Arrow 2x14: Time of Death

sexta-feira, março 07, 2014



De longe, Nyssa pode ser considerada a ex mais vingativa de todos os tempos.

Aquele momento que todos esperavam finalmente chegou: a tal falada filha de Ra’s Al Ghul finalmente apareceu em Arrow e ela é... LÉSBICA. Os fãs dos quadrinhos com certeza não vão apoiar essa mudança drástica na personagem, por motivos de não aceitarem ver personagens com novas nuances nas adaptações, mas com certeza foi divertido ver Ollie morrendo de ciúmes ao se deparar com sua ex beijando uma mulher.

No geral, podemos dizer que esse episódio foi de Sara. A Canário está de volta para salvar sua irmã após ser envenenada e sua mãe, que foi sequestrada. Parecia mesmo que tudo era somente mais uma ação da Liga das Sombras para conseguir com que Sara voltasse para casa, mas a verdadeira motivação por trás das armadilhas é o desejo de Nissa para se reunir com o seu amor perdido, já que estava se sentindo um pouco abandonada.

Confesso que esperava mais da participação de Nissa na série, mas as cenas em que ela apareceu foram bem produzidas, principalmente a primeira, quando ela aparece no aeroporto sem avisar NINGUÉM e todos os guardas perderam feio a luta, por não estarem preparados para lidarem com uma terrorista.

A saída da personagem, porém, foi muito precipitada e fácil. Sara mostrou que prefere morrer do que ter que lidar com a filinha de Al Ghul, mas convenhamos que Nyssa vai embora de rabo entre as pernas. Sabemos que essa história ainda não acabou, mas não deixa de ser uma saída fácil e insatisfatória, mesmo que temporária.

Por causa da volta de Sara, a família Lance é convocada novamente. E como já era de se esperar, Laurel provou mais uma vez o motivo de ser chamada de bitch na série. A irmã mais nova da mulher está viva e de alguma forma Laurel consegue transformar tudo isso em algo negativo e ainda arruma um jeito de falar que ela é a COITADA. Coitada mesmo é a família dela, que precisa aturar esse drama, por serem ligados por sangue. É normal ficar chateada ao descobrir que a irmã estava viva desde sempre e nunca deu notícias, mas culpá-la por TUDO que deu errado? Laurel está precisando voltar para uma firma para relembrar que há pessoas mais condenadas do que a própria.

O drama familiar continuou em Time of Death, e envolveu a família Lance e a família Queen. Primeiramente, Felicity fez o necessário no episódio anterior. É muita cara de pau de Moira achar que pode continuar andando por Starling City sem lidar com as consequências de seus próprios atos. Oliver pode não ser o mais propício pra julgar, mas ela tá mentindo sobre algo crucial pra Thea. Mama Queen adora se fazer de santa - e todos acreditam - e falar que ela se preocupa com o que a Thea vai sentir, isso e aquilo, mas na verdade sabemos que ela só quer se safar. Ela sabe que a filha vai ficar muito além da raiva que já sentiu dela anteriormente e pode nunca mais falar com ela. Felicity não iria esconder algo assim tão grande de Oliver, afinal não é assim que funciona o relacionamento dos dois. Por isso, é mais do que aceitável ver Oliver tratando a mãe igual um lixo, dado as circunstâncias.

Família Lance também gastou muito tempo mostrando o motivo de ser uma família disfuncional. A verdade correu solta no jantar em família, mas convenhamos que Oliver não tinha NADA que estar presente naquele momento... Não dá nem pra entender por que Sara achou aceitável chamá-lo para a confraternização dos Lances, principalmente depois de fazer o discurso de que os dois deveriam manter o relacionamento como segredo por um tempo.
Laurel fez muito bem em dizer o que todos estavam pensando, principalmente sobre Sara e Oliver. Convenhamos, porém, que ela não foi muito agradável com o pai, mesmo que seja óbvio que Mama Lance não iria ficar esperando pelo policial.

O ganhador da noite, porém, foi Oliver, finalmente dizendo a Laurel o que todos nós temos pensado durante a maior parte desta segunda temporada. Ele a acusa de se afogar na própria dor, de culpar todos pelos seus problemas e tratar de forma egoísta seus problemas familiares.  São verdades cruas que precisavam ter sido ditas bem antes, mas pelo menos Laurel finalmente recebeu um chute da realidade e talvez essa seja a salvação da personagem.

Podemos também dizer que Felicity roubou a cena no episódio também, com sua crise de ciúmes que culminou na primeira cicatriz da loirinha. Não é de se estranhar que a nerd teria problemas com a aproximação de Oliver e Sara, mas pelo menos ela não foi chata, igual acontece em várias séries quando o tema ciúmes é relatado. Além disso, Sara não se fez de vítima e muito menos tentou intimidar a colega, algo que também não acontece quando duas mulheres estão interessadas pelo mesmo homem.

O vilão da semana foi bem mais desenvolvido do que outros passados, tornando a narrativa interessante e fácil de acompanhar. Sem contar que foi por causa dele que Felicity provou seu lugar e importância no grupo (algo que na verdade nunca precisou), mas espero que esse plot não pendure por muito tempo – até porque, sabemos que a participação de Sara na série será limitada.


P.S: Próximo episódio tem de tudo para ser o melhor da temporada por motivos de: Slade Wilson finalmente se mostrou ao mundo!

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe