The Voice 6x13: Battle Rounds 2 Final Part

segunda-feira, abril 21, 2014


Os Maiores Erros da Temporada.

Se o The Voice queria destacar essa segunda fase de batalhas, e mostrar que ela era um nível acima na competição da etapa passada... Parabéns! A mensagem ficou bem clara no último programa que foi ao ar das Battles Round 2. A sensação de que os candidatos estavam passando por um funil foi inevitável, e ver muitos de nossos cantores favoritos deixando a competição foi, não só amargo, como também deixou uma grande sensação de injustiça enquanto as últimas decisões sobre as batalhas do programa iam sendo tomadas.

A essa altura eu me pergunto se o erro foi da edição, em dar destaque para as pessoas erradas na primeira fase da competição, ou se a burrice foi mesmo dos treinadores, em pegar os cantores que eram mais populares entre o público, e simplesmente se desfazerem dos mesmos, enquanto levavam adiante vários "Whos" da competição. Para mim esse episódio foi uma pedra no sapato que eu simplesmente quero esquecer. Ver tanta gente que eu já contava como certas nos Playoffs sendo eliminadas realmente cortou o meu coração. E meu ânimo, que já não estava lá essas coisas com a temporada, caiu mais uma vez.


E a noite já começou com a grande cagada da temporada. Claro que tinha que ser Shakira! Sério? O que essa cantora ainda está fazendo no painel de treinadores? Por favor, alguém tira ela do programa! A treinadora não tem a mínima noção de estratégia de jogo, de investimento nos seus cantores, além de treiná-los muito porcamente. Sério, fiquei muito revoltado ao ver Clarissa Serna deixando a competição contra uma cantora que não teve a sua Blind Audition sequer exibida. Sério?! Eu me pergunto então, porque todo o hype em torno da blind de Serna, já que ela não ia ver a fase ao vivo da competição. Chamo isso de sabotar o expectador. Dani Moz tem um grande alcance vocal, mas é uma cantora comum, quantas iguais a ela já vimos passar pelo The Voice? Serna é extremamente versátil, tem carisma... É uma pena, pois ela iria longe na competição, e era o único nome no #TEAMSHAKIRA com força para ganhar a temporada.



Mas o sofrimento não parou por aí, parece que a última noite de confrontos da sexta temporada do The Voice estava destinada a quebrar nossos corações em pedacinhos. Foi quando soube que ninguém menos que Kat Perkins iria enfrentar Dawn & Hawkes. Sério Adam? Era simples, colocava eles contra os dois roubados do #TEAMUSHER e pronto, era humilhação na certa! Porém, ao que tudo indica, o treinador estava numa missão, de levar apenas uma de suas vozes alternativas para os Playoffs. E foi tudo muito lindo. Quem me conhece sabe que tenho um espaço reservado no meu coração para KT Tunstall, e quem conhece o trabalho da cantora sabe que ela reside exatamente na linha tênue que separa a dupla de Kat, nem tão rock e nem tão folk, e ambos executaram incrivelmente a música. Enquanto a dupla entregava suas maravilhosas harmonias e Hawkes nos impressionava com seu maravilhoso tom de voz, Kat simplesmente tomava conta do palco, não só com sua presença, mas com sua voz. Foi tudo muito apertado, mas acho que Adam Levine tomou a decisão certa, porém acho que um dos Steals do programa deveria sim, ter sido usado aqui.



Mais uma difícil decisão estava para ser tomada pela frente, desta vez no #TEAMUSHER. Em uma temporada com muitas cartas marcadas, aonde por horas, parece até que foi comprada, é inevitável que apareçam também vários Dark Horses, e assim como Dani, Tess e Morgan, Muisc Box foi outra que começou o programa no sapatinho, mas que sem dúvidas mereceu toda a repercussão que teve durante as outras fases da competição. A interpretação de ambas cantoras foi muito boa, Music com seu tom de voz mais encorpado e Melissa Jimenez com sua postura mais comercial e seus incríveis agudos. Sério, o que foi essa nota que ela alcançou no fim da música? Para mim ela ganhou a batalha aí. Apesar de Music ser uma cantora muito boa, a decisão de Usher foi não só justa, como sensata também.



Na sequência veio o segundo soco no estômago da noite. Todos que acompanham as reviews aqui desde o início sabem que tenho um encanto especial por Kaleigh Glanton, e depois daquela maravilhosa battle dela então, a cantora passou a morar dentro do meu coração. Eu já comecei a temer quando vi esse pareamento, eu podia jurar que ela ia enfrentar alguém mais fácil, como Tess ou Megan. Quando vi que o embate seria contra Ryan Maloney sabia que cabeças iriam rolar. Ryan, apesar da falta de carisma, tem uma ótima versatilidade vocal, porém depois de ter sua primeira battle cortada, achei que ele era carta fora do baralho. Qual não foi a minha tristeza ao saber que ele ganhou a batalha contra Kaleigh. Aqui, não tão injusta quanto a a saída de Serna, Kaleigh realmente foi bem aquém do seu potencial durante toda a sua apresentação. Porém, acho que a cantora teria chances maiores que seu oponente de brilhar nos Lives. Realmente uma pena.



A única battle esquecível da noite veio do resto do #TEAMUSHER que ganhou uma segunda chance no #TEAMADAM. Britnee Camelle e Jake Barker fizeram o confronto mais fraco da rodada. Sem nenhum destaque por parte de ambos cantores, a apresentação deles da música de seu treinador acabou sendo completamente descartável. Particularmente esperava muito mais de Jake, depois daquele show que ele deu na batalha contra Stevie Jo, pelo menos os falsetes ele manteve, e ficaram muito bem na execução da música. Apesar de não ter sido um de seus grandes momentos, Jake fez o suficiente para mandar péssima Britnee de volta pra casa, e acabar com a hora extra que ela estava fazendo no programa.



E por último foi deixada a battle em que Blake Shelton usaria o último Steal da competição. Eu não diria que foi a melhor forma dele usar seu Steal, nem a forma mais justa, mas sem dúvidas foi necessário. Já que Bria Kelly é uma das grandes cartas marcadas da competição, nada mais justo que alguém roubar Madilyn Paige, que é uma incrível cantora, e que em qualquer outro cenário teria ido à frente na competição pelo #TEAMUSHER. Achei "Stand By You" uma escolha bem razoável, para as duas cantoras, afinal cada uma pode abordar a música no seu próprio estilo e explorar o melhor de seus vocais. Enquanto Madilyn mostrou uma abordagem mais direta, com sua cara, Bria vai sempre atrás da maior nota. Ela bem que tentou, mas apesar de mostrar um lado mais soft, ela não consegue controlar a gritaria. Eu particularmente torço muito pelo flop de Bria Kelly, que fique registrado desde já.


No mais é isso meus caros, fiquei realmente muito frustrado com o final do segundo round de batalhas. O consolo é saber que como eram os melhores contra os melhores da competição, e se o cenário fosse outro, reclamações também teríamos a fazer. Agora é esperar que os candidatos que foram à frente na competição de forma questionável, realmente façam valer a pena o lugar que conseguiram. Sei que estou super atrasado com as reviews por aqui, porém durante o dia vou liberando as reviews sobre os Playoffs de cada time juntamente com o parecer do que esperar deles no Top12, na fase ao vivo da competição. Até!

Talvez Você Curta

0 comentários

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe