The Voice AU 3x15: Showdowns Part 1

quarta-feira, junho 11, 2014


Sobrevivendo a pressão dos Showdowns!

Se a vida já não estava fácil nas Battles, agora então que as coisas ficaram mais complicadas ainda. Como vimos no programa, ano passado, não é de nome que se faz uma temporada, e até os grandes favoritos acabam tropeçando nessa fase decisiva da competição. Este ano algumas coisas mudaram, para não ficar tão evidente quais serão os finalistas da temporada, agora são os treinadores que escolhem os candidatos para irem aos Live Shows. E já tem muito fã revoltado por que não pode dar pitaco nas decisões dessa semana.

Boa parte da revolta foi que, repetindo o feito do ano passado, Rick Martin resolveu novamente bailar nos pareamentos dos Showdowns, e o que vimos foi uma shenanigans sem limites. E para piorar a situação, Will.I.Am., que também é adepto do estilo livre de treinamento, também foi adicionado ao staff de treinadores este ano. Saudades Delta Goodrem e Seal, treinadores sensatos. O que vimos então foi um samba do crioulo doido, fortíssimos grupos de pareamento contra outros ridículos, favorecimento descarado de certos participantes, dificílimas decisões e ótimos nomes dando adeus a competição.


O episódio de domingo começou com o ridículo pareamento do #TEAMRICK, e a melhor apresentação da noite. É direito de qualquer fã do programa questionar as decisões do treinador, mas não tem como negar que C Major foi simplesmente magnífico. O cantor finalmente achou uma música que coube perfeitamente dentro da sua voz, e dessa vez além de entreter o público, deu um banho nos vocais. Além do ótimo trabalho de fôlego que ele fez durante a apresentação, aquelas duas notas que ele segurou no final foram incríveis. Provou que é um artista completo, e foi o que mais mereceu a vaga nos Live Shows



A noite continuou com a linda e envolvente apresentação de Thando Sikwila. Apesar de ter protagonizado uma das melhores batalhas da fase passada, eu poderia jurar que a cantora seria sub-aproveitada por Rick Martin. Creio que o arranjo todo foi feito para que isso acontecesse, mas no fim das contas não teve como contestar todo talento da cantora, e toda a sensualidade que ela vendeu em sua performance de "Sex On Fire". Quase uma Beyonce no Glastonbury. Só que não. A participante acabou surpreendentemente ganhando uma sobrevida na competição, gerando uma das maiores polêmicas desde a eliminação de Imogen Brough.



Depois que os cantores se apresentaram não restavam dúvidas... A polêmica era inevitável. Apesar de ter feito uma versão muito sólida da música do Il Divo, Matthew Garwood fez sim a pior apresentação do grupo. Não sei o que aconteceu, mas a intensidade que estávamos acostumados a ver em suas apresentações desapareceu, ele parecia bem disperso. Apesar de eu achar que ele merecia ter ido a frente na competição pelo conjunto da obra, seu treinador não perdoou, e não teve tatuagem de "Viva La Vida Loca" que o salvasse. Presenciamos mais uma vez a saída prematura de um franco favorito do #TEAMRICK.



O segundo ato da noite ficou por conta de Will.I.Am. que foi o primeiro a ter a ombridade em reconhecer que um de seus Steals foi melhor que alguém de seu time, e levar os lindos Gabriel & Cecilia adiante na competição. Não adianta, Will sabe trabalhar com esse tipo de artista, tudo que Rick não fez por eles o produtor americano fez. O treinador soube conduzir a dupla, e transformar sua apresentação de estranha para memorável. Até os gritinhos de Gabriel estavam mais audíveis dessa vez. O meu único medo é que com a aprovação deles, acaba diminuindo significativamente as chances de vermos ZK na próxima fase



Quem subiu ao palco na sequência foi Julian Simonsz, e como eu já havia dito aqui, apesar do ótimo timbre vocal e técnica do cantor, ele não possui nenhuma presença de palco. Que bom que Will.I.Am. não fez vista grossa para isso. Apesar da brilhante escolha musical, dos ótimos runs e dos incríveis falsetes, acho que em qualquer outro pareamento o cantor rodava. #TEAMWILL não veio para brincar nos Showdowns, e o recém casado acabou sendo um dos mais fracos da rodada, felizmente não foi o pior.




Carly Yelayotis realmente fez a apresentação mais fraca da noite, e dentro do time em que estava não tinha como ela não ser eliminada. Apesar da dica do treinador, de que o tom da música estava muito baixo para ela, e que sua versão estava muito similar à de Tony Braxton, ela nada o fez para mudar. A cantora acabou confirmando as minhas expectativas de que o seu Steal tinha sido um grande desperdício. Era notável que ela não estava a altura dos outros candidatos e que era hora de guardar o microfone e dar adeus ao The Voice AU.



Como eu já esperava #TEAMKYLIE tem sido a grande surpresa desses Showdowns. A treinadora pegou um time super mediano, e tem entregado as melhores apresentações dessa rodada, tornando difícil todas as suas decisões. Quem abriu os trabalhos pelo time foi Candice Skjonnemand, com sua ótima performance de "Unconditionaly". A música caiu como uma luva para a cantora, ela foi uma estrela no palco. Em minha humilde opinião ela não teria deixado o programa, mas segundo Kylie ela acabou sendo a terceira melhor .




Seguindo ela Lionel Cole subiu ao palco para destilar todo o seu charme ao som de "Georgia On My Mind". Realmente não tem muito o que fazer aqui, a não ser rasgar seda. A dimensão vocal desse cara é simplesmente de outro mundo, aquela nota alta bizarra que ele fez no falsete... Como consegue ser tão brilhante? Não bastasse ser bom pra caralho, o cantor ainda tem um carisma fora do normal, que só a experiência de uma carreira de décadas trás para uma artista. Lionel nos Live Shows, é tudo o que eu peço!



Depois de ver esses dois monstros se apresentarem, John Lingard sabia que só tinha duas opções, ou ser brilhante ou ir embora para casa. Não se dando por vencido, o cantor subiu ao palco e fez o que sabia fazer de melhor, ser ele mesmo. Os vocais não foram bizarros, não andou por todo o palco, mas aquela "Thing" que Will.I.Am. falou sobre ele, lá nas blinds, finalmente resplandeceu. Não sei explicar o que é, não sei se é o seu timbre de voz, o seu jeitão no palco, sua conexão com a música... Seja lá o que for, conseguiu fazer com que ele destronasse dois monstros da competição e carimbasse o passaporte para os Live Shows.



O pareamento do #TEAMJOEL foi uma das coisas mais descaradamente armadas que eu já vi na história desse programa, porém já me desapeguei por completo depois do que ele fez nas Battles. Realmente não consigo mais me importar com quem ele levará para os lives. Fechando a noite com apresentações fraquíssimas, a primeira a subir ao palco foi o seu Steal Soli Tesema. Achei a escolha musical super original, mas não tem como negar que existem outras cantoras na competição com esse mesmo perfil e bem melhores do que ela. Não consigo vê-la nos Live Shows, mas em se tratando de Joel Madden não duvido mais de nada.




O coitado do Blake Leggett já subiu no palco sabendo que iria para o abate. Não tinha mesmo como esse rapaz ir à frente na competição, tive vergonha da apresentação dele. Foi um misto de tudo, falta de carisma, ausência de palco, pulinhos estranhos, voz ofegante... Conseguiu fazer a pior apresentação da noite. Seu quadro só valeu mesmo para vermos Joel Madden admitindo que cagou a música, porque estava chapado, ano passado quando se apresentou ao lado de Danny Ross na final. Saudades segunda temporada.



E para fechar a noite, ele que só passaria direto para a próxima fase nessa equação específica, que está claramente sendo favorecido pelo seu treinador, que tem os gritos mais irritantes da competição... Frank Lakoudis. Apesar dele ter uma ótima personalidade vocal, sabemos que em qualquer outro time o cantor não veria a próxima fase da competição, mas depois de insanamente ter eliminado Harry Healy, o treinador deu mais um jeito de continuar empurrando com a barriga o seu pupilo na competição. Não consigo me conformar que depois de assistirmos Simon Meli vamos ter que nos contentar com isso, esse ano.



No mais é isso meus caros, a primeira noite dos Showdowns foi bem estranha. Com muito mais erros do que acertos, vemos o programa se desenvolvendo em um nível bem inferior ao do ano passado. A essa altura do campeonato na segunda temporada já tínhamos tanta gente hitando, dava pena por todo mundo que deixava a competição. Esse ano tudo está parecendo mais enlatado, não consigo comprar os participantes de verdade. Espero realmente que as coisas melhorem nos próximos programas. Até lá!

Talvez Você Curta

0 comentários

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe