Shameless 4x01: Simple Pleasures

sábado, janeiro 18, 2014


Sai ano entra ano, o tempo passa, a globeleza muda, mas não adianta. Para quem curte um bom samba de raiz a pedida ainda é a mesma. E para provar que a essência do samba continua com eles, Os Acadêmicos da Sem-Vergonhice colocam novamente o seu bloco na rua e brincam, e gingam, e gemem...

O samba enredo dessa vez foi "Pequenos Prazeres da Vida - Uma Ode à Baco, O Deus da Puberdade". Parece brincadeira mais não é. Com Lip e Ian saindo um pouco do mapa, os holofotes ficaram todos voltados para os irmãos mais novos. Se Debbie e Carl já eram um festival de excentricidades quando eram crianças, agora então, quando tudo o que pensam é abaixar as calças, o festival de bizarrices desconhece limites, e a sem-vergonhice alcança níveis nunca dantes atingidos pelo show, que faz questão de mais uma vez quebrar os seus recordes, afinal de contas estamos falando de crianças explorando sua sexualidade. Só um programa do tamanho da cretinice de Shameless, para abordar tal assunto com tanto bom humor e mal caratismo.

Se Debbie passou pela fase irritante da puberdade na temporada passada, agora ela já superou. O patinho feio ganhou o tão sonhado par de peitos, agora usa saltos e passa batom, e adentra na fase ousada da adolescência. Vocês estranharam quando o menino perguntou se Liam era filho de Debbie? Pois é, parece que eles não, e que a pergunta foi bem honesta. E realmente não sei em que ponto da conversa comecei a temer pela vida de Debbie, que figura como uma forte candidata para adentrar às estatísticas de mães na adolescência. Isso fora o plot de vender a virgindade na internet, claro, que superou qualquer barreira moral estabelecida pela série anteriormente. Vergonha alheia, nem começa a descrever o senti na hora.


Mudando o foco um pouco para Carl, vemos a ascensão do ogro da família, a falta da inteligência  de seus irmãos equilibrada com uma constatante convivência com uma ótima figura paterna, levaram o personagem a se transformar nesse pequeno monstrinho destruidor de molhos e que mija na sacada de casa. É engraçado que apesar de Lip e Ian fazerem muita bagaceirice, ainda guardavam um certo polimento em relação à tudo o que faziam, coisa que Carl ignora plenamente e faz questão de mostrar quem realmente é o macho alpha da casa. Fiona que se cuide, finalmente está crescendo um homem com bolas suficientes para enfrentá-la. E como se toda a escrotice do dia-a-dia não bastasse, o menino descobriu agora que consegue bater punheta nova vezes ao dia. E não seria Shameless se o episódio não nos presenteasse com aquela sacana cena final.

Por falar em Carl, foi ele mesmo que fez questão de que seu pai voltasse a morar em casa, e sempre nos proporcionando as cenas mais fofas entre os dois, como a que Frank agradece à ele. Mas nem tudo foram flores, foi necessário muito trabalho duro para limpar meses de craque da pele de Frank, e isso claro, era uma missão para Sheilinha Bombril que dentro de alguns meses deixará a casa dos Gallaghers irreconhecível para muitos. Assim como Fiona, tive uma dó imensa da personagem, principalmente naquela cena final dela comendo sozinha, foi realmente de cortar o coração. Espero que Karen se recupere e volte muito em breve para agitar as coisas na vida da mãe novamente, e porque não na dos Gallaghers também?

Agora, como se plot de exploração de sexualidade infantil, e vender a virgindade de crianças na internet, já não tivessem extrapolado toda a cota de cretinice para uma temporada inteira, o roteiro ainda me sai com mais uma... O plot do álcool intravenoso e supositório. É claro que Frank iria dar um jeito de manter-se hidratado, mesmo que não conseguisse ingerir álcool por via oral. Sério, só mesmo Shameless para brincar com algo tão chocante, como por exemplo a cena em que ele tosse sangue. Realmente bizarro.


Se as crianças estão no auge da sua sexualidade, Fiona já passa pelo processo oposto, e sem sentir o mínimo de tesão em Mike resolve ir aos finalmentes apenas três meses depois de estar junto com o rapaz. Apesar de toda a forçação de barra da série, e dos ângulos direcionados para a bunda de Jake McDorman, temos que dar um crédito à fiona, afinal não importa toda a beleza do universo se não existir pegada, ou minimamente uma química. E pelo que vimos do promo no final do episódio, o irmão do chefe dela vem aí para provar que nem toda a família faz jus a fama de "graveto". Preciso comentar também o fato dela ter superado o tempo de experiência em um emprego, prova mais uma vez a evolução dos Gallagers do final da terceira temporada para cá. Até dinheiro para o lanche as crianças estão ganhando... Isso sim é progresso.

Precisamos falar ainda de Lip e sua nova história na faculdade. Pelo visto o estilo "sou inteligente por isso faço do jeito que quero" não vai colar por aqui, e ele vai ter que se dedicar um pouco mais se quiser continuar o seu curso. O bom é ver que os Gallaghers nunca fogem a luta, e que Lip já estava trabalhando para conseguir o dinheiro sagrado da sua erva. Por enquanto Lip foi o personagem que menos rendeu histórias, mas pela promo muita coisa ainda está por vir, principalmente envolvendo Ian, o usurpador de identidade. E eu que ingenuamente já tinha achado que o ator tinha sido eliminado do elenco fixo.

No mais é isso, tivemos a história de Kevin e V, que prefiro não comentar muito porque não gosto deles, mas até que o lance dos dois bebês pode dar um plot decente para eles essa temporada. Acho que foi um ótimo season premiere, e que se a quarta temporada continuar nesse ritmo tem tudo para ser a melhor da série. É muito bacana você ver que a história está evoluindo, dá gosto de consumir um roteiro tão promissor.

Talvez Você Curta

0 comentários

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe