Shameless 4x06: Iron City

sexta-feira, fevereiro 21, 2014


Um mundo cruel lá fora!

Em todos os seus momentos de murmuria e reclamação sobre sua vidinha pacata, nunca que Fiona poderia imaginar que esse era o outro lado da moeda. Aposto que a personagem nunca mais irá reclamar de ter uma vida boa ou não acha que merece o que tem, porque por isso tudo o que ela passou tenho certeza que ela não se acha merecedora. Foi realmente o fundo do poço. E o pior de tudo não tem sido nem as circunstâncias de ser presa ou as outras pessoas à julgarem, afinal de contas, ninguém nunca entendeu os Gallaghers mesmo. O pior é ser julgado dentro da própria família, por alguém que sempre te amou, o pior é o que todos esses eventos desencadearam, como o estado de Liam... O pior? O pior foi depender de Frank.

A verdade é que dentro daquelas quatro paredes Fiona sempre se achou dona da verdade e apesar de não se intrometer, julgava à torno e a direito. Julgava Mandy e as escolhas que Lip fazia, sempre julgou Frank e os seus erros... Não é bom quando alguém prova do seu próprio veneno? Sério, e se todo ano Emmy Rossum fica sempre no quase para a sua indicação ao Emmy, esse ano não pode, dessa vez tem que rolar. A sequência dela indo para a cadeia foi a incrível "Emmy Tape" da temporada. Vivo para ver esses momentos dramáticos em Shameless, foi tudo incrivelmente perfeito. Primeiro a personagem parecia super confusa e tudo o que ela queria saber era sobre o seu irmão, depois humilhada ao passar pelo chekin, arrependida ao falar no telefone com Lip, e irritada quando falou com a defensora pública. Sério, quantas Emmys existem?


Se por um lado Fionna e seus irmãos sofriam com o desencadear dos últimos momentos, de outro Frank continuava em negação sobre um problema muito maior, envolvendo sua vida. Todos têm visto como o personagem tem tentado lidar com a sua doença em estágio terminal como se fosse mais uma das roubadas quaisquer que ele costuma se meter. Não sei se muito pelo fato dele estar super envolvido com Carl, e Carl ser uma criança e comprar tudo isso, acabei me deixando levar pelo arco de que ele realmente conseguiria se safar muito facilmente da história. A verdade contudo, é que o buraco é muito mais em baixo e a situação de Frank dificilmente terá reversão. E parece que o personagem finalmente caiu em si.

Desde o texto até a atuação de Wiliam H. Macy, foi tudo brilhante. O diálogo dele com o médico foi impecável e todos estavam afiadíssimos, inclusive o convidado Scott Grimes, que para quem não sabe Steve em American Dad. Nesse momento parece que o personagem já começou a ter um pouco mais de noção sobre a sua realidade, mas foi na parte do asilo que ele realmente roubou a cena do episódio. Nunca vi Frank tão calado e tão observador quanto na cena em que a mulher está mostrando o asilo. E depois do lado de fora quando ele finalmente tem o momento "breakdown", nunca vi o personagem daquele jeito, nem quando Monica foi embora. São nuances do personagem, que depois de quatro anos de série o ator nos presenteia. Por isso que não tem como enjoar dessa série. Por mim teríamos mais dez anos de Shameless tranquilamente.


E enquanto tudo era drama no episódio, Joan Cusack ficou mais uma vez encubida de trazer o tom humorístico para a série. Coisa que ela domina muito bem. Sheilinha estava "On Fire" com toda a história das crianças na casa dela e de finalmente ter uma vida completa novamente, eu não sabia se ria ou se chorava de tão fofo que tudo foi. Eu assistiria horas ela dando nomes pitorescos indígenas para as crianças sem me cansar. E quando o cara falou que estava um pouco violado? Tive que me controlar de tanto rir. Saudades de Sheila ganhando tanto texto na série, sem dúvidas é a melhor personagem. E a cara que o taxista fez para ela quando ela disse o nome da reserva indígena? Impagável.

Outro ponto alto do episódio foi a atuação de Jeremy Allen White, que todos costumam desprezar, mas estava super pontual em seus momentos julgando Fiona, a cena do telefone foi bem interessante. A forma como ele reagiu ao ver Lip, quando foi procurar Frank, suas conversas com Kevin... Tudo foi realmente ótimo. Contudo, eu queria chamar atenção aqui é para a cena dele com Carl, que vem sendo consistentemente o melhor personagem da temporada. As perguntas que ele fez para o irmão foram super pertinentes, e a forma como Lip respondeu, só deram a indicar cada vez mais o papel que ele está assumindo na família. Nunca tinha visto nada com Lisa Vidal antes, mas achei ela excelente na pele da defensora escrota, já quero ela de volta. E a história de Debby continua, aonde querem chegar com isso? Será que tudo vai se transformar em uma amizade, ou o envolvimento amistoso dos dois justificará um envolvimento afetivo no futuro? Essa série é fudida! Não duvido nada. O episódio realmente teve muita coisa para destacar, todos deram o seu melhor, para não ficar cansativo vou parar por aqui. Até semana que vem!

Talvez Você Curta

0 comentários

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe