso de Frederick - que amam eram um tema recorrente da extinta série sci-fi da Fox. A grande força desses personagens residia na complexidade deles: a crueldade dos seus atos nunca era negada ou amenizada, mas a profundidade das motivações deles sempre eram consideradas. O reconhecimento da inexistência de respostas simples - bom ou mau, certo ou errado - para situações extremas tornava essas tramas maiores, emocionalmente impactantes, e isso é tudo que falta nesse episódio de The Blacklist

Ao invés de aceitar e lidar com as complexas motivações do seu protagonista, Frederick Barnes segue o caminho completamente oposto. O personagem título é resumido ao bicho-papão da semana, colocado ali para servir a uma trama muito pior e que, ironicamente, trata da morte das emoções de certa forma: a transição de Elizabeth de uma agente que deixa o bandido escapar para proteger um refém até alguém que mata o bandido sem muita consideração.

Em questão de falta de qualidade, esse episódio rivaliza apenas com o piloto da série. Se naquela episódio os agentes do FBI eram completos estúpidos, incapazes de enxergar o obvio, aqui até Red se mostra burro. Depois de todos os eventos do episódio, quando Lizzy recorre a ele para conseguir alguma pista, ele sugere que Frederick irá atrás da sobrevivente do seu ultimo ataque por que ele deve matá-la para completar o serviço. Isso não faz o menor sentido já que aquela altura era claro que seus atos não passavam de experimentos científicos.

Essa falta de conexão e contradições de uma cena para outra, e a superficialidade do episódio em geral, faz parecer que o roteiro passou na mão de vários roteiristas sem um jamais saber o que outro havia escrito, criando um quebra-cabeça que jamais se encaixa.

Os únicos momentos que fazem sentido no episódio abordam o passado de Red. São curisos por mostrá-lo se comportando de uma forma bastante diferente. Longe do cinismo e distanciamento habitual que ele demonstra diante de qualquer situação, quando visita a casa onde vivia ele se revela sentimental, sendo nostálgico e ao mesmo tempo avesso há algo terrível que aconteceu ali. Essa cena é realmente o único ponto alto do episódio, pois sem precisar de muito deixa bem claro o passado dificil de Reddingto e como ele se sente sobre isso. Seria bom se essa qualidade tivesse se estendido por todo o episódio.


1x08: General Ludd

Em uma das melhores cenas de General Ludd, Reddington chora ao matar o pai adotivo de Lizzy, um velho amigo dele. Esse momento muito remete ao fim do sétimo episódio, a forma como ele se comporta quando esta muito envolvido com seu passado. Seja destruindo - literalmente - seu passado ou conversando com alguém que lhe conhece há muito tempo, nesses momentos Raymond parece muito distante da figura do criminoso perigoso, se comportando como um homem comum, capaz de sorrir honestamente.

Esses momentos funcionam muito melhor para tornar o passado dele misterioso que envelopes vermelhos ou vagas referencias a inimigos que se mantém nas sombras. Ver Red matando Sam e chorando ao fazê-lo é intrigante, levanta a curiosidade sobre o que há de tão horrível no passado dele que o leva a fazer algo que obviamente lhe é tão custoso apenas para que Lizzy não descubra a verdade sobre ele.

Através de uma situação muito mais emotiva que logica, sem grandes pretensões de estabelecer uma grande e complexa conspiração como os outros episódios vinham fazendo, General Ludd planta idéias e possibilidades muito mais interessantes que qualquer de seus antecessores. A simples conversa entre Reddington e Tom no hospital, com tantos olhares estranhos e significados subentendidos, deixa transparecer pela primeira vez que o marido de Elizabeth não é quem parece ser.

O casal do grupo General Ludd pareceu genérico. Qualquer um poderia estar ali para explicar a impossibilidade de Lizzy ver o pai. As idéias de Nathaniel Wolfe são interessantes, e se estivessem num episódio onde pudessem assumir um papel de protagonismo teriam espaço para serem melhor exploradas, dando espaço para conhecermos um pouco o lado dele na história, a sua ideologia, e observamos as consequencias dos atos dele, afinal ele explode dois aviões e a vida parece seguir normalmente para a população.

General Ludd foi facilmente o melhor episódio da série, contribuindo para tornar seu protagonista um personagem muito mais crível junto com um caso da semana correto, que ajuda por não atrapalhar, e ainda conseguindo adicionar um pouco de humor a série - por favor, eu quero ver mais criminosos que trabalham com Red. As cenas da dona de casa falsificadora de dinheiro são excelentes.

PS. The Blacklist deve ser a série com o pior uso de chroma key atualmente. Cenas em que o uso da técnica nunca seria percebido em outras séries aqui chamam a atenção pela falta de qualidade. Observe qualquer momento em que os personagens aparecem dentro de um carro, por exemplo, e perceba o mundo do lado de fora se movendo em slow motion sem razão alguma e lugares que se repetem.

Talvez Você Curta

2 comentários

  1. Certa vez um professor me disse que deveríamos buscar nos bons textos argumentos e exemplos que corroborassem com nossas opiniões. E é exatamente isso que sinto ao ler sobre o ep. 1x07. Não gostei do episódio, mas não conseguia por em palavras exatas o porquê. Porém com este review eu sei bem o que incomodou aqui e ali.
    O sétimo episódio, a meu ver, até agora é o mais fraco, porém não creio que ouve grande melhora no 1x08. Talvez eu tenha me focado demais no caso da semana, de como aqueles ataques surtiram pouquíssimo efeito na população, de como depois de tudo o que aconteceu ainda assim eles insistiam em ir em duplas, ou pequenas equipes, atrás do bandido. Realmente a parte que explorou o passado do Reddington foi o ponto alto do episódio, mas ainda assim não foi o bastante para compensar todo o resto.

    ResponderExcluir
  2. KKKKKKK como disse minha amiga, Marcia, pior que ainda está faltando um Dops ( vc acha que eu lembro como se escreve a palavra inteira?? Estou pior que o Damon, vou ter que aprender a soletrar! kkkk), Amara=Silas, Katherine=Stefan e a Elena=?, KD a cópia do tefinho da Elena???

    ResponderExcluir

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe