The Voice AU 3x12: The Battles Part 2

sábado, maio 31, 2014


A noite das Power Vocal Houses!

Se o primeiro foi o das batalhas de sopranos e de falsetes, o segundo foi todo sobre as vozes cheias. Em uma noite só, vimos todas as vozes potentes dominarem o palco, e a loucura invadir o ringue, a gritaria estava em toda a parte. Contudo, não bastou apenas gritar mais alto para seguir na competição, os treinadores estavam em busca do fator diferencial, e quem conseguiu comover e se conectar com o público, pode até não ter ganho a batalha, mas com certeza continuou na competição.

Em termos de qualidade achei a segunda noite um pouco inferior, eu diria que teve apenas uma batalha, a de Kylie Minogue, que foi realmente boa em ambas as partes. Em relação ao resto, tinha sempre alguém que não estava cem por cento na música, ou por vezes ambos não deram o melhor de si, que foi o caso do #TEAMRICK. Se na primeira noite o time do treinador latino fez bonito, nessa os participantes me pareceram bem desconectados com as músicas e nervosos com a experiência. Will.I.Am. fez o que já estamos acostumados à vê-lo fazendo no The Voice UK, levar suas cartas marcadas adiante, independente de quem tenha ido melhor na Battle, e #TEAMJOEL continua passando desapercebido na competição.



Quem abriu a noite, foram duas das grandes vozes que existiam no #TEAMWILL. Apesar de eu não ter achado que foi o pareamento mais óbvio de todos, até que as cantoras tinham a mesma vibe. Como a música não favorecia muito Anja Nissen, na minha opinião, Sarah Hamad entrou muito melhor na mesma, mas depois de um começo formidável, viu sua performance sucumbir no palco enquanto Anja atingia uma nota mais absurda que a outra e ela não conseguia acompanhar. Pelo contrário, por vezes ela até dava uma desafinadinha nas notas mais altas. É aquilo que Will.I.Am. disse, não é que Sarah seja ruim, mas Anja é tipo fudedora. Além de bonita e de uma ótima presença de palco, as notas que essa menina alcança são de outro mundo.


Na primeira Battle do #TEAMJOEL da noite, vimos o pobre coitado do Dallas James ser sacrificado contra o monstro da música Doug Williams. Porém, a merda toda não foi culpa do cantor, e sim das escolhas musicais cagadas de Joel Madden, sério, eu juro que se ele escolher Avicii mais uma vez para alguém cantar eu corto os pulsos. Qual a necessidade disso? A música claramente não tinha nada a ver com o perfil de nenhum dos dois candidatos, porém Doug como é um músico muito mais experiente, soube se virar com o que lhe foi dado, ao contrário de Dallas que titubeou várias vezes na execução da canção. Ambos são bons, mas não tinha mesmo como negar a excelência do trabalho de Doug Williams no palco.


Eis que então fomos apresentados ao melhor momento da noite, sério, que sublime! Não tem como colocar um defeito nessa versão de "Clown" de Candice Skjonnemand e Thando SikwilaRachael O'Connor quem mesmo? Deram um banho na britânica. A doçura, a maciez da voz delas no início, a forma como conseguiram dosar direitinho a melodia até chegar no refrão. Simplesmente incrível. Os runs que Thando fez no fim da música foram absurdos, mas se tivesse que escolher alguém que ligeiramente conectou-se mais com a música, eu escolheria Candice também. Mais um grande Steal para o #TEAMRICK.


E foi exatamente para lá que nos encaminhamos na sequência. Preciso fazer um parêntesis aqui, pelo segundo ano consecutivo que Rick Martin deixa bem claro que NÃO sabe trabalhar com artistas alternativos. Quando eu vi ele reclamando da apresentação de Robin no outro episódio, eu pronto, não quero nem ver a merda que ele vai fazer com Gabriel & Cecilia. Se fosse criar aqui uma lista dos artistas alternativos que estavam no #TEAMRICK o ano passado, e que viram seu tempo ser encurtado na competição por causa das escolhas dele, ela seria grande. Imogen Brough, Bec & Sebastian, Kaity Dunstan... Enfim, e dessa vez não foi diferente. Imagine Dragons? Sério? Porque não colocou um folk para eles cantarem? Péssimo! Particularmente eu não gosto muito da dupla, principalmente por causa dos gritos que o rapaz fica fazendo na música, mas eu entendo o tipo de artista que eles são. Will.I.Am. está mais do que acostumado a trabalhar com esse tipo de artista, então acho que os resultados acabaram encaminhando-se para o bem, quem sabe no #TEAMWILL eles não tenham uma chance maior na competição. E Brandon Buff... Quem é mesmo?


A segunda batalha do time do latino foi a que eu fiquei mais na dúvida. Eu não diria que a escolha musical chegou a ser errada, mas ver se o tom da música está dentro do alcance vocal dos participantes é uma coisa básica, que se faz no primeiro ensaio. Da mesma forma que no ano passado, algumas das Battles do #TEAMRICK tem sido cortadas, exatamente pelo fato dele passar batido por alguns desses detalhes, acredito eu. Os cantores foram bons, cada um no seu estilo musical, mas foi evidente o tom estava muito alto para eles. A parte do refrão que Scotty Gelzinnis fez no full chest para mim foi a melhor, mas logo na sequência Josh McDonald fez uma nota altíssima muito boa, que foi respondida com um instável "passaggio", como Kylie disse. Teria ficado brilhante se ele tivesse praticado um pouco mais. Como os dois tiveram momentos muito bons, mais ficaram bem inseguros durante a música, podemos dizer que potencial vocal os dois tinham. Então quando a decisão acabou recaído sobre o potencial artístico dos cantores, não existiam muitas dúvidas de que o escolhido deveria ser Josh mesmo.


E mais uma vez voltei a me estressar com Joel Madden. Em sua terceira batalha na temporada, ele fez a sua terceira cagada na escolha musical. É sério, que para a sua batalha country você vai colocar Miley Cyrus? Isso que é profundo conhecimento em Country Music. Que falta não estão fazendo os conselheiros essa temporada hein! Particularmente prefiro muito mais o tom de voz de Annabelle Eve, acho que ela fez uns desenhos muito melhores na música, e acho que essa é a primeira vez que irei discordar de um resultado essa temporada. Porém como realmente foi uma batalha apertada, Taila Gouge não desmereceu a vitória.


E fechando a noite, voltamos para o #TEAMWILL e mais uma #ScreamBattle. Aqui, ao contrário da primeira, tudo saiu errado, a gritaria foi descoordenada, as cantoras estavam por todos os cantos na música... Foi literalmente um grande fiasco. Apesar do pareamento ser bem estranho, eu super entendi a escolha musical, dava tanto para Jade Grey trabalhar o lado mais country e pop, quanto para Louise Van Veenendaal fazer a coisa mais rock, que sem dúvidas é a vibe dela. E o que Will.I.Am. queria era exatamente isso, que cada uma transparecesse sua personalidade. Sendo assim, não pôde reclamar do resultado final, afinal, apesar de cagado, personalidade foi o que não faltou na apresentação, e a de Louise é sensacional. A vibe Rock Chick que dela é insana. Muito mais rock para essa mulher! Por Favor!

No mais é isso meus caros, acho que foi uma noite bem instável de apresentações, com alguns pontos altos, mas a maioria das coisas foram bem estranhas. Achei que a edição do episódio também ficou meio perdida e corrida, por causa da quantidade de Battles que tentaram encaixar... Enfim, espero que os programas dessa semana tenham sido melhores. Logo volto com as reviews dessa semana. Até!

Talvez Você Curta

0 comentários

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe