The Voice AU 2x19: Live Finals Part 1

quarta-feira, junho 25, 2014


The Voice Australia! Ao Vivo e Em Cores!

Depois de muitos episódios de mãos atadas, vendo os treinadores tomarem as decisões mais questionáveis possíveis, finalmente os candidatos da terceira temporada foram à juri popular. E o que eu posso dizer logo de cara é que muitos deles sucumbiram ao nervosismo da primeira apresentação ao vivo. O palco era maior, os shows nunca foram tão grandiosos, mas no quesito voz a maioria deixou a desejar. Então quem fez o dever de casa direitinho carimbou seu passaporte para mais uma semana na competição, seja pelo voto do treinador ou simplesmente pelo fato de ter hitado no iTunes, que finalmente está de volta. O destaque vai mesmo para os cantores que ficaram em terra, mais ensaio e menos passeio trouxe ótimos resultados para Sabrina Batshon e Gabriel & Cecilia que para mim foram os grandes destaques da noite, seguidos de Kat Jade.

Will.I.Am. que tinha o time mais sólido da competição, treinou muito bem os seus pupilos, preparou grandes apresentações para os mesmos, mas pelo visto a inexperiência roubou o melhor de todos eles. #TEAMKYLIE e #TEAMJOEL foram os mais mornos da noite, como já esperava, porém de onde saíram as mais gratas surpresas. Holly Tapp que venho criticando desde a primeira review, finalmente saiu de sua zona de conforto e fez uma brilhante apresentação. Já Kat Jade apostou em uma novo visual e uma nova postura, que renderam-lhe congratulações. Agora, quem confirmou mesmo o seu favoritismo foi #TEAMRICK, que levou ao palco as performances mais poderosas e mais emocionantes da noite. Ainda tivemos duas apresentações qualquer coisa do Coldplay e chuva de papel picado, como sempre. Para o primeiro Live Show, eu confesso que esperava bem mais. Sem muita enrolação vamos logo as  deliberações.


Anja Nissen deu o pontapé inicial na noite com sua angelical performance de "I'll Be There". A cantora já é a minha revelação gospel favorita do ano, toda vez que a cantora sobe ao palco é como se fossemos transportados para a igreja, ou algum show gospel muito famoso. Os trejeitos dela também não facilitam. Achei ela bem mais empática e mais solta nessa apresentação, se comparado com seu histórico, e foi a mais sólida de todo o seu time, a que demonstrou menos nervosismo. Deliberou muito bem durante toda a canção, e aquela nota alta que ela fez no meio da música foi apenas a cereja no bolo. Não tenho dúvidas de que a cantora retorna na semana que vem para nos presentear com mais uma apresentação gospel de qualidade.


Mat Verevis coitado, foi o que mais sofreu com as extravagâncias de seu treinador. Não vou ficar aqui defendendo o rapaz porque é realmente uma opção, geralmente quando você entrega muita performance, como ele fez, os vocais ficam prejudicados. Sempre via o pessoal falando, que ele era formado em teatro, mas tudo o que víamos era ele sentado atrás de um piano desde que a temporada começou, então foi realmente interessante vê-lo dominando o palco de forma tão brilhante como ele o fez. Ele atingiu notas muito boas, como a música do Chris Brown pedia, mas acho que a continuidade das mesmas ficou muito prejudicada, ele tinha que tomar fôlego em espaços muito curtos de tempo. Contudo, valeu apenas pelo show! Quando aquele piano desceu do teto, eu vi apenas o certificado Will.I.Am. de qualidade sendo carregado para o The Voice Austrália. O conjunto da obra foi ótimo, mas em uma equipe tão foda, alguém muito bom tem que sair, e eu arriscaria que o nome mais cotado é mesmo o do jovem dançarino


A performance de ZK, que finalmente aprendi a pronunciar corretamente, me deixou extremamente dividido. Apesar de adorar a dupla não posso negar que alguma coisa ficou a desejar em sua apresentação ao vivo. Não sei se era o nervosismo, mas apesar de terem acertado todas as harmonias brilhantemente, como sempre, suas vozes me pareceram meio tremidas. A movimentação no palco também ficou muito restrita aquele palanquinho que eles estavam... Enfim, só sei que esperava muito mais da dupla, porque antes de assisti o episódio eu ouvi o áudio no iTunes e está impecável, tanto é que é o mais baixado do #TEAMWILL. Apesar de ter sido a mais fraca do grupo não é dessa vez que os perfeitos do ZK irão embora para casa, o que para mim é um grande alívio, pois acho que eles dariam um finalista muito mais interessante que Anja Nissen.


E finalmente, o que dizer de Gabriel & Cecilia? Maravilhoso! Apenas! Eu amo de paixão Empire of The Sun, e nunca poderia imaginar que alguém conseguiria fazer uma versão tão diferente e ao mesmo tempo tão genial de "Walking on a Dream". Que vocais perfeitos! Nossa a harmonia deles, e a forma como Gabriel arranja as músicas é de fazer inveja a qualquer outra dupla australiana no mesmo estilo, esse rapaz é um visionário e excelente produtor musical. Quando eu disse lá atrás que Will.I.Am. seria um porto seguro para dupla, me referi à exatamente isso, o treinador repeitar e apreciar a visão artítica que eles tem para si, que é essa vibe classicona australiana, meio alternativa que as duplas de lá possuem. Achei muito justo o salvamento dos dois, mereceram muito, principalmente depois dos contracantos que Cecilia fez. Espetacular!


#TEAMKYLIE abriu os trabalhos com Johnny Rollins e sinceramente não entendi o porque de todo o buzz em torno da apresentação dele. Apesar de todo o show, dele realmente ter sido muito foda cantando na bateria, achei a apresentação vocal mais fraca do time. Tive a leve impressão de que a musica estava em um tom um pouquinho alto para ele, então ele já se esforçava para cantar, sua voz mal saía e falhou completamente ao executar os dois falsetes durante a música, o segundo então ficou bem feio. Não adianta ele é o queridinho de Kylie MInogue, mas só quero ver se semana que vem sem a ajuda dela ele passa. Essa semana ele ficou super floppado no iTunes, se não fosse o save da treinadora ele seria eliminado.


Em seguida John Lingard subiu ao palco e fez mais uma daquelas apresentações que eu fiquei extremamente dividido. Quem acompanha minhas reviews por aqui no S.A. sabe que a música do David Gray é uma das que eu mais amo quando executada em realities musicais, só que não acho que John Lingard tenha feito jus à ela. A voz dele é incrível, a música ótima, mas acho que ele não encarou tudo com a atitude certa. Ao assumir que era uma música que não exploraria o máximo de si, ele não o investiu na mesma. Quem assistiu Matt Henry na final da segunda temporada do The Voice UK sabe que dá para tirar e muito mais dessa canção. Uma de minhas apostas de eliminação certa essa semana é sem dúvidas o cantor.


Kylie Minogue estava coberta de razão quando disse em um passado não muito distante que Kat Jade era a participante mais surpreendente dessa temporada. A cantora é super imprevisível, e quando você acha que já a viu fazendo de tudo, ela vem e te surpreende novamente. Isso prende a atenção do expectador. A performance vocal de "Brave" da cantora foi impecável e super no ponto, mas o burburinho todo foi mesmo em torno de sua transformação. Particularmente acho que veio muito a calhar, porque aquela imagem de adolescente que ela tinha beirava a cafonice para a idade dela, acho que depois de ter deixado de lado o personagem nessa apresentação, ela pode brincar com o mesmo de formas diferentes daqui para frente, e de preferencia com uma branding mais adulta. Quando você já tinha pendurado a chuteira e desistido que o #TEAMKYLIE teria vozes fortes, Kat vem e me apronta uma dessa. O que foi aquela nota no final? Perfeita!


Fechando os trabalhos de seu time Robbie Balmer subiu ao palco para performar mais uma música do INXS, só que dessa vez com uma postura completamente diferente. De todos os cantores dessa temporada, acho que ele foi o que mais evoluiu, de repente devido ao fato de ter saído do zero. O que vimos nessa apresentação dele distanciou um pouco de sua pegada intimista e nos levou um pouco mais para o lado soturno da coisa, que é muito mais a vibe de "By My Side". Vimos também um outro lado de sua voz que não conhecíamos, uma coisa mais dark, e sua presença de palco só melhora a cada episódio que passa. Gostaria muito de ver o cantor voltar para mais uma semana, quero ver o que mais ele tem na manga.


Já que não tem como correr vamos falar então de #TEAMJOEL, para ser mais preciso, de Isaac McGovern. O que dizer hein? Maior decepção da noite... Sim ou com certeza? E o pior de tudo é que não sei explicar o que foi que deu errado. A música é super na vibe folk do cantor, o palco estava bacaninha, tudo estava engatado, mas acho que faltou investimento. Quando ele cantou a música da Lorde, vimos ele pegar uma música que não era o seu estilo e colocar o seu twist nela. Nesse caso "Best Day Of My Life" era super a cara dele, e cantor não se esforçou para mudar absolutamente nada na canção ficou extremamente prosaico, para não dizer avulso. Foi a pior apresentação da noite e o maio flop no iTunes. É hora de dar adeus.


Enquanto grandes nomes sucumbiam, candidatos por quem eu não dava nada resolveram sambar. #TEAMJOEL estava mesmo cheio de surpresas na noite de domingo. Queixo caído! Foi assim que fiquei quando Holly Tapp começou a se apresentar! Que visual perfeito (a participante mais gostosa de toda a história do The Voice AU), que versão incrível da música, que arranjo sensacional! Não só super combinou com o estilo da cantora, como também nos proporcionou um olhar completamente diferente sobre a canção. Olha, se era essa a visão que Joel Madden tinha para a cantora, e por isso a levou para os Live Shows, meus parabéns! Esse artista que vimos no palco dessa vez vai longe na competição.


Ai veio então Frank Lakoudis, e não né gente! Por favor, me digam que vocês não compraram isso?! Alguém por favor no painel, compare as performances dele com as de Simon Meli do ano passado e diga que ele é medíocre. Não sei que atitude era essa no palco que os treinadores ficaram ressaltando, agora andar de um lado para o outro do palco feito um bobo da corte é atitude rocker?... Pífio! Vocais regulares como sempre... Mais uma decisão errada de Joel Madden, se o treinador não tivesse o salvado ele já poderia ter sido eliminado logo de cara. Alguém por favor trás Simon Meli de volta! Não aguento mais!


E para finalizar o time mais fraco da competição, assistimos a performance de Taila Gouge de "Who Knew". Olha não foi de todo ruim, poderia ter sido bem pior, porque a escolha musical de Joel Madden foi super cagada, mas também não foi o máximo da cantora, como vimos em seu Showdown. Pink?! É sério? A menina é cantora de country e Joel me coloca essa música para ela cantar? Só porque é o estilo musical dele? Sem comentários, é muita preguiça pra pouco treinador. É claro que fora de sua zona de conforto a cantora não conseguiu dar o máximo de si, e ficou as sombras de nomes como Leanne Mitchell e De'Borah.


"If I Ain't Got You"? Sério? Não sei quando Rick Martin achou que uma balada funcionaria para Elly Oh, mas não restam dúvidas que não funcionou! "Please Stop White People!" Sério, é música de preto gente, então se você não vai cantar direito, nem se dê o trabalho de cantar. Apesar de, como sempre, muito técnica, a voz da cantora é muito direta, e ficou faltando as voltinhas, as paradinhas e os agudinhos, que são o charme da canção. Eu vi até o treinador ansioso na cadeira por um momento como este, mas ele não veio. Acho que depois dessa semana a cantora perdeu de vez o favoritismo. O menu agora tem que ser Ópera e K-Pop até o fim da competição, se não é pegar as malas e ir embora para casa Japa.


C Major cantando Ed Sheeran, mais uma escolha WTF?! de Rick Martin. É sério que para fazer duas escolhas musicais perfeitas para o time, tem que cagar todo o resto? Que tal ser mais justo? Porém ao contrário de Elly Oh, o rapaz pegou uma canção que claramente não o favorecia e transformou ela em sua, deu a sua cara, a sua personalidade, e o que vimos no palco foi o show do C Major. É realmente incrível quando ele sobe ao palco, ele tem um domínio da audiência, que nenhum outro competidor dessa temporada possui. Infelizmente para o projeto de Rick Martin esse deve ser o fim da linha, como ele não foi tão pimpado como Elly e é impossível vencer Sabrina, semana que vem ele deve dar adeus a competição.


E quando eu já estava pensando que a noite terminaria meia boca desse jeito, eis que os dois melhores atos da noite foram guardados para o final. Jackson Thomas... Poxa! Olha, te falar que calei minha boca. Nunca achei que ele mereceu chegar até aonde chegou, mas nossa, se foi para chegar agora e fazer isso, tudo foi justificado. Que performance brilhante! Nós fomos presenteados com tudo, não apenas o lado mais suave da voz do cantor e seus falsetes, mas também com sua incrível imponência vocal dessa vez. É sério, eu não fazia ideia que ele tinha tanta potência vocal, simplesmente perfeito! É claro que discordo que ele foi o melhor da noite, mas chegou quase perto. Ah! ótima escolha musical de Rick Martin! Tirei meu chapéu.


E para fechar a noite com chave de ouro, de platina e de tudo mais que existir, Sabrina Batshon subiu ao palco e mais uma vez estava possuída! Eu já sabia desde o começo que ela era uma incrível cantora, mas se livrar da imagem de comportada, e cantar músicas que a impulsionam, funcionou tão bem para a imagem de artista dela... É incrível o trabalho de treinamento que Rick Martin está fazendo com essa moça. Teria Elly Oh perdido definitivamente o favoritismo para Sabrina Batshon? Que performance de "Chandelier" hein?! Olha eu arriscaria dizer, sem medo de ser apedrejado, que ela foi melhor inclusive que a própria Sia, e olha meus caros, cantar uma música da Sia melhor do que a própria, apenas Christina Aguilera o fez até hoje, e é nesse rancking de vozes que deixo Sabrina Batshon comparada nessa review. Excepcional! Claro que hitou no iTunes, no Youtube, na porra toda! Já estou louco para ver o que ela irá apresentar na semana que vem.


No mais é isso meus caros, parece que os Live Shows não vieram para facilitar a vida dos apostadores, e quem achava que a vitória já estava garantida para algum candidato pode tirar o cavalo da chuva. A primeira noite de apresentações ao vivo só  aumentar mais ainda o samba do crioulo doido na competição, com os candidatos mais pimpados da competição sucumbindo, e nomes surpreendentes como o de Gabriel & Cecilia e Jackson Thomas finalmente aparecendo. Preciso dizer também que acho que os saves dos treinadores não refletem muito as escolhas do público, e que os candidatos realmente favoritos ele que irá salvar.

#TEAMJOEL não é apenas o mais fraco da competição, como também foi o mais fraco da noite. O candidato no qual Joel Madden apostou o seu save não foi assim tão bem no iTunes, e se não for brilhante semana que vem deverá sair. Isaac McGovern certeza que irá sair semana que vem depois do fracasso de sua apresentação. A disputa deve ficar mesmo entre as meninas, Taila Gouge tem uma ótima voz, falta apenas o seu treinador escolher a música certa para ela, e Holly Tapp foi a grande surpresa da noite, se Joel continuar trabalhando essa tal visão que ele tem para ela, as coisas podem dar uma guinada interessante.

#TEAMKYLIE decepcionou bastante em sua estréia, e o principal símbolo disso foi a apresentação de Johnny Rollins que teve o maior índice de rejeição da noite. Se Kylie Minogue continuar ignorando a opinião do público em todos os realities pelos quais passa, as coisas vão ficar meio complicadas. John Lingard foi outro que não satisfez, mas esse eu já esperava, e deverá sair na segunda que vem. Quem acabou se levantando como o grande nome da equipe foi Kat Jade, que depois de sua ótima transformação virou mais internet sensation do que já era. Completando o time temos Robbie Balmer, que está ali no meio, nem fede nem cheira, tenta passar desapercebido, mas se não foi excepcional semana que vem, é adeus a competição.

#TEAMWILL Continua muito perfeito, mas não deu no couro. Nenhum de seus atos conseguiu convencer plenamente na primeira noite. O que é muito triste, já que tem tanta gente boa no time. Como as coisas foram bem lineares, a ordem de favoritismo manteve-se, com Anja Nissen e ZK na frente e Mat Verevis e Gabriel & Cecilia um pouco atrás. Como Will.I.Am. justamente salvou a dupla de irmãos, o jeito é mesmo o rapaz fazer as suas malas e despedir-se. Espero que semana que vem eles manden muito melhor!

#TEAMRICK a essa altura é o mais forte da competição, porém está acontecendo uma coisa que não aconteceu ano passado... Sua grande front runner, Elly Oh, sucumbiu mais uma vez essa semana, e Sabrina Batshon vem tomando as rédeas do favoritismo na equipe. Isso é muito ruim a essa altura do campeonato, dividir a opinião do público acaba levando gente a torcer por algum candidato de outro time. C Major, apesar de ter mandado muito bem, acabou não sendo o suficiente para manter ele mais uma semana dentro de uma equipe tão forte na qual ele se encontra. E completando o time temos Jackson Thomas que pode surpreender mais uma vez semana que vem e acabar roubando a vaga da coreana na semi-final.

Acho que é isso, ficamos aqui na expectativa para que semana que vem as coisas melhorem e que comecem a se definir logo quem serão os finalistas, porque está tudo bem confuso essa temporada! Até mais!

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe