The Voice 6x05/06: Blind Auditions Part 5/Part 6

terça-feira, março 25, 2014


O fim de uma apagada primeira fase do jogo.

Sei que estou super atrasado com as reviews de The Voice por aqui, mas ainda em tempo queria dar uma breve pincelada sobre o que foi a ultima semana de audições para o show e na sequência dar continuidade com a fase atual das Battles. O fim das Blind Auditions serviu para consolidar o que foi uma das primeira fase mais fracas do programa até agora, ficando à frente apenas da quarta temporada, acho que o mau agouro está definitivamente com Shakira e Usher. Com candidatos que pareciam mais a cópia de já vi isso em algum lugar, a semana terminou com aquele amargo sabor de muito mais do mesmo.

E se no palco as coisas continuaram na mesmice, nas cadeiras vermelhas a dinâmica entre os treinadores tem salvado a temporada, e parece que nessa reta final o foco voltou-se todo para Shakira e suas pequenas rixas com Usher e Adam Levine. As brincadeiras entre eles realmente tomaram conta dos episódios, e os rapazes sempre se posicionando para defender Shakira foi a coisa mais fofa do universo. Agora, quem realmente saiu lucrando no meio disso tudo foi Blake Shelton que acabou igualando o seu número de four chair ao #TEAMADAM e consolidando um time, não muito forte, mas com grandes destaques na competição.



A semana começou os trabalhos com a ótima apresentação de Kat Perkins que, devido a problemas pessoais, teve que largar a sua banda de rock e virar babá, mas ao que tudo indica a cantora não perdeu em nada o seu gingado e simplesmente arrasou no Fleetwood Mac. A cantora tem um alcance vocal muito poderoso, porém pecou ao manter a música inteira no alto registro. Acho que essa dosagem é uma coisa que Adam vai saber muito bem instruí-la depois de ganhá-la para o seu time ao acertar que ela era uma cantora de rock e não de country. Tenho quase que certeza que essa daí chega nos Live Shows.




Confirmando a teoria de que essa é a temporada das figurinhas conhecidas Paula DeAnda subiu ao palco para cantar Ariana Grande, que é tudo o que ela queria mas não conseguiu, porque sua carreira fracassou. Quando a menina subiu ao palco tudo nela gritava #TEAMXTINA, desde o seu jeito de vestir, a sua postura no palco até os seus incríveis agudos. Se Xtina estivesse essa temporada, com certeza a cantora saberia guiá-la de uma forma que a torná-se única, de repente até Shakira, mas não vejo uma forma de Blake conseguir trabalhar com a mesma a fim de diferenciá-la, já que ele gosta muito de produtos prontos.





Jake Barker também foi excepcional, mas pecou no mesmo ponto que todos os outros candidatos da noite, parecia que eu já tinha visto tudo aquilo em algum lugar. Os runs e voltinhas que o rapaz fez com a música foram ótimos, ele também arrasou no falsete, mas tudo na imagem dele gritava menino pop. Acredito que o cantor seja muito mais do que isso, só o fato dele ter conseguido construir uma base de fãs e reputação no Youtube já prova toda a sua inteligência, e acho que ele acertou em cheio quando escolheu Usher, porque sem dúvidas o cantor saberá trabalhar muito bem com a inexperiência comercial do rapaz. Só mais uma coisa, a performance de "When I Was Your Man" foi boa, mas nem de longe a melhor. Saudades Will Champlin.




E ainda na pegada isso me lembra alguma cois, Ria Eaton subiu ao palco para nos entregar uma performance digamos... Questionável, de "Cups". Com uns runs não muito acertados e uns falsetes meio fora do tom, a cantora só conseguiu virar a cadeira de Shakira e Blake Shelton no último minuto. Sem dúvidas ela tem muito potencial, principalmente pelo áspero de sua voz e pelo seu baixo registro, mas ela ainda precisa ser bem polida, se a sua decisão tivesse sido #TEAMSHAKIRA ela poderia até ir mais longe na competição, por causa do fraco time da cantora, mas com Blake ela não terá muitas chances.



No combo dos avulsos da noite tivemos os bons agudos de Tess Boyler, a ótima voz  de Josh Murley e cativante apresentação de Cali Tucker sobrinha da lenda musical do country Tanya Tucker, mas se a menina tinha todo esse frisson em torno dela e não teve muito destaque na edição é porque ela não deve ir muito longe. Dentro do combo o que realmente me chamou a atenção foi o incrível tom de voz de Austin Ellis e sua encorpada versão de "Drift Away", se teria alguém para apostar dentro desse balaio seria ele.



O primeiro frescor da noite sem dúvidas foi a apresentação de Cierra Mickens. Sem soar nada pop ou comercial, a cantora do Alaska nos entregou uma suave e ao mesmo tempo poderosa versão de "Crazy". Sabendo dosar muito bem os seus momentos, ela guiou de forma muito gostosa nossos ouvidos até o poderoso refrão, e sem dúvidas os seus cansados graves foram compensados pelo seu ótimo alcance vocal. Cierra, apesar de não ter muito apelo televisivo, já entra como uma das favorita à chegar nos Live Shows pelo fraco #TEAMSHAKIRA, e acredito que a sul-americana saberá trabalhar muito bem a imagem da cantora.






Alaska & Madi Audition para mim foram sem dúvidas o ponto mais baixo da noite. Apesar de ter ótimas harmonias, a dupla não tem um pingo de carisma e parece ser um dos duos mais avulsos que já vi passar pelo programa. Parecia apresentação de igreja, elas não tinham muita interação com o público, aquela Madi era toda desengonçada no palco... Enfim, só sei que será muito frustrante se Blake arrastar elas pelos Lives da mesma forma que fez com Holly Tucker na quarta temporada, espero realmente que isso não aconteça.




Na sequência Ddendyl subiu ao palco e, apesar de tudo na menina gritar avulsa, ela realmente surpreendeu com o seu incrível tom de voz. Alguma coisa meio Norah Jones com um grave mais intenso, Ddendyl realmente cativou minha atenção durante toda a sua apresentação. Apesar de ser musicalmente muito bem treinada, não acredito que a cantora tenha grandes chances de se destacar ao longo da competição, porém no #TEAMSHAKIRA aonde o outro pode ser sempre mais avulso que você, ela tem reais chances de lives.




Fechando a quinta noite de edição, tivemos a gostosa apresentação de Josh Kaufman, que guiou suavemente nossos ouvidos durante toda a sua melodiosa versão de "One More Try". E apesar de já ter virado as cadeiras e mostrado bastante do seu incrível alcance vocal, o cantor fez questão de brigar pela maior nota no meio da apresentação e realmente destacar-se em uma fraquíssima noite de apresentações. Apesar de seu jeitinho meio apagado e de estar no forte #TEAMADAM, acredito que ele ainda surpreenderá.



No combo dos que não foram tivemos perdas realmente relevantes. E com os últimos lugares nos times afunilando a competição muita coisa boa não conseguiu virar a cadeiras dos treinadores. Como a poderosa versão de Imagine Dragons entregue pelo enfermeiro Luke Cooper e o surpreendente tom de voz de Tyler Montgomery. Joe Trombino também arrasou nos passos de dança, mas pelo visto seus gritos não foram suficientes para que um treinador virasse sua cadeira. O combo foi completado por Beau Thomas e sua versão soul de "You Are The Best Thing" e Gabi Ramirez com seu desserviço na música de Ed Sheeran.



O ultimo dia de trabalhos abriu com o que eu considero a única apresentação de destaque nessa reta final. Kaleigh Glanton tem o que a FOX costuma chamar de The X-Factor. A cantora além de cantar incrivelmente bem, ter uma ótima presença de palco e ser muito bonita... Tem um certo brilho que cerca ela que grita "Popstar". Além dos agudos dela serem lindos, ela tem um vibrato na voz super melodioso e gostoso de ouvir. Enfim, achei a cantora perfeita. Ela será uma bomba ambulante na mão de Blake e já escalo ela no top 5 ao lado de Sisaundra, provando que o #TEAMBLAKE essa temporada está bem forte.




Na sequência tivemos Brittnee Camelle e sua avulsa versão de "Skycraper". Apesar dos fortes agudos da cantora, tudo nela gritava avulsa, e eu realmente não curti os gritos que ela fez no meio da música. Apesar do complô dos rapazes para que a cantora fosse com Shakira, a cantora decidiu ir para o #TEAMUSHER, aonde deverá sucumbir, já que o mesmo está muito forte essa temporada. Parece mesmo que Usher voltou por cima dessa vez, depois de ter levado Michelle Chamuel à vice liderança ano passado, o treinador voltou com muita moral e garimpou facilmente grandes nomes para o seu time.




Agora, avulsa mesmo foi Lindsay Bruce, que claro, não por coincidência conquistou um lugar no time mais avulso da competição. achei a voz dela muito fina para uma cantora de country, aonde é realmente importante vender uma história, o que fica realmente difícil quando a música está sendo cantada por uma voz tão irritante. Não sei o que tem em Shakira, mas mesmo quando ela ganha um candidato dos outros treinadores, os mesmos acabam sendo os mais avulsos do planeta, se bobear a cantora tem apenas um nome em seu time com reais chances de ganhar. Shakira voltou para a sexta temporada e parece que não aprendeu nada, cometendo os mesmos erros da ultima vez que esteve no programa.




Caleb Elder encerrou os trabalhos com uma versão super contagiante de "Groove Me", eu sinceramente achei que Adam não fosse virar para ele, mas a edição resolveu não enrolar dessa vez e deixou bastante tempo para os comentários sobre o candidato, que não poderiam ser melhores, afinal de contas ele além de cantar super bem e ter um ótimo falsete, tem muito gingado e presença de palco. Porém, não sei porque, alguma coisa no candidato me remeteu ao tema da semana... Mais do mesmo. A imagem dele me pareceu super batida e não sei se ele irá conseguir ir muito longe no #TEMADAM, que mais uma temporada é o mais forte da competição.



No mais é isso meus caros, apesar da primeira fase da temporada ter sido bem fraca, sem dúvidas conseguimos separar alguns nomes que se destacam no meio da multidão. Sisaundra, Kaleigh, Clarissa, Christina, Bria e T.J. são candidatos para ficar atentos e que certamente veremos na fase ao vivo da competição. De resto é torcer para que as próximas etapas tragam algum gás para esse ano que está bem fraco. Espero sinceramente que essa temporada não se arraste igual a quarta e que possamos ver grandes apresentações.

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe